ENTREVISTA: Gestão Crivella libera vans em BRS e vai permitir táxi em BRT

BRS dobrou velocidade de ônibus, dizem empresas. Foto Arquivo – Meramente Ilustrativa

Viações temem impacto nos desempenho e segurança do sistema de ônibus e acreditam que a decisão possa ter sido motivada pelo período eleitoral

ADAMO BAZANI

Ouça a entrevista na íntegra:

A gestão do prefeito Marcelo Crivella, no Rio de Janeiro, liberou em caráter experimental a circulação de duas linhas de vans do transporte complementar em trecho do BRS (Bus Rapid Service) da Avenida Nossa Senhora de Copacabana,  da Rua Barata Ribeiro, do Túnel Sá Freire Alvim e da Raul Pompeia

As linhas do SPTL (Sistema de Transporte Público Local) que poderão operar no BRS a partir desta sexta-feira, 13 de novembro de 2020, são a L2101 (Circular Via Vidigal / Copacabana / Rocinha) e a L2102 (Circular Via Rocinha / Vidigal).

A resolução autorizando o tráfego foi publicada no Diário Oficial da cidade do Rio de Janeiro desta quinta-feira (12).

As vans poderão circular pelas “faixas exclusivas (BRS) da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, da Rua Barata Ribeiro, do Túnel Sá Freire Alvim e da Raul Pompeia, no trecho compreendido entre a Avenida Rainha Elisabeth e a Rua Rodolfo Dantas”, de acordo com a publicação oficial.

Em entrevista ao Diário do Transporte, o porta-voz do Rio-Ônibus, entidade que reúne as companhias do serviço municipal, Paulo Valente, diz que a medida vai comprometer o desempenho dos ônibus que trafegam por estas faixas e que ainda deve representar um problema em relação à segurança porque pode haver o risco de as vans realizarem ultrapassagens perigosas só para pegarem passageiros antes dos coletivos de maior porte.

De acordo com Valente, a velocidade média dos ônibus nos horários de pico no eixo da Barata Ribeiro foi nesta quarta-feira (11) de 17 km/h e da NSC em 14 km/h

Antes do BRS, segundo Valente, a velocidade dos ônibus nos mesmos trechos era de 8,5 km/h e de 7 km/h em média nos horários de pico, respectivamente.

A velocidade maior dos ônibus não representa apenas viagens mais rápidas, mas coletivos menos lotados e menores custos de operação, uma vez que com a frota é possível atender a mais passageiros.

O executivo disse que as empresas de ônibus não foram consultas sobre a mudança e entende que a pode ter havido motivação política neste momento de eleições municipais.

“Têm algumas medidas que não se justificam à luz da técnica e que enxergamos que em semana de eleição liberar vans para rodar em corredor de BRS, táxis em corredor de BRT é algo que nos preocupa porque entendemos que tem um viés mais político do que técnico” – disse

TÁXIS

Já os jornais O DIA e Extra trouxeram a informação que a prefeitura deve publicar nesta sexta-feira (13) no Diário Oficial da cidade a sanção ao projeto de lei de autoria da vereadora Vera Lins (Progressistas) que prevê a circulação de táxis nas canaletas exclusivas do BRTs no trecho do Aeroporto do Galeão ao terminal Alvorada, sem a possibilidade de embarque e desembarque ao longo da viagem.

A justificativa da prefeitura é a necessidade de medidas excepcionais para estimular a economia a se recuperar no período de Covid-19

Como no caso das vans, a liberação dos táxis seria experimental.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta