ÁUDIO: Transição da EMTU para a Artesp deve durar até três anos, diz Baldy

Ônibus metropolitanos serão gerenciados pela Artesp após aprovação da ALESP.

Segundo Secretário dos Transportes Metropolitanos, serão realizados estudos de impacto

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI/WILLIAN MOREIRA

A extinção definitiva da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos pode o ocorrer entre dois e três anos com a transferência de suas atribuições para uma agência reguladora.

A informação é do Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, durante entrega de um trem novo para a linha 13 Jade da CPTM na manhã desta quinta-feira, 22 de outubro de 2020.

Segundo Baldy, serão realizados estudos de impacto para os passageiros.

Com essa lei autorizativa agora sim iniciam os estudos para a extinção das referidas empresas públicas. No caso específico da EMTU será analisado todo o impacto que poderá ser causado e que não vai prejudicar o cidadão que utiliza o transporte público através dos ônibus da EMTU. Todo este estudo será e esse impacto será analisado para que nos próximos dois a três anos possa ser definida a sua extinção e a transferência de suas atribuições para uma agência reguladora para que possa fiscalizar o serviço de ônibus“, disse Baldy se referindo a Artesp em resposta ao Diário do Transporte, presente ao evento.

Ouça:

Como mostrou o Diário do Transporte, o governador de São Paulo, João Doria, publicou em Diário Oficial do Estado em 16 de outubro de 2020, a lei 17.293/20, fruto do Projeto de Lei – PL 529 que “estabelece medidas voltadas ao ajuste fiscal e ao equilíbrio das contas públicas”, entre as quais a que autoriza o fim de empresas públicas como a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, que gerencia ônibus intermunicipais metropolitanos, o corredor ABD de ônibus e trólebus operado pela Metra, o VLT – Veículo Leve sobre Trilhos entre Santos e São Vicente operado pela BR Mobilidade, a ponte ORCA de vans e micro-ônibus e os ônibus de fretamento nas regiões metropolitanas.

O polêmico projeto causou divisão entre os parlamentares e recebeu críticas de especialistas em mobilidade.

Adamo Bazani jornalista especializado em transportes

Colaboraram Alexandre Pelegi e Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. André disse:

    Não precisa desse tempo todo para transferir não muita conversa e pouca ação EMTU nunca prestou só presta para prejudicar trabalhador isso sim , não vai ter nenhum impacto só o impacto no bolso da EMTU

    1. Gabriel Pereira disse:

      Muita inocência sua achar que algo vai mudar para melhor, sendo que quem vai cuidar do transporte metropolitano seguindo a dissolução da EMTU vai ser a Artesp, que não tem experiência nenhuma na área.

      E o “não vai ter impacto financeiro” é uma previsão extremamente otimista, considerando a grana que vai ter de ser gasta ou em novas contratações de profissionais com capacitação para operação de transporte metropolitano ou para a qualificação dos que já trabalham na empresa.

      E não vamos nos esquecer que a dissolução da EMTU ficou para 2023 e que em 2022 tem eleições. Leia-se, se o Dória não for reeleito ou se ele escolher não concorrer, um outro candidato entra e sinplesmente barra ou reinstala a EMTU num piscar de olhos.

  2. DENILSON PJ disse:

    Concordo com o comentario acima do André,vamos torcer pra que seja o mais breve possível.
    Chega de serviço ruim.
    Espero que mudem até a cor dos ônibus.
    Quem anda de ônibus na capital SP e depois vai andar em outros municipios na grande sp onde existe a emtu sabe a diferença que tem de serviço prestado.
    Fora EMTU!!!

    1. Gabriel Pereira disse:

      Não vai ser “o mais rápido possível” por isso se tratar de uma decisão baseada em publicidade e não em qualquer merito técnico.

      O fato é que se o Dória realmente ligasse para transporte metropolitano, ele teria feito um estudo de viabilidade prévio e não esperado para faze-lo nos 45 do segundo tempo.

      No final das contas o que vai acontecer é: isso vai ser enrolado até 2022, um outro governador vai entrar e a primeira coisa que ele vai fazer é enterrar isso de vez.

  3. Sander disse:

    A minha dúvida é como vai por exemplo a pintura dos ônibus, a tarifa em quais garagens vai ficar os ônibus !

  4. JOAQUIM ROBERTO PEREIRA disse:

    A EMTU sempre privilegiou o transporte de corredores do abcd e São Mateus. Nem pontos de onibus foram construídos em Itap.da Serra/Embu das Artes. Nada foi feito para melhorar o transporte só muito gasto e tarifas caras para gerar esses sistema falido.

  5. ola artesp eu pedido sua ajuda meu abaixo assinado ficou um ano arquivado pela emtu sobre a alteração do intinerario linha 277 que o população de itaqua esta escassa de transporte intermunicipal e eu liguei para emtu fui nas duas sede dela a de são paulo e a de são bernado do campo pedi pelo amor de tudo que é sagrado pq o povo ta nessecitando desse intinerario eu falei para ele onde esta meu abaixo assinado os pessoal da sede da emtu de sp disseram que nao estava lá estava em são bernardo e fui pessoalmente lá em são bernardo e falaram que esta arquivado em são paulo quero saber o por que eles estão fazendo isso eu estou não só pedindo sua ajuda artesp mas estou implorando pq aquilo que eles fizeram foi muita falta de respeito não só comigo más também com os cidadão por favor preciso da sua ajuda estou implorando me chamo luciano de souza cardoso sou residente de itaquaquecetuba morado do bairro jd são paulo rua guapinama numero 200a esse é meu indereço por favor me ajuda

Deixe uma resposta