ANATRIP reforça pleito de entidades do transporte para que BNDES prorrogue prazo de dívidas de financiamento de empresas de ônibus

Entidade solicitou extensão de prazo por pelo menos 6 meses para que operadoras possam renegociar carteiras de financiamento das frotas de veículos

ALEXANDRE PELEGI

Seguindo Importantes entidades que representam o setor de transporte em todo o país, a Associação Nacional das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros (ANATRIP) solicitou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a extensão do prazo, por pelo menos 6 meses, da autorização concedida às empresas de ônibus para que possam negociar suas carteiras de financiamento das frotas de veículos.

Outras entidades já haviam se manifestado a respeito, como mostrou o Diário do Transporte.  Em carta encaminhada ao Banco, a ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos, a NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), FABUS (Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus) e o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Mobilidade Urbana, todas endossaram o pleito. Relembre: ANFAVEA, FABUS, ANTP e Fórum de Secretário de Transporte reforçam pedido da NTU ao BNDES para prorrogação da suspensão do pagamento de parcelas do Finame

Em ofício encaminhado ao BNDES, a ANATRIP solicitou o agendamento de uma reunião urgente e declarou que, sem o auxílio, as empresas vinculadas e as demais do setor rodoviário poderão fechar as portas.

A nossa recuperação ainda é lenta e, sem apoio do Governo Federal, nesse momento, muitas (empresas) poderão sucumbir na grave crise. Informamos que a ANATRIP gostaria do agendamento de uma reunião urgente para tratar desse assunto”, assinou o diretor executivo da Associação, Clayton de Freitas Vidal.

Em comunicado encaminhado ao Diário do Transporte, a associação informa que em junho deste ano apresentou ao BNDES um panorama sobre o cenário do setor de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros, “com algumas propostas de ajuda, que sofreu sérios impactos em razão da pandemia”.

Uma das alternativas propostas pela ANATRIP foi a negociação das carteiras de financiamento das frotas de veículos a critério da instituição Financeira Credenciada/Emissor, junto às Beneficiárias Finais, para prestações com vencimentos de abril a setembro de 2020.

Em seu comunicado a ANATRIP ressalta que o setor de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros ainda passa por grave crise. “Apenas 25% a 30% da redução de 90% do movimento de passageiros e faturamento foi recuperado, principalmente entre abril e maio”.

Como mostrou o Diário do Transporte, em março deste ano, no início da pandemia, a ANATRIP encaminhou à Presidência da República, ao Ministro da Economia e da Infraestrutura e ao Poder Legislativo um ofício solicitando que “o governo promova medidas para minimizar as perdas financeiras das empresas de transporte rodoviário interestadual. O setor pede a atenção do governo para que possam preservar 100 mil empregos diretos e 400 mil indiretos.” Em nota, a entidade disse que pedia a isenção de impostos por seis meses, a suspensão também por seis meses de pagamentos de parcelas do Finame (para contratos já firmados de compra de ônibus novos) e subsídios da ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres. Relembre: Associação de empresas de ônibus rodoviários pede impostos “zero” por seis meses para reduzir impactos da perda de passageiros por causa do coronavírus

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta