Marcopolo diz que unidade Rio continua operando, mas que possíveis alterações serão comunicadas

Publicado em: 4 de agosto de 2020

Parte da linha de produção da Marcopolo-Rio, em Duque de Caixas

Informação na última semana sobre fechamento da planta em Duque de Caxias e transferência da produção de urbanos para o Espírito Santo deixou mercado atento

ADAMO BAZANI

A Marcopolo informou por meio de nota oficial que a unidade do Estado do Rio de Janeiro segue operando de acordo com a demanda do mercado de ônibus, que está reduzida por causa dos efeitos econômicos da pandemia da Covid-19.

A nota foi uma resposta à solicitação do Diário do Transporte sobre informações de que a unidade seria fechada até o fim do ano.

De acordo com uma publicação da página “Ônibus , Minha Segunda Casa”, a produção de ônibus urbanos seria totalmente transferida para a planta localizada em São Mateus, no Espírito Santo, com fechamento em novembro da unidade Marcopolo Rio.

Em nota oficial, a fabricante de carrocerias diz que a unidade Rio está com as atividades produtivas “de acordo com a nova realidade do mercado brasileiro de ônibus, que caiu quase 43% no segundo trimestre deste ano”.

A resposta complementa dizendo que possíveis alterações vão ser comunicadas pela empresa.

“Com relação à sua solicitação referente à informação de que a Marcopolo vai transferir a produção de urbanos da Marcopolo Rio para São Mateus (ES) e fechar a unidade, a empresa informa que a fábrica da Marcopolo Rio segue em operação e vem mantendo o andamento de suas atividades produtivas, de acordo com a nova realidade do mercado brasileiro de ônibus, que caiu quase 43% no segundo trimestre deste ano. Quaisquer alterações serão comunicadas através dos canais oficiais da companhia.”

Nesta segunda-feira, 03 de agosto e 2020, o Diário do Transporte trouxe o balanço da Marcopolo referente ao terceiro trimestre, um dos mais impactados pela pandemia.

Em comparação com o mesmo período de 2019, houve queda de 98,6% no lucro líquido; de 30,1% na receita líquida e de 45,7% na produção.  A estimativa é que a recuperação comece em outubro, inicialmente pelo mercado externo.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/08/03/lucro-liquido-da-marcopolo-cai-986-no-segundo-trimestre-recuperacao-a-partir-de-outubro/

PLANTAS:

A planta do Rio de Janeiro é especializada em ônibus urbanos com origem na antiga Ciferal, tradicional encarroçadora  do Estado, fundada em outubro de 1955 pelo imigrante austríaco Fritz Weissman. Em maio de 1999, a Marcopolo comprou a parte da RJ Administração e Participações S.A. na Ciferal, correspondendo a 50% das ações. A RJ Participações era formada por cerca de 200 empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Em abril de 2001, a Marcopolo comprou a outra parte da Ciferal passando a controlar assim integralmente a companhia. O nome Ciferal, que era a sigla de Comércio e Indústria de Ferro e Alumínio, deixou de ser utilizado definitivamente em 2013, quando foi adotada a nomenclatura Marcopolo Rio.

A área física da Marcopolo Rio é de  211.846 m2 e a área construída: 74.484 m2.

Já a fábrica de São Mateus , no Espírito Santo, é bem mais recente, começando as atividades em 2014, para atendimento dos mercados das regiões Norte e Nordeste do País com os miniônibus da marca Volare, pertencente à Marcopolo S.A.  Em 2019, foi oficializada a produção de ônibus escolares e também de carrocerias urbanas da Marcopolo para chassis de motor dianteiro.

A área física da planta de São Mateus é de 822.000 m², com área construída de 65.547 m²

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes
Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Michele disse:

    Sabemos que a fabrica fecha em outubro. A empresa está esperando até o último dia para informar?

Deixe uma resposta