Mercedes-Benz comemora 125 anos da invenção do primeiro ônibus motorizado do mundo

Publicado em: 26 de julho de 2020

Benz Landauer, com oito assentos. Foto: Divulgação / Mercedes-Benz.

Produzido por Carl Benz, veículo conectou a cidade de Siegen, na Alemanha, com Netphen e Deuz

JESSICA MARQUES

O primeiro ônibus motorizado do mundo circulou há 125 anos. Em 1895, na Alemanha, o coletivo pioneiro conectou a cidade de Siegen com as localidades de Netphen e Deuz, em uma distância de aproximadamente 15 quilômetros.

O veículo foi produzido pelo engenheiro Carl Benz, fundador da montadora Mercedes-Benz. No dia 18 de março daquele ano, o ônibus cumpria o itinerário com um motor a gasolina de 5 hp e cilindro único.

Por conta do feito, a fabricante proporcionou uma viagem no tempo. A montadora detalhou os passos que foram dados desde o primeiro ônibus do mundo até os chassis fabricados nos tempos atuais.

Conforme informado pela Mercedes-Benz, em nota, o primeiro ônibus do mundo concluiu essa viagem em uma hora e 20 minutos. Oito passageiros estavam a bordo e no ponto mais íngreme todos tiveram que sair e empurrar.

“Mais tarde, novas rotas foram criadas e, a partir de 1898, veículos feitos por Gottlieb Daimler também já estavam sendo utilizados. No primeiro serviço operado regularmente na Alemanha, cinco veículos de Daimler foram usados. Nos anos seguintes, um grande número de rotas de ônibus entrou em operação na Alemanha e na Europa”, detalhou a Mercedes, em nota.

Os Correios desempenhavam um papel-chave em vendas na Alemanha a partir de 1905. Naquele ano, a empresa abriu sua primeira rota nacional usando veículo a motor, um ônibus Daimler com um respeitável propulsor de 28 hp. Como novidade, os passageiros podiam admirar a vista pelas grandes janelas.

nibus com propulsor de 28 hp - 1905

ÔNIBUS EM CHASSI DE CAMINHÃO

Ainda de acordo com a fabricante, em 1925, as tecnologias de ônibus e caminhões começaram a seguir por rotas separadas. Antes disso, as carrocerias de ônibus sempre foram montadas em chassi de caminhão, ou seja, os passageiros tinham que subir um degrau bem alto ao entrar.

A Mercedes-Benz detalha que a solução veio com o “ônibus baixo”, fabricado em Gaggenau pela Benz a partir de 1925. O veículo tinha um piso com somente 670 milímetros em relação ao solo.

Depois da fusão da Daimler Motoren Gesellschaft (DMG) com a Benz & Cie, formando a Daimler-Benz AG em 1926, foi criada outra marca que ressaltando o que havia em comum entre as duas empresas. Assim, a coroa de louros do símbolo veio da Benz e a estrela de três pontas da DMG.

ALTA VELOCIDADE

Na primavera de 1927, a Daimler-Benz lançou seu portfólio comum de ônibus. Em 1928, a nova empresa colocou seu primeiro ônibus de produção em série em uma viagem promocional – o N 56 de três eixos.

Nos anos 1930, as novas estradas “Autobahn” da Alemanha possibilitaram o prenúncio do ônibus de alta velocidade para rotas de longa distância e para o turismo: o LoP 3100.

LoP 3100

“O conforto era a chave, com a introdução de bancos cômodos e reclináveis, juntamente com sistemas de aquecimento e ventilação. Um motor diesel de 95 hp equipava o LoP 3100, ônibus rodoviário de médio porte e 22 poltronas que atingia velocidades até 115 km/h. Ainda nos anos 1930, os primeiros ônibus de dois andares chegaram às cidades. Eram construídos sobre o robusto chassi O 10.000 de três eixos da Mercedes-Benz”, detalhou a fabricante, em nota.

Depois da Guerra, os recursos ficaram escassos e as fábricas estavam em ruínas. Até março de 1948, a Daimler-Benz já tinha redesenhado o Mercedes-Benz O 4500, que se caracterizava por seu nariz “bicudo”.

A empresa tinha lançado esse ônibus em 1941. De 1943 a 1945, cerca de 300 unidades do O 4500 saíram da linha de produção na fábrica de Gaggenau.

O 4500

REINÍCIO EM 1949

Como primeiro novo design desde a Segunda Guerra Mundial, o compacto ônibus “bicudo” da Mercedes-Benz, modelo O 3250, foi lançado em maio de 1949. Ao final do ano, ele entrou em produção em série como O 3500, já seguido pelo bicudo O 6600 de grande porte em 1950.

Em 1951, a Mercedes-Benz apresentou o modelo O 6600 H: o futuro havia chegado sob a forma de motor traseiro. Com esse passo, o ônibus já tinha então seu próprio chassi, diferente dos caminhões.

30 MIL UNIDADES VENDIDAS

O passo decisivo seguinte veio em 1954, quando o Mercedes-Benz O 321 H apresentou uma grade peculiar no estilo do lendário automóvel esportivo 300 SL, segundo a fabricante.

O 321 H

“Este ônibus foi o mais popular de seus dias, com mais de 30 mil unidades vendidas. Ele era produzido na fábrica de Mannheim, que pouco antes tinha assumido a responsabilidade de ser a única fábrica de ônibus do Grupo.”

Em 1956, o modelo O 319 entrou em produção em série usando como base a van L 319, para tornar-se o precursor dos micro-ônibus de hoje. O motor de 4 cilindros era instalado na parte dianteira, economizando espaço interno.

L-O 319

Também de acordo com a Mercedes-Benz, o veículo oferecia entre 10 e 18 assentos e esteve disponível como ônibus de serviço regular e como ônibus rodoviário com janelas que iam até a borda do teto.

Em meados dos anos 1960, chegou ao mercado o ônibus de turismo Mercedes-Benz O 302, com uma variedade de versões de comprimento e de especificações técnicas.

Vor 125 Jahren: erster Omnibus mit Verbrennungsmotor von Benz & Cie. 125 years ago: First bus with combustion engine from Benz & Cie.

O veículo chegou a mais de 32 mil unidades produzidas. Esse ônibus foi um verdadeiro multifuncional, atendendo também o transporte urbano e interurbano.

Em 1967, a Daimler-Benz lançou o ônibus urbano O 305 e o rodoviário O 307. A chegada do articulado O 305, em 1977, trouxe um avanço técnico: o motor na traseira e o terceiro eixo, uma revolução técnica e o conceito para os articulados até hoje. A família O 305 atingiu o respeitável número de vendas de 24 mil unidades até 1987.

 

 

Vor 125 Jahren: erster Omnibus mit Verbrennungsmotor von Benz & Cie.125 years ago: First bus with combustion engine from Benz & Cie.

ANOS 70 E 80

Em 1974, o Salão de Paris foi o palco para o lançamento do ônibus de turismo Mercedes-Benz O 303. O modelo seguiu em estilo seu predecessor, O 302, mas com um design redefinido.

O 303

“O passo seguinte rumo ao ônibus rodoviário de luxo foi dado a partir de 1979, com o O 303 high-deck para longos percursos. A modernização em andamento garantia a esse modelo Mercedes-Benz itens como freios ABS, controle de tração ASR, sistema eletropneumático de mudança de marchas com joystick e transmissão automatizada. Cerca de 38 mil unidades do O 303 foram produzidas até 1992.”

Em 1984, foi lançado o ônibus urbano O 405, que se caracterizava pelo piso baixo, a fim de permitir acesso mais confortável aos passageiros. Em 1989, o modelo O 405 N surgia com piso baixo estendendo-se até o eixo traseiro, iniciando uma nova era no design de ônibus urbanos.

ANOS 90

O Mercedes-Benz O 404, lançado em 1991, veio suceder o ônibus O 303. Na época, o modelo contava com um sistema de aquecimento e ventilação, assim como itens como suspensão independente no eixo dianteiro e freios a disco em todas as rodas.

O 404

O portfólio de ônibus rodoviários recebeu em 1992 o O 340, precursor da família Tourismo de hoje, que foi disponibilizado como ônibus high-deck com comprimento de 12 metros. Dois anos depois, foi lançado o O 350 Tourismo, também high-deck, com design de linhas dinâmicas e que logo atingiu o topo de vendas, ainda segundo a fabricante.

“Em fevereiro de 1995, quase 100 anos depois de Carl Benz ter inventado o ônibus motorizado, o Grupo fundiu sua linha de produtos com a Divisão de Ônibus Setra da empresa alemã Kässbohrer, formando a subsidiária EvoBus GmbH. As marcas Mercedes-Benz e Setra continuam a ser comercializadas individualmente até hoje.”

Em 1997, um Mercedes-Benz O 405 apresentando o primeiro sistema de célula de combustível do mundo para um ônibus de serviço regular foi denominado NEBUS (New Electric Bus).

As pilhas disponibilizavam até 250 kW e convertiam hidrogênio em energia elétrica para mover o ônibus urbano. O NEBUS não emitia quaisquer poluentes: do tubo de escapamento só saía vapor de água.

A Conferência e Exposição 1997 da UITP (Associação Internacional do Transporte Público), em Stuttgart, na Alemanha, viu a estreia mundial da nova geração do Mercedes-Benz Citaro de piso baixo.

Lançado em 1999, o novo ônibus de turismo Mercedes-Benz Travego high-deck era mais espaçoso, apresentava um banco do motorista novo, com um “joystick” substituindo a alavanca de câmbio tradicional.

“Os freios a disco em todas as rodas e o sistema eletrônico de freios (EBS) aumentaram os níveis de segurança. Um ano depois de sua introdução, a Mercedes-Benz deu a seu líder de inovações em segurança sistemas como o Piloto Automático Adaptativo (Adaptive Cruise Control), Assistente de Faixa (Lane Assist) e o limitador contínuo de freios (DBL), bem como o Programa Eletrônico de Estabilidade (ESP)”, detalhou a fabricante.

OUTROS MODELOS 

Com quatro eixos, o ônibus articulado de quatro portas e motor Euro 4, o CapaCity de 19,54 metros abriu, em 2005, um novo capítulo na história dos ônibus urbanos de alta capacidade de passageiros.

Em 2006, o ônibus rodoviário Travego Safety foi lançado, com base na segunda geração desse modelo high-deck, do ano anterior.

Nos anos seguintes, o Travego recebeu mudanças: em 2008, estreou o “Active Brake Assist”, primeiro sistema de frenagem automático do mundo para ônibus.

Além disso, em 2012, o Travego Edição 1 foi o primeiro ônibus de turismo a atender à rigorosa norma de emissões Euro 6. Em 2014, o Travego recebeu o sistema de piloto automático com controle preditivo do trem de força.

O Tourismo foi lançado em 2006 como sucessor do ônibus de turismo high-deck de maior sucesso na Europa naqueles anos, segundo a Mercedes-Benz.

No mesmo ano, foram produzidos os miniônibus da marca. Agora ocupando a fábrica de Dortmund, a Minibus GmbH utilizou uma versão da Linha Sprinter como oportunidade para lançar um portfólio.

Com a Sprinter Transfer multifuncional, a Sprinter Travel de turismo, o ônibus urbano Sprinter City e a Sprinter Mobility para passageiros com mobilidade reduzida, esses miniônibus estabeleceram novos padrões para suas categorias.

CITARO

O novo Citaro foi lançado em 2011. Além de alterações no design, o ônibus urbano apresentou pela primeira vez o programa eletrônico de estabilidade ESP, assim como o sistema de segurança passiva “Front Collision Guard”.

“Um grande número de medidas serviu para reduzir o consumo de combustível e, portanto, também de emissões. Apenas um ano depois, ele se tornou o primeiro ônibus urbano de produção em série a atender à norma Euro 6. Posteriormente, a Mercedes-Benz também acrescentou o ônibus de alta capacidade CapaCity ao portfólio, bem como o ainda mais espetacular CapaCity L de 21 metros para sistemas BRT”, detalhou a fabricante.

VIAGENS AUTÔNOMAS

Em 2016, o Mercedes-Benz Future Bus com CityPilot se tornou o primeiro ônibus urbano do mundo a realizar viagens autônomas em situações reais de trânsito. O ônibus, com um design espetacular, se baseou no Citaro. O único papel do motorista era monitorar o sistema.

A fabricante também apresentou o novo Tourismo high-deck em 2017, com vendas de cerca de 26 mil unidades.

“Com aerodinâmica superlativa e a mais recente geração de motores com pacote de eficiência, a Mercedes-Benz mais uma vez reduziu o consumo e as emissões. O conceito high-deck manteve seu apelo: em 2019, a Mercedes-Benz forneceu seu 30.000º Tourismo depois de 25 anos de produção”, detalhou a fabricante.

Em 2018, ocorreu a estreia mundial de três novos sistemas de assistência em 2018. O Active Brake Assist 4, queaciona uma frenagem de emergência para evitar colisão com veículos à frente e obstáculos parados e avisa o motorista do risco de colisão com pedestres e ativa uma frenagem parcial.

Além disso, a Mercedes-Benz passou a oferecer o sistema de proteção lateral, o “Sideguard Assist” com reconhecimento de pedestres. O equipamento avisa se pedestres ou obstáculos estáticos forem detectados, ajudando a evitar acidentes.

“A Mercedes‑Benz fornece esse recurso em todas as versões de seus ônibus urbanos Citaro até mesmo para os ônibus de alta capacidade CapaCity e para o Tourismo.”

Por sua vez, com o Assistente Preventivo de Frenagem, a Mercedes-Benz também introduziu o primeiro sistema de assistência ativo de frenagem para ônibus urbanos de serviço regular em 2018.

Neste caso, o sistema avisa o motorista de uma possível colisão com pedestres, bem como com objetos estacionários ou móveis. No caso de grave risco de colisão, dá início a uma aplicação parcial dos freios.

Em 2018, foi realizado também o lançamento de uma geração completamente nova de micro-ônibus, baseada na Sprinter da Mercedes-Benz. Novamente, o portfólio foi dividido entre os modelos Sprinter City, Sprinter Transfer, Sprinter Mobility e Sprinter Travel.

Na Europa continental, o foco de 2018 era, acima de tudo, o eCitaro da Mercedes-Benz totalmente elétrico. O modelo faz parte da família Citaro, que chegou a 55.555 unidades vendidas em 2019.

eCitaronull

“O eCitaro provocou uma ofensiva em inovações no mundo da eletromobilidade. Para 2020, há planos de passar à próxima geração de baterias com maior capacidade e maior autonomia, que constitui a base do novo ônibus articulado eCitaro D. Como alternativa, o eCitaro G também estará disponível com baterias em estado sólido – um avanço pioneiro não só na fabricação de ônibus, mas no campo de engenharia automotiva como um todo”, detalhou a fabricante.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. orlando silva disse:

    pena mesmo não citar as dezenas de variações dos modelos 0-360-0362 e 0370 e outros, de grande sucessos de venda aqui no Brasil

  2. Alessandro disse:

    Quem entende de carros, Mercedes Audi BMW todos nessa história sempre a frente.

Deixe uma resposta