Linha 12 Safira da CPTM tem tempo de viagem reduzido em dez minutos por sentido

Publicado em: 1 de julho de 2020
Trem da linha 12

Linha 12-Safira tem origem na Central do Brasil

Medida foi anunciada pelo diretor de Operação e Manutenção da CPTM, Luiz Eduardo Argenton; e pelo gerente de Manutenção de Via Permanente e Estrutura Civil da CPTM, Sérgio Luís Silva

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

A linha 12-Safira da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos terá o tempo de trajeto reduzido em dez minutos, passando de 62 para 52 minutos.

A medida foi anunciada na tarde desta quarta-feira, 01º de julho de 2020, pelo diretor de Operação e Manutenção da CPTM, Luiz Eduardo Argenton; pelo assessor do diretor de operações, Sérgio Barbosa e pelo gerente de Manutenção de Via Permanente e Estrutura Civil da CPTM, Sérgio Luís Silva, em entrevista aos portais de mobilidade Diário do Transporte e Via Trólebus.

Para isso, foram realizados ajustes e feitas obras de melhorias.

Segundo os executivo, a linha é sinuosa e a velocidade tinha de ser reduzida em vários trechos. Foi feito trabalho juntamente com prefeitura de São Paulo e as galerias pluviais foram ajustadas, permitindo assim um realinhamento nos trechos.

Além disso, entre Ermelino Matarazzo e São Miguel Paulista tinha passagem de nível e ao lado, uma passagem subterrânea subaproveitada

A subprefeitura da região ajustou iluminação dessa passagem  subterrânea e CPTM  fez as melhorias de acesso.

As placas de sinalização de velocidade tiveram as posições readequadas. Os executivos explicaram que até então, os maquinistas freavam muito antes do trecho necessário para a velocidade menor. Por meio de estudos de engenharia, foi verificado que daria para desacelerar em espaços menores.

Não houve contrato à parte para as obras, sendo utilizada mão de obra própria.

Segundo a estatal, outras obras que estão sendo realizadas, como nas proximidades das estações São Miguel Paulista e Calmon Viana, podem futuramente gerar nova redução no tempo de viagem.

A linha 12 da CPTM liga o município de Poá, na Grande São Paulo, onde está a estação Calmon Viana à estação Brás, na capital paulista, passando por Itaquaquecetuba, na região metropolitana.

São 13 estações e uma extensão atual de 39 km aproximadamente.

A ligação faz conexão ao longo do trajeto com ônibus urbanos municipais e metropolitanos e com as linhas 13 Jade da CPTM (Luz/Aeroporto), 3-Vermelha do Metrô (Barra Funda/Itaquera), 11 Coral da CPTM (Luz/Estudantes-Mogi das Cruzes), 7 Rubi da CPTM (Jundiaí/Francisco Morato/Luz Brás) e 10 Turquesa (Brás/Rio Grande da Serra).

As estações são: Brás (São Paulo), Tatuapé (São Paulo),Engenheiro Goulart (São Paulo),  USP Leste(São Paulo), Comendador Ermelino (São Paulo), São Miguel Paulista (São Paulo), Jardim Helena–Vila Mara (São Paulo), Itaim Paulista (São Paulo), Jardim Romano (São Paulo), Engenheiro Manoel Feio (Itaquaquecetuba), Itaquaquecetuba (Itaquaquecetuba), Aracaré (Itaquaquecetuba), Calmon Viana (Poá)

A ligação é tradicional na Grande São Paulo.

Trem da linha F em Engenheiro Goulart, seguindo no sentido da Brás. Foto: Adriano Martins, em 07/09/2006. – Pulicada no site: https://www.estacoesferroviarias.com.br/

Fundado em 1934, o primeiro trecho correspondente à linha 12 era chamada Variante Poá da Central do Brasil. Em 1975, a operação passou a ser de responsabilidade da RFFSA – Rede Ferroviária Federal S.A. No ano de 1984, assumiu a operação a CBTU – Companhia Brasileira de Trens Urbanos. A partir de 1994, foi repassada à CPTM, sendo denominada como linha F–Violeta. No ano de 2008, ocorreu a mudança efetiva de nome para 12-Safira.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira, em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta