Curitiba está ‘pagando pelos lugares vazios em ônibus’, diz prefeito

Segundo Rafael Greca, é uma ação para evitar a lotação nos veículos

WILLIAN MOREIRA

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, comentou sobre a atual situação do transporte no município e atividades econômicas. A publicação foi feita em resposta a comentários repetidos que vêm sendo feitos por parte da população.

Estou pagando pelos lugares vazios para que os ônibus funcionem com 50% da lotação. Estou indo ao Palácio do Governo pedir ao Governador que faça a mesma coisa que a Urbs, é o nosso entendimentoNa ocasião, Greca disse que “Curitiba está pagando pelos lugares vazios”. O prefeito também pede que os passageiros do transporte coletivo, se possível, aguardem o próximo ônibus para evitar aglomerações e que vem adotando medidas para evitar a lotação.

“Mas você me empurra para um ônibus cheio de gente. Não. Eu te peço que espere o próximo ônibus”, disse Rafael Greca.

O prefeito detalhou que vem pagando os lugares vazios que atualmente os ônibus têm circulado nos ônibus, para que sejam operados com 50% da capacidade máxima, pedindo ao Governo do Estado do Paraná, por meio da Comec, que adote a mesma ação para o transporte na região metropolitana.

Estou pagando pelos lugares vazios para que os ônibus funcionem com 50% da lotação. Estou indo ao Palácio do Governo pedir ao Governador que faça a mesma coisa que a Urbs, é o nosso entendimento,” completou o prefeito.

Segundo Greca, os shoppings fecham aos sábados e domingos, para que nos dias de menor movimento nestes estabelecimentos (dias úteis), eles estejam abertos para as pessoas trabalharem e que supermercados que registraram lotação sem o devido controle, foram fiscalizados e fechados.

“Se todos juntos somarmos, vamos superar essa hora pesada e difícil”, finalizou o gestor do município.

Confira o vídeo, na íntegra:

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Laurindo Martins Junqueira Filho disse:

    Q beleza! Erundina fez o mesmo em SP nos anos 1990. Os ônibus saíam das garagens, davam voltas com a placa “Recolhe” pela cidade e recebiam pelos lugares ofertados. O subsídio de Curitiba montava a 40% do total. E agora, vai a quanto?

  2. Marcos Borges disse:

    Essa idéia de “só passageiros sentados” só dá certo em ônibus interestaduais. Em ônibus urbanos,é impossível dar certo.Esse prefeito de Curitiba se inspirou no prefeito daqui de SP, pra tocar essa ideia mirabolante por lá.

Deixe uma resposta