Mercedes-Benz inicia testes da tecnologia Euro 6 para ônibus em São Bernardo do Campo

Publicado em: 12 de maio de 2020

Chassi foi montado na área de protótipos da fábrica de São Bernardo do Campo. Foto: Redes sociais.

Protótipo adaptado possui carroceria Busscar Vissta Buss 360

JESSICA MARQUES

A Mercedes-Benz informou ao Diário do Transporte que deu início aos primeiros testes funcionais e de durabilidade da tecnologia Euro 6 para ônibus. O protótipo adaptado da Engenharia possui carroceria Busscar Vissta Buss 360.

Na última semana, uma foto do veículo começou a circular nas redes sociais. Em nota, a fabricante confirmou que o chassi “foi montado na área de protótipos da fábrica de São Bernardo do Campo para atender à legislação futura”.

Além disso, a fabricante reforçou que, quando chegar o momento, a Mercedes-Benz estará preparada para atender às novas normas de emissões.

WhatsApp Image 2020-05-06 at 18.20.43 (1)

De acordo com o Proncove P8 (programa brasileiro de controle de emissões de poluentes para veículos comerciais pesados), os fabricantes de caminhões e ônibus do Brasil obrigatoriamente terão que adotar motorização com sistemas de pós-tratamento Euro 6 a partir de 2023.

A definição foi aprovada pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) em 2018.

Ao Diário do Transporte, o presidente da Mercedes-Benz e CEO América Latina, Philipp Schiemer, havia informado no início do ano que a fabricante já estava trabalhando nesta tecnologia.

Relembre: Mercedes-Benz confirma nova linha para ônibus e lançamento de modelo em 2020

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. marcelo da silva disse:

    Parabéns à MB por estar na fase de testes dessa nova tecnologia.

    Só uma correção: a carroceria é Vissta Buss DD

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    MBB, com todo respeito.

    Acelera, esquece EURO-6.

    Vai diretão pro e-Citaro-BR e para a e-Sprint-BR com portas automáticas nas duas laterias.

    Sei que os alemães são ótimos de mecânica, mas o Diesel já era né, pelo menos para os buzões.

    Reflitam e pau na máquina e-Citaro-BR e e-Sprinter-Br na cabeça.

    Ajudem o BarsiLei mais uma vez.

    Ahhhhhhhhhhhhhhhh e não esqueçam, a BYD já está estabelecida no BarsiLei.

    Dêm um toque brasileiro no Deutsch marketing.

    O COVID-19 acelerou tudo, o mundo mudou acelerou; esqueçam o EURO VI, o COVID-19 avançou o mundo.

    Até buzão em Sampa passou a ser limpo.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão”

  3. ZéTros disse:

    Paulo, bom dia,

    Desculpa desapontá-lo, mas a primeira pergunta que vc tem que se fazer é: quem vai comprar?. Não esqueça que na Europa estão em vigor as normas Euro 6. Se na Europa é Euro 6, pq aqui a Mercedes iria esquecer o Euro 6 e partir “diretão pro e-Citaro” ?.

    Mais uma vez eu te digo, esqueça o e-Citaro no Brasil. Nem os empresários e nem os gestores brasileiros estão preparados para essa conversa. Até pq a Mercedes encerrou a fabricação de monoblocos no Brasil e nem linha de montagem teria pra fabricar carroceria própria.

    ZéTros

  4. Paulo Gil disse:

    ZéTros, bom dia.

    Que bom lê-lo aqui no DT, novamente.

    Você tem razão.

    Mas a BYD já está aqui e há muitas notícias no DT de aquisições de buzão verde.

    Talvez eu seja um pouco acelerado, mas observe que o COVID-19 veio acelerar muitas coisa, até o desembaraço de mercadorias pela receita federal no aeroporto de Viracopos em Campinas S.P. foi otimizado.

    Destaco, otimizado e não relaxado; bem como muitas outras operações foram otimizadas, saindo das cerimônias desnecessária, indo direto ao ponto.

    Buzões de Sampa passaram a ser limpos; eu estou trabalhando em home office.

    Sinceramente, na minha opinião, não fazem o e-Citaro-BR e a e-Sprinter-BR, simplesmente porque não querem e por causa do diário desperdício do dinheiro do contribuinte que continua firme e forte.

    Lembrando que a e-Sprinter-BR tem de ter duas portas traseiras automáticas e ser com câmbio automático.

    Veja em Sampa, o AERO-BOMBA (Monotrilho Linha Prata) paradão, o da zona sul de Sampa também inacabado ainda, o VLT de Cuiabá, o metro de Salvador que levou mais de 20 anos para ficar pronto (se é que está totalmente pronto) Usina de Belo monte e todo o resto do desperdício diário do dinheiro do contribuinte, sem contar o novo MENSALÃO, o “COVIDÃO” (como diz um amigo meu) comprando até respirador com defeito sem licitação.

    LEMBRANDO QUE DINHEIRO PÚBLICO NÃO EXISTE, EXISTE DINHEIRO DO CONTRIBUINTE.

    Isso que nós sabemos, imagina o que esta debaixo do tapete.

    Com essa dinheirama toda dava pra fazer uma fabrica de eCitaro e e Sprinter BR´s e subsidiar as compras e todos estaríamos respirando melhor.

    Isto é o que eu penso, embora respeite e entendo sua opinião.

    Mas por irmos sempre na linha como trem é que o BARSILei não decola.

    NADA MUDA NO BARSILei.

    SAÚDE A TODOS!

    Forte abraço e apareça mais vezes, aprendo muito com suas informações técnicas.

    Seus comentários enriquecem o DT tecnicamente, não suma não.

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção pe a Paixão”

  5. ZéTros disse:

    Olá Paulo,

    Entendo. Na verdade não fazem o e-Citaro e a e-Sprinter pq ainda não há uma demanda que justifique tal investimento e não por causa do desperdício de dinheiro público. Haja vista que a Mercedes é uma multinacional privada e não uma estatal. Infelizmente, ônibus elétrico no Brasil ainda é um produto de nicho bem restrito.

    Por outro lado, concordo que poderia haver um subsidio para veículos verdes, como há no Uruguai, mas nesse caso não precisaria ser o e-Citaro, já que a Mercedes tem chassis padrons aqui, tem a Eletra que tem know-how em ônibus elétricos e juntas já desenvolveram alguns produtos aqui no Brasil, com os da Metra, por exemplo. Veja nos links:

    https://www.eletrabus.com.br/2016/12/12/eletra-fornece-sistema-de-tracao-para-onibus-100-eletrico-da-ufsc-universidade-federal-de-santa-catarina/
    https://www.eletrabus.com.br/eletrico-puro/ebus-eletrico-puro-18m-metra/
    http://www.eletrabus.com.br/es/dualbus/dual-bus-low-entry-23m-metra/
    https://diariodotransporte.com.br/2019/11/02/governo-do-uruguai-subsidiara-operadoras-de-transporte-coletivo-na-compra-de-onibus-eletricos/

    Vc citou a BYD como exemplo, porém ela faz um produto de nicho. Veja a quantidade de cabritos e padrons a diesel que vende a Mercedes, VW, Volvo e Scania e compare com as vendas da BYD.

    Enquanto as “otoridades” municipais anunciarem a “compra” de OF-1721 para a população das cidades achando que estão trazendo tecnologia de ponta, a BYD vai continuar tendo um produto de nicho.

    Com relação à Sprinter, há estudos para a vinda da e-Sprinter, assim como o câmbio automático. Referente às portas automáticas, há no mercado diversas empresas especializadas na conversão de porta manual pra automática. Como essas aqui:
    https://www.grupoautomatiza.com/
    https://www.youtube.com/watch?v=yWI9U201uzI
    https://www.youtube.com/watch?v=-dKUh3zh2Zk

    Abraço,

    ZéTros

Deixe uma resposta