Metrô de São Paulo vai conceder os nomes das estações para exploração publicitária

Publicado em: 29 de abril de 2020

Marcas poderão ser associadas a estações do Metrô

Prática se tornou comum com estádios na Copa do Mundo e com casas de espetáculos

ADAMO BAZANI

As estações do Metrô de São Paulo terão os nomes concedidos para exploração publicitária.

A estatal publicou nesta quarta-feira, 29 de abril de 2020, aviso de licitação para criar a modelagem técnica e econômica de como será essa concessão: “Subsidiar o desenvolvimento de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica para concessão oneroso do direito de exploração dos nomes das estações existentes da Companhia do Metrô (Naming Rights).”

O modelo de Naming Rights consiste na concessão do direito de associar uma marca ou produto a algum evento ou local.

No Brasil, a prática se tornou muito comum com casas de espetáculos e estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014, que tiveram os nomes associados a marcas de patrocinadores e empresas responsáveis pelos empreendimentos.

A licitação não é para a concessão direta dos nomes, mas para a definição de como será feira essa concorrência.

O edital vai estar disponível a partir desta quinta-feira, 30 de abril de 2020, e as entregas das propostas para modelagem no dia 14 de maio, por pregão eletrônico.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Sabe, essa é uma coisa que me deixa muito “P” da vida.

    Com certeza o Metro tem seu corpo jurídico ou um escritório que presta serviços jurídicos; bem como toda e qualquer prefeitura tem.

    Se esses estudos dessem certos, já teríamos tudo funcionando AERO-BOMBA, AERO-ABC, AERO-ZONA SUL, CONCESSÃO DOS TERMINAIS, CORREDORES DE BUZÃO HIGH TECH E INTELIGENTES, MODELOS DE CONCESSÃO DE BUZÃO INTELIGENTE e todo o resto.

    Portanto, essas contratações de estudos para fazer o óbvio não passam de mais um desperdício de dinheiro do contribuinte.

    É só abrir um Edital Inteligente (não se esqueçam desta especificação importantíssima – o Edital tem de ser inteligente), se não for inteligente NÃO DARÁ CERTO nem com estudos prévios,

    E pronto é só fazer um Edital de licença de uso de marca sem exclusividade e pronto.

    Quem tiver interesse e for legalmente habilitado, contrata e pronto.

    Apesar que eu tenho quase certeza que não dará certo; pois não é atividade fim do Metro licenciar marcas.

    E para tal tem de ter habilidade comercial e de gestão, duas habilidades que o poder público não tem.

    Mas enfim é isso, mais um desperdício do dinheiro do contribuinte.

    MUDA BARSILei !

    SAÚDE A TODOS !

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta