Sindicato afirma que 175 funcionários do transporte por ônibus em São Paulo podem estar com o coronavírus

Levantamento realizado pelo SindMotoristas aponta que quatro mortes por Covid-19 já foram confirmadas

WILLIAN MOREIRA

Pelo menos 175 rodoviários do transporte coletivo da capital paulista podem estar com Covid-19 e ao menos 15 óbitos podem ter sido em decorrência desta doença. Os números foram divulgados nesta segunda-feira, 20 de abril de 2020, por meio de um levantamento realizado pelo SindMotoristas, que representa os funcionários do transporte coletivo de ônibus na cidade de São Paulo.

De acordo com o sindicato, dos 175 casos suspeitos, 27 já foram confirmados e das 15 mortes investigadas, quatro também foram confirmadas como resultado do novo coronavírus.

Além disso, o SindMotoristas informou que enviou notificações ao Poder Público e às empresas de ônibus sobre a necessidade de adotar medidas de prevenção aos riscos que os motoristas e cobradores estão expostos e a disponibilização de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Em nota divulgada para a imprensa, o presidente do SindMotoristas, Valdevan Noventa, disse que muito já foi feito para chamar a atenção para o problema, mas os riscos têm sido ignorados pelos responsáveis.

“Já fizemos o possível e o impossível para chamar atenção do Poder Público e das empresas para se sensibilizarem e oferecem o mínimo de proteção aos trabalhadores. É inadmissível que esse cuidado seja protelado. Eles estão lidando com vidas e isso não é uma brincadeira.”

Atualmente, na cidade de São Paulo, medidas como higienização dos coletivos, máscaras para motoristas e álcool em gel foram disponibilizados, entretanto é possível notar profissionais sem o EPI de proteção.

O Diário do Transporte pediu um posicionamento da SPTrans sobre os números informados pelo sindicato.

Segue a nota:

“A Prefeitura de São Paulo adotou uma série de medidas para que motoristas, cobradores e passageiros do sistema de transporte público da capital se previnam contra o novo coronavírus causador da Covid-19. O uso de máscara para quem precisa se deslocar passou a ser recomendado, além de tomar a vacina contra Influenza, com o reforço de cuidados pessoais como lavagem das mãos a cada viagem realizada.

Como medida de prevenção, as empresas estão autorizadas a usar cortinas em formato de “L” nos postos dos motoristas para evitar o contágio pelo novo coronavírus. A SPTrans também sinalizou a distância de 1 metro entre os usuários nas plataformas para aguardar o embarque nos terminais.

A equipe técnica da SPTrans acompanha o movimento dos passageiros e adequa a frota de ônibus para atender a demanda da população. As informações de mudanças de linhas, funcionamento dos postos e recomendações podem ser acessadas no http://www.sptrans.com.br/covid-19.

A Secretaria Municipal da Saúde não divulga informações sobre casos específicos de pacientes, sejam eles suspeitos ou confirmados, de infecção por coronavírus.
A SMS mantém o sigilo médico e tem como objetivo manter a privacidade dos pacientes e familiares, preservando a identidade em todos os casos.

A pasta informa que o boletim oficial com as atualizações epidemiológicas pode ser encontrado no site: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/doencas_e_agravos/coronavirus/index.php?p=295572

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta