Campinas publica decreto confirmando paralisação do transporte público a partir desta segunda, 23

Publicado em: 22 de março de 2020

Imagem da live deste sábado, 21, quando o prefeito Jonas Donizette anunciou a quarentena em Campinas.

Secretaria de Transportes deverá garantir atendimento mínimo à população, principalmente para pessoas que trabalham em atividades essenciais

ALEXANDRE PELEGI

Como adiantou o Diário do Transporte na noite deste sábado, 21 de março de 2020, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, em pronunciamento ao vivo pelas redes sociais, anunciou que a cidade do interior paulista entrará em quarentena a partir da próxima segunda-feira, 23.

Em edição extra do Diário Oficial do Município neste domingo, 22, a prefeitura publicou o Decreto, que explicita em seu artigo 4º que durante a quarentena ficará interrompido o serviço regular de transporte público municipal, “devendo a Secretaria de Transportes garantir atendimento mínimo à população”.

A Secretaria deve especificar quais serão as medidas que serão adotadas e o funcionamento das linhas emergenciais.

Carlos José Barreiro, titular da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), informou ao Diário do Transporte na manhã deste domingo que sua pasta está fechando o plano de atuação emergencial que regerá o transporte na cidade durante a quarentena.

Segundo afirmou o prefeito na noite de ontem, “haverá o mínimo possível de ônibus na rua”. Isso porque tem havido muitos casos em que os ônibus rodam lotados. Ele explicou que a medida é necessária porque durante a semana, em alguns horários, “mesmo a gente colocando ônibus a mais, teve ônibus que estava com excesso de pessoas”.

Como mostrou o Diário do Transporte também neste sábado, 21, o Governador João Doria decretou período de quarentena a partir da próxima terça-feira, 24, em todos os 645 municípios paulistas. Campinas, portanto, antecipou em um dia. Relembre: Doria decreta quarentena nos 645 municípios do estado a partir de terça-feira, 24. Na noite de sábado, o presidente Jair Bolsonaro, em entrevista à CNN Brasil, criticou a medida. “[Doria] é um lunático. Está fazendo política em cima deste caso”.

O uso do transporte público, segundo o prefeito afirmou na transmissão ontem, só será liberado em caso de necessidade, ou seja, para a locomoção de pessoas que trabalham com atividades essenciais. “Por que vamos deixar o esquema emergencial? Porque tem o funcionário do mercado, funcionário da farmácia, funcionário do posto de gasolina que vai precisar da condução para trabalhar“, explicou o prefeito.

decreto_campinas


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Laurindo Martins Junqueira Filho disse:

    O direito de ir e vir é estabelecido na Constituição, em seu Art. 5o. O Direito ao transporte coletivo (e público) é estabelecido no Art. 30, V. A gratuidade para os idosos maiores q 65 anos é garantida constitucionalmente. Não cabe ao Município decidir sobre isso. O Prefeito do P pode estar arrumando prá sua própria cabeça, com todo o respeito!

  2. Fe Silva disse:

    Na situação que nos encontramos tem que ter mudanças drásticas… Sou motorista de ônibus, estamos expostos e sem proteção, temos famílias e mais uma vez digo, estamos expostos e sem proteção, agora é momento de nos unirmos para reduzir o numero de contagio, fazer a nossa parte, pois quando essa pandemia comecou na China em Setembro ‘se nao me engano’ o governo brasileiro teve tempo de sobra pra se preparar e nao fez, simplesmente pensando na economia e deixou acontecer o Carnaval sendo uma porta escancarada pra doença, agora estamos todos a mercê do risco… Infelizmente venho observado no meu trabalho que os idosos que deveria ficar em casa se resguardando sao os que mais anda de ônibus nesses dias, sei que alguns sai de suas casas para comprar alimentos, medicamentos, etc… mas tem outros que sai de casa somente pra passear de ônibus… entao é uma situação complicada… se nao fizer mudança neste momento principalmente ao transporte que é a locomotiva como sabemos a situação fugirá do controle.

Deixe uma resposta