Prefeito de Campinas anuncia quarentena a partir de 23 de março e diz que cidade terá “o mínimo possível de ônibus na rua”

Principal objetivo é evitar que as pessoas saiam de casa sem necessidade. Transporte será liberado apenas para quem trabalha em atividades essenciais

ALEXANDRE PELEGI

Colaborou Willian Moreira

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, em pronunciamento ao vivo pelas redes sociais no início da noite deste sábado, 21 de março de 2020, anunciou que a cidade do interior paulista entrará em quarentena a partir da próxima segunda-feira, 23.

Como mostrou o Diário do Transporte mais cedo, o Governador João Doria decretou período de quarentena a partir da próxima terça-feira, 24, em todos os 645 municípios paulistas. Campinas, portanto, antecipou em um dia. Relembre: Doria decreta quarentena nos 645 municípios do estado a partir de terça-feira, 24

Segundo prefeito, “haverá o mínimo possível de ônibus na rua”. Isso porque tem havido muitos casos em que os ônibus rodam lotados. “Em alguns horários, mesmo a gente colocando ônibus a mais, teve ônibus que estava com excesso de pessoas“, explicou Jonas.

O uso do transporte público, segundo o prefeito, só será liberado em caso de necessidade, ou seja, para a locomoção de pessoas que trabalham com atividades essenciais. “Por que vamos deixar o esquema emergencial? Porque tem o funcionário do mercado, funcionário da farmácia, funcionário do posto de gasolina que vai precisar da condução para trabalhar“, explicou o prefeito.

Ônibus intermunicipal não é da minha alçada, mas temos gente que vem de Hortolândia, Monte Mor, só que a pessoa não vem e para. Ela geralmente pega um ônibus do nosso transporte coletivo, e provavelmente este ônibus não terá, pois será um esquema muito especial“, afirmou Jonas. Amanhã o secretário de transportes e presidente da Emdec, Carlos Barreiro, detalhará quais linhas serão afetadas e como será o funcionamento do esquema emergencial.

Quanto ao transporte individual, o prefeito foi taxativo: “Táxi e carro de aplicativo, nós não estamos proibindo, mas também não vamos permitir abuso nos preços, e também exigiremos todas as medidas de higiene para fazer o transporte“.

A medida visa reduzir a disseminação do coronavírus. A quarentena termina em 12 de abril, mas a medida pode ser prorrogada, segundo o prefeito.

O decreto será publicado em edição extraordinária do Diário Oficial do Município neste domingo, e definirá os termos da quarentena. Esta é a primeira vez na história que a cidade publica uma edição em fim de semana.

Segundo comunicado da prefeitura, o principal objetivo é evitar que as pessoas saiam de casa sem necessidade. Apenas setores essenciais do comércio poderão funcionar, como lojas de gêneros alimentícios, farmácias e produtos de limpeza.

Jonas Donizette afirmou que os principais acessos rodoviários à cidade serão controlados pela Guarda Municipal, cujo papel será o de orientar a população para que evite deslocamentos desnecessários.

O prefeito atualizou o número de pessoas infectadas pelo Covid-19 em Campinas: nove casos confirmados com a doença, cinco a mais que ontem. Dessas nove pessoas, sete estão em isolamento domiciliar e passam bem. Apenas duas estão internadas em leitos normais, também em boas condições de saúde e sem necessidade de ajuda de aparelhos para respirar.

Campinas possui até agora 253 casos em investigação, aguardando confirmação de exames. Já são 39 casos testados e descartados.

O secretário municipal de Saúde, Carmino de Souza, participou da transmissão e alertou que muitos suspeitos estão testando positivo para gripes como H1N1.

FRENTE NACIONAL DE PREFEITOS SE REUNIRÁ COM MINISTRO DA SAÚDE

Na abertura da transmissão, Jonas Donizette contou que nesta sexta-feira, 20, recebeu um telefonema do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com quem conviveu na Câmara Federal quando ambos foram deputados em 2011.

Jonas disse que foi marcada para este domingo, 22, uma videoconferência da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), que ele preside, que reunirá todos os prefeitos das capitais e o ministro Mandetta.

Segundo o prefeito e presidente da FNP, o objetivo será unificar as ações no Brasil. Ele informou ainda que existe a possibilidade de o presidente Jair Bolsonaro participar do encontro que, segundo Jonas Donizette, será franqueado à imprensa.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta