Coronavírus: ABRATI estima perda de 30% de passageiros

Entidade que representa setor de ônibus rodoviário interestadual adota medidas para manter atividade de serviço que transporta 50 milhões de pessoas ao ano

ALEXANDRE PELEGI

A Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), preocupada com o agravamento dos casos de coronavírus no país, divulgou comunicado à imprensa especializada sobre medidas que as empresas de ônibus rodoviário interestadual estão adotando para se adequar à nova realidade.

Segundo a nota da Associação, até o momento houve redução de aproximadamente 30% no número de passageiros transportados.

A Abrati afirma que, mesmo diante do cenário de incertezas provocado pela pandemia, a oferta do serviço respeita as orientações das autoridades em cada Estado.

Continua a nota:

A Abrati informa ainda que vem reforçando as recomendações já enviadas a todas as empresas associadas para que intensifiquem os cuidados com a higienização dos ônibus, redobrem a atenção quanto à disponibilidade de água e sabão nos sanitários dos veículos e disponibilizem álcool gel em locais de atendimento e/ou durante o embarque. Além disso, foram criados comitês internos para acompanhar esse processo e os desdobramentos para o setor”.

Além disso, a Associação afirma ter se colocado à disposição do Ministério da Saúde, por meio de oficio encaminhado ao ministro, “para divulgar e adotar medidas preventivas contra a propagação do coronavírus, tendo em vista a natureza do serviço prestado pelo setor, essencial à população”.

Além dessas medidas, as empresas seguem atentas às determinações das autoridades por suspensão de viagens e avaliará caso a caso as remarcações de bilhetes e o reembolso das passagens, de acordo com normas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Vale lembrar que hoje, como mostrou o Diário do Transporte, Resolução da ANTT liberou as empresas para cancelar horários em função da baixa demanda, segundo Resolução publicada no Diário Oficial da União. (Leia aqui)

Segundo a nota da Abrati, em números, o segmento rodoviário regular de transporte terrestre de passageiros é a soma de empresas que representam cerca de 80% do total de passageiros versus quilômetros transportados de todo o segmento rodoviário regular interestadual e internacional. “É também o responsável pela geração de 60 mil empregos diretos, sendo 15 mil só para motoristas. Por ano, o setor transporta mais de 50 milhões de passageiros e emite em média 2,2 milhões de passagens ao ano, além da oferta de 4,8 milhões de gratuidades”, conclui o comunicado.

Em nota, a NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos) também faz projeção de perda de passageiros devido ao coronavírus. Segundo a entidade, o transporte público pode perder mais de 50% dos passageiros com o agravamento da situação devido à pandemia. (Leia aqui)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta