João Doria promete prolongamento do monotrilho até Cidade Tiradentes no ano de 2022

Publicado em: 16 de dezembro de 2019

Secretário afirma que obras da estação Ipiranga começam em 2020

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

Acesse e ouça a entrevista:

O governador de São Paulo, João Doria, prometeu na manhã desta segunda-feira, 16 de dezembro de 2019, que as obras da Linha 15-Prata de monotrilho continuam na direção do extremo leste de São Paulo.

De acordo com o governador até dezembro de 2022 as intervenções devem ser realizadas no segundo trecho entre as estações Jardim Colonial e  Hospital Cidade Tiradentes.

Já em relação ao outro extremo da linha, a estação Ipiranga na zona sudeste da cidade, o secretário de transportes metropolitanos do estado de SP, Alexandre Baldy, afirmou que as obras começam até dezembro de 2020.

A estação vai fazer integração com a Linha 10-Turquesa da CPTM, que atende a região do ABC paulista.

As declarações foram dadas durante a inauguração de três estações da primeira fase do monotrilho, que são Fazenda da Juta, Sapopemba e São Mateus, esta última próxima ao terminal de ônibus municipais e trólebus do corredor ABD.

O total de recursos para a Linha 15-Prata será de R$ 5,4 bilhões.

Segundo João Doria, foram investidos R$ 3,5 bilhões até o momento.

As três novas estações vão operar em horário reduzido das 10h até 15h, com aumento gradativo até a operação entrar em horário comercial previsto.

Estas três novas estações devem atender a 140,4 mil passageiros por dia, sendo 31 mil na Sapopemba, 29,4 mil na Fazenda da Juta e 80 mil em São Mateus.

Ainda de acordo com o secretário Alexandre Baldy, com a conclusão da Linha até o Hospital Cidade Tiradentes o monotrilho deve transportar em torno de 600 mil pessoas por dia.

ABAIXO ASSINADO

Grupo faz abaixo assinado para prolongamento do monotrilho até o Hospital Cidade Tiradentes, conforme projeto original. Foto: Adamo Bazani


No lado externo da estação de São Mateus, na zona Leste, um grupo fazia um abaixo assinado para o prolongamento do monotrilho até o Hospital Cidade Tiradentes, no extremo leste.

Segundo um dos organizadores, Ednelson Pacheco Ferreira, não há prioridade ao transporte coletivo na região. Nem os ônibus têm prioridade, o que deixa as viagens longas e cansativas

Segundo ele a Cidade Tiradentes hoje tem saída somente pelo Trem da CPTM, em Guaianases, e pelo Metrô em Itaquera.

Um ônibus hoje, lá de Cidade Tiradentes, demora até a estação Guaianases da CPTM em torno de 30 minutos, e para a estação do Metrô em Itaquera ele demora de 45 minutos a uma hora”, relata Ednelson.

Ele afirma que a maioria dos moradores do bairro trabalha na região central da cidade. “É um bairro dormitório”, afirma.

A dificuldade de transporte é um grave problema do local segundo Ednelson, que conta que o Corredor de São Mateus não continua na direção da Cidade Tiradentes. Isso torna o trânsito complicado, e sem prioridade os moradores demoram cerca de uma hora para ir de São Mateus até o bairro.

O prolongamento do monotrilho até o Hospital Cidade Tiradentes, conforme o projeto original, iria resolver esses dois problemas: traria uma alternativa de transporte rápida para os moradores do bairro, e exigiria o prolongamento do corredor de ônibus.


Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Estação São Mateus da Linha 15-Prata de monotrilho. Foto: Adamo Bazani

Ao fundo, Linha 15-Prata de monotrilho na Estação São Mateus. Foto: Adamo Bazani


HISTÓRICO

Diário do Transporte esteve na retomada das obras em 27 de maio.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/05/27/estacao-jardim-colonial-da-linha-15-prata-do-monotrilho-deve-estar-pronta-em-24-meses-diz-governo-do-estado/

Segundo o Governo do Estado, as obras estiveram paradas por causa de problemas com o consórcio responsável pela implantação das estações e de intervenções no entorno, como ciclovias.

O contrato com a empreiteira Azevedo & Travassos foi rescindido e aplicadas multas de mais de R$ 7 milhões por abandono dos serviços, na versão da gestão estadual.

Após licitação, foi firmado um novo contrato com a STER Engenharia.

Segundo a Secretaria de Transportes Metropolitanos, as obras remanescentes de quatro estações vão custar R$ 47,5 milhões.

A ligação vai atender a 400 mil pessoas por dia e os custos gerais para a implantação são de R$ 5,2 bilhões para 15,3 km e 11 estações. O valor  inicial num trecho maior seria de R$ 3,6 bilhões.

O trecho entre Vila Prudente e Ipiranga e Boa Esperança e Hospital Cidade Tiradentes, no extremo leste, tiveram o projeto “congelado”, sem previsão de início das obras.

Dados da Secretaria de Estado de Transportes Metropolitanos, obtidos pela reportagem do Diário do Transporte por meio da Lei de Acesso à Informação, mostram que além de atrasados, os monotrilhos estão bem mais caros que as previsões anteriores de custos.

No caso da linha 15-Prata (zona Leste), o valor já está 12,6% maior.

Linha 15 – Prata 

Valor Orçado: R$ 4,61 bilhões (R$ 4.618.290.000,00) – (Base: Jun/2015) – Nota: 1

Valor estimado para conclusão: R$ 5,2 bilhões (R$ 5.202.660.000,00)- (Base: Jun/2018) – Nota: 2

Valor realizado até set/2018: R$ 4,28 bilhões (R$ 4.284.590.000,00)

Previsão de Conclusão:  Estações Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus  (4º Trimestre de 2018 – NÃO CUMPRIDO); Estação Jardim Colonial – (Exercício de 2021).

Somente no dia 16 de dezembro de 2019 foram inauguradas as três estações prometidas para o quatro trimestre de 2018: Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus.

O modal consiste em trens menores com pneus que trafegam em elevados de concreto.

Uma das críticas ao monotrilho é que o modal tem uma capacidade média para um alto custo de implantação e operação.

No dia da inauguração das 3 estações, 16 de dezembro, o Governador João Doria prometeu prolongar a Linha 15 até o extremo leste da capital, chegando até o Hospital Cidade Tiradentes. Já Baldy afirmou que a estação Ipiranga, que fará integração com a Linha 10-Turquesa da CPMT, terá obras iniciadas até dezembro de 2022.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Alexandre Pelegi

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Roberson disse:

    Só promete, vai abandonar o governo assim como fez na prefeitura

    1. VAI BATER RECORDE NO PALÁCIO AINDA,,, ROBERSON..rrrrsssss

    2. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

      É discípulo do Serra e amigão do dono da IURD e RECORD… esperar o que desde camarada, meu caro?! Doria e Bolsonaro estão se odiando … mas sao iguais! Ja nao chega o que a PTRALHADA fez ao País e a Cidade de SP/SP… ?! aff! A Cidade Tiradentes na Área 4 e o Jaçanã aqui na Área 2 , Zona Norte, não tem mais ligações com o Centro… aqui começou com o Kassab e depois com o Haddad… E esses que aí estao …. pouco se importam! O Jaçanã faz divisa com Guarulhos e não é tão longe tmb de Mairiporã. É um Distrito paulistano muito esquecido… se sabe mais dele pelas músicas do Adoniram Barbosa kkkkk

  2. Uma realidade tardia. E ainda a essencia da demagogia pública deste “governador”, que em fins de 2021, só falará em presidencia,,,ME ENGANA QUE EU GOSTO!…Se eu estivesse ainda morando em S. Mateus alardearia muito mais….Sei bem o que este pessoal daí sofre,,,a cada ano aumenta a população. Passam de 450 mil, ou seja uma população de uma cidade como Diadema e Mauá juntas…12 bairros, 3 CENTROS COMERCIAIS…

  3. ERICA JULIA PEREIRA disse:

    Esse modelo adotado já com estas novas estações já vão estar super lotadas, então até cidade Tiradentes seria inviável pq passaria pelo bairro já na sua lotação, então espero que pare por aí mesmo. Pra Tiradentes seria melhor uma linha ligando o bairro a Itaquera, atenderia melhor.

    1. Erica, mesmo que se fizer, será um desastre, lá é muita gente e o Monotrilho não vai aguentar,,,tenho certeza disso.

Deixe uma resposta