Secretarias de Segurança e Transportes firmam convênio de R$ 68 milhões para operação da PM na CPTM

Publicado em: 12 de dezembro de 2019

Duração será de dois anos prorrogáveis por mais cinco

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI
As secretarias de Segurança Pública e de Transportes Metropolitanos firmaram um convênio para a atuação de policiais militares atuando fardados em dias de folga nas estações da CPTM – Companhias Paulista de Trens Metropolitanos.

O valor do convênio é R$ 68,42 milhões por dois anos, com possibilidade de prorrogação por mais cinco anos.

Os PMs, de acordo com o convênio, poderão atuar em apoio ao pessoal de segurança da CPTM.

A CPTM informou em comunicado nesta manhã que serão 445 vagas da DEJEM (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar) com previsão para que entre em operação em janeiro. Os policiais farão ronda diariamente em todas as estações da Companhia e poderão ser acionados para atuar em ocorrências nas plataformas e dentro do trem em casos que envolvam, por exemplo, crimes de furtos, roubos, assédio sexual e venda de bilhete ilegal. Também poderão combater outros crimes, informa a Companhia.

Para Alexandre Baldy, secretário dos Transportes Metropolitanos, a parceria garantirá o acionamento imediato da Polícia Militar em qualquer tipo de crime nas estações. “Assim, teremos soluções mais rápidas para ocorrências e inibição de novos crimes. Todos irão sair ganhando, especialmente os passageiros”, explica.

A CPTM ressalva que a fiscalização do comércio irregular continua sendo tarefa da equipe de segurança da CPTM, que poderá solicitar a presença da PM em caso de confronto para garantir a segurança dos envolvidos e dos passageiros.

Em fevereiro deste ano, como mostrou o Diário do Transporte, o Secretário Alexandre Baldy já havia prometido uma operação à semelhança da Operação Delegada. Relembre: PMs em folga, na operação delegada, vão atuar no combate a ambulantes na CPTM

Entre os maiores problemas relacionados à segurança nas estações estão o comércio irregular por ambulantes, fraude na bilhetagem eletrônica (Bilhete Único e Cartão BOM), roubos, furtos e vandalismo.

Para o presidente da CPTM, Pedro Moro, o convênio é uma estratégia eficaz para mitigação de ocorrências criminais praticadas dentro do sistema ferroviário, “garantindo a segurança do passageiro e dos nossos colaboradores que atuam diariamente nas estações“.

Adamo Bazani e Alexandre Pelegi, jornalistas especializados em transportes.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. CLAUDINEI ANTONIO DOS SANTOS disse:

    PM resolve tudo.
    Quem resolve os Problemas dos PMS?

  2. Alexandre disse:

    A PM precisa é de um reajuste salarial isso sim, e não ter que se prostituir no horário de sua folga que era para estar aproveitando sua família!

    1. Bispo disse:

      Concordo, pois do que adianta se matar de tanto trabalhar pra conseguir pagar as contar e deixar a família e os filhos se ausentando do convívio porque o governo não dá um salário digno aos heróis diários. Sem PM não há segurança.

  3. Laercio disse:

    Boa tarde, querem criminalizar o bico que o PM faz, não querem dar um aumento justo para os PM s, com o Estado mais rico do Brasil alegam que não podem dar um aumento justo, ” hipocrisia, aí trabalhar no horário de folga bico fardado pode….

  4. Antonio disse:

    Governo não é bobo…não dá aumento, mas te dá oportunidade de fazer escala extra…e ainda morde imposto sobre esse valor…

Deixe uma resposta