Prefeitura de São Bernardo abre licitação de estudos para remodelar região central

Publicado em: 11 de dezembro de 2019

Região próxima ao Paço Municipal de São Bernardo do Campo. Transporte coletivo ainda não tem prioridade

Programa de mobilidade conta com recurso do CAF – Corporación Andina de Fomento, o Banco de Desenvolvimento da América Latina

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, abriu licitação para contratar empresa ou consórcio para elaborar estudos e projetos de mobilidade urbana para a região central da cidade.

O aviso de concorrência foi publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, 10 de dezembro de 2019. As propostas devem ser entregues no dia 30 de janeiro de 2020 e o edital vai ser disponibilizado no site da prefeitura.

Por meio de nota, em resposta ao Diário do Transporte, a administração do prefeito Orlando Morando informou que a licitação vai envolver as áreas da Rua Marechal Deodoro (desde a Av. Rotary até a Av. Brig. Faria Lima); Avenida Prestes Maia; e a Avenida Brigadeiro Faria Lima.

O Programa de Mobilidade conta com apoio da CAF – Corporación Andina de Fomento, o Banco de Desenvolvimento da América Latina.

Ainda de acordo com a nota da prefeitura, o valor da contratação vai depender das ofertas apresentadas pelas participantes.

 A Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas, informa que o Programa de Infraestrutura Urbana (Proinfra/CAF) engloba obras de mobilidade urbana e a realização de ações socioambientais e de gestão, incluindo o desenvolvimento de estudos e projetos de interesse do município.

 A licitação publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União integra este pacote de ações e tem como finalidade a contratação de serviços especializados de engenharia para a elaboração de estudos e projetos de mobilidade urbana na região central do município, abrangendo as seguintes vias Rua Marechal Deodoro (desde a Av. Rotary até a Av. Brig. Faria Lima); Avenida Prestes Maia; e a Avenida Brigadeiro Faria Lima.

 A finalidade do projeto é a proposição de melhorias a serem implementadas nas áreas selecionadas, envolvendo intervenções físicas e operacionais que possam aprimorar as condições de acessibilidade e mobilidade nos locais, além de intervenções de caráter de requalificação local, de segurança viária ou mesmo de caráter urbanístico e paisagístico que possam melhorar a mobilidade local e a integração da via com o seu entorno.

 Como o processo ainda está em andamento não é possível citar valor estimado para contratação do serviço.

Os projetos devem contemplar obras e mudanças de operação. Devem ter prioridade os pedestres e o transporte coletivo

O Diário do Transporte noticiou em agosto deste ano que a prefeitura havia aberto procedimento de Manifestação de Interesse para projetos urbanísticos para a revitalização da região central do município de São Bernardo do Campo, no eixo compreendido entre o Paço Municipal e a Praça Miguel Etchenique, abrangendo as áreas circunvizinhas a Avenida Brigadeiro Faria Lima e as Ruas Jurubatuba e Marechal Deodoro.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/06/prefeitura-de-sao-bernardo-do-campo-vai-contratar-estudos-para-remodelar-regiao-central/

A região central é um dos grandes gargalos de mobilidade de São Bernardo do Campo, maior cidade do ABC que, segundo o IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, tinha em 2018, uma população estimada de 833.240 pessoas, o dado mais recente dado disponível.

As vias que devem ser abrangidas pelos estudos formam eixos de alta demanda de transporte público.

Além de linhas de ônibus municipais operadas pela concessionária SBCTrans e de intermunicipais, gerenciadas pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, passa pela região o Corredor Metropolitano ABD, de ônibus e trólebus, operado pela empresa Metra.

Apesar de o corredor ser de gestão estadual, o trânsito na região central impacta o desempenho operacional e a velocidade comercial dos ônibus e trólebus, isso porque, bem na região do Paço, entre a Avenida Brigadeiro Faria Lima e a Avenida Pereira Barreto, não há trechos exclusivos para os coletivos.

Atualmente, a velocidade comercial do Corredor ABD gira em torno de 21 km/h, que poderia ser maior se não fosse a interferência do trânsito da região central.

Como mostrou o Diário do Transporte, o problema é antigo. Em 2017, a concessionária Metra cogitou apresentar projeto de “agulhas” nas áreas não exclusivas do corredor no centro de São Bernardo, para dar mais fluidez aos coletivos que opera.

“Agulha de Trânsito” é o termo utilizado no Brasil para designar a abertura em uma passagem lateral, para mudança de faixa de rodagem.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/12/05/entrevista-metra-pede-a-prefeitura-de-sao-bernardo-agulhas-no-paco-para-eliminar-gargalo-do-corredor-de-trolebus/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. É caótico, a qualquer hora na Via Brigadeiro Faria Lima, exatamente no sentido Bairro Centro – (agora pouco sai de lá). Resolveria, se fosse possível, fechar as transversais, como Américo Brasiliense, Tenente Pena, Padre Lustosa, Rio Branco, deixando -as para pedestres apenas. Aquela avenida é uma zona de calor, um vale, no verão a ponto de até os buracos das galerias exalar forte odor de esgoto, já que corre um córrego sob a avenida e corredor ABD…Mas há um desafogo, quando adentram a larga Samuel Sabatini (Paço)e dali cada um corre pro seu lado> Rudge, Pereira Barreto, Vianas, e Lucas Garcês..Não vejo uma solução, mas seria bom reforçar o piso do corredor dos coletivos.

Deixe uma resposta