Veja vídeos: Acompanhamos as demonstrações dos sistemas de segurança da Sprinter

Publicado em: 4 de novembro de 2019
Sprinter

Sistema evita tombamentos e dá estabilidade ao veículo. Imagem: Adamo Bazani

Entre as novidades estão freios inteligentes que detectam obstáculos e tecnologias antiderrapagem e de estabilidade

ADAMO BAZANI

Como mostrou o Diário do Transporte, a Mercedes-Benz apresentou a nova linha da van Sprinter em 26 de setembro deste ano.

Além de mudanças estéticas, com faróis e lanternas em posição mais alta para reduzir os riscos de destruição destes componentes em pequenas colisões, e itens de conforto, como direção elétrica com regulagem de série e conectividade com a tela do celular sendo reproduzida no painel, a nova van também possui sistemas de segurança.

Entre estas tecnologias se destacam o Assistente Ativo de Frenagem (ABA – Active Brake Assist), que consegue detectar outros veículos e obstáculos à frente ao ponto de chegar a frear a van de forma automática em seu último estágio de autuação, e o Assistente de Vento Lateral (Crosswind Assist), que funciona como um sistema antitombamento que dá mais estabilidade ao veículo.

O Diário do Transporte em parceria com o site  ViaTrólebus acompanhou as demonstrações destes sistemas na apresentação da nova geração na região metropolitana de Curitiba.

A reportagem esteve à bordo dos veículos em momentos críticos para verificar as tecnologias em funcionamento.

Além do ABA e do  Crosswind Assist, foi possível ver de perto como funciona o Assistente de Partida em Rampa para evitar derrapagens e vencer atoleiros.

Acompanhe:

A comercialização da Sprinter começou em 14 de outubro de 2019, com os seguintes valores de lançamento:

– Linha chassi: a partir de R$ 130,7 mil;

– Linha de furgão: a partir de R$ 142,2 mil

– Linha Sprinter passageiro: a partir de R$ 178,9 mil

Ainda de acordo com a montadora, os motores estão mais potentes para as três versões de tamanho:

– 314 CDI Street (motor de 143 cv a 3.800 rpm e torque de 33,7 kgfm entre 1.200 e 2.400 rpm), – 416 CDI e 516 CDI (motor de 163 cv a 3.800 rpm e torque de 36,4 kgfm entre 1.200 e 2.400 rpm). O PBT chega agora a 4.100 kg, o que resulta em 220 kg a mais em relação ao atual 415, aumentando assim a capacidade de carga líquida do veículo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. VAMOS VER SE COM CINTO SEGURA A CABEÇA DO CONDUTOR PARA NÃO COLIDIR COM PARA-BRISA

Deixe uma resposta