Linha 7 Rubi operou com lentidão na manhã desta sexta-feira entre Jundiaí e Francisco Morato

Publicado em: 1 de novembro de 2019

Trens da Linha 7-Rubi. (Foto: Alexandre Pelegi)

Problemas técnicos, segundo a CPTM, prejudicaram a circulação no trecho por mais de duas horas e meia, das 04h:57 até 07h:35

ALEXANDRE PELEGI

A Linha 7-Rubi, da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, operou com lentidão na manhã desta sexta-feira, 01 de novembro de 2019, entre Jundiaí e Francisco Morato.

No aplicativo da estatal de trens, a ocorrência foi registrada como “problemas técnicos”.

Como informou o Diário do Transporte, desde o dia 28 de outubro a linha 7 passou a ter terminal na estação Brás, na capital paulista. Segundo Pedro Moro, presidente da companhia, a operação é experimental e vai ocorrer de segunda a sexta feira. Relembre: Linha 7-Rubi passa a ir até o Brás a partir de segunda, 28

A operação será durante todo o horário habitual da linha que passa a ser Jundiaí – Francisco Morato – Brás. Hoje a linha só vai até a estação da Luz. O intervalo será de seis minutos e vai ser colocado um trem a mais, passando a ter 20 composições na frota.

A CPTM acredita que a mudança vai beneficiar 70 mil pessoas por dia que não vão precisar fazer as baldeações na Luz.

No Brás, a linha 7 vai parar na plataforma 2 que era antes usada só para embarque da linha 10.

LINHA 7 SERÁ CONCEDIDA AO SETOR PRIVADO

A concessão da linha 7 Rubi da CPTM integra um “pacote de trens que vão ligar diferentes regiões metropolitanas”, como afirmou o vice-governador Rodrigo Garcia.

Como mostrou o Diário do Transporte, em evento no Arena ANTP, realizado na última semana de setembro, o Secretário Executivo dos Transportes Metropolitanos, Paulo José Galli, afirmou que em janeiro o Trem Intercidades entre São Paulo, Jundiaí, Americana e Campinas terá a realização de uma audiência pública para que a iniciativa privada assuma os projetos, obras e operação. A Linha 7 faz parte desse pacote. Relembre: Vice de Doria afirma que Trem Intercidade é prioridade em programa de concessões do Estado

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta