Alterar para dez anos prazo de renovação de CNH pode aumentar acidentes, segundo Abramet

Projeto também pretende dobrar a pontuação máxima para a perda do direito de dirigir. Foto: Divulgação / Corpo de Bombeiros.

Associação Brasileira de Medicina de Tráfego aponta que mudança pode sobrecarregar o SUS

JESSICA MARQUES

O diretor da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), Geraldo Gutemberg, acredita que alterar para dez anos o prazo de renovação de CNH (Carteira Nacional de Habilitação) pode aumentar o número de acidentes.

O Projeto de Lei 3267/19, do governo Bolsonaro, altera o Código de Trânsito Brasileiro, visando dobrar a pontuação máxima para a perda do direito de dirigir e ampliar a validade da CNH. A proposta foi entregue à Câmara pessoalmente pelo presidente da República.

“Um engano do projeto é achar que, ao alterar para dez anos o período de renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), diminuirá custos para os condutores. Nos últimos três anos foram gastos R$ 3 bilhões do Sistema Único de Saúde (SUS) com pronto-socorro e hospitais de trauma”, avaliou Gutemberg.

Segundo uma pesquisa divulgada pela Abramet, a saúde dos motoristas é uma das principais causas dos 250 mil acidentes de trânsito registrados nas rodovias brasileiras nos últimos cinco anos. A informação tem como base dados Polícia Rodoviária Federal.

“Entendemos que essa mudança vai acarretar mais acidentes e atropelamentos, sobrecarregando ainda mais sobrecarga o SUS, além da previdência, com aposentadorias precoces. Esperamos que as mudanças que venham a ser realizadas no CBT sejam para favorecer os condutores, motociclistas e pedestres”, disse também o diretor.

Na última semana, teve início o XIII Congresso Brasileiro de Medicina de Tráfego, II Congresso de Psicologia de Tráfego e I Fórum Brasileiro de Educação e Saúde no Trânsito, realizados pela Abremet para discutir estes e outros temas.

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, a Câmara instalou na terça-feira, 17 de setembro de 2019, uma comissão para discutir as mudanças no Código de Trânsito.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/16/camara-comissao-codigo-de-transito

ACIDENTES

O Infosiga, banco de dados de acidentes do governo do Estado de SP, aponta que de janeiro a agosto deste ano, em todo o estado de São Paulo, foram registrados 94,3 mil acidentes com vítimas não fatais em vias urbanas e estradas estaduais. Segundo o Infosiga, para cada acidente fatal há 27 ocorrências com feridos.

Apenas em agosto, foram 478 óbitos no trânsito paulista, aumento de 2,8% em relação ao mesmo mês de 2018, com 465 mortes registradas.

Outro levantamento divulgado na última semana pela CNT – Confederação Nacional do Transporte e relativo apenas às rodovias federais, registra que em todo o ano passado foram registrados 69.206 acidentes, dos quais a maioria – 53.963 dos casos – com vítimas fatais ou não. Do total de vítimas, 5.269 é o número de óbitos.

Para se ter uma ideia da tragédia nas rodovias federais, desde que o levantamento da CNT passou a ser feito em 2007 foram registradas 88.749 mortes.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/19/dados-de-acidentes-mostram-tragedia-do-transito-em-plena-semana-da-mobilidade/

ABC PAULISTA

Os acidentes de trânsito custam aproximadamente R$ 540 milhões ao ano aos cofres públicos dos sete municípios do ABC Paulista. A estimativa foi divulgada pelo Observatório Nacional de Segurança Viária nesta quinta-feira, 19 de setembro de 2019.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/19/acidentes-de-transito-custam-r-540-milhoes-ao-ano-para-prefeituras-do-abc-paulista/

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Há controvérsias.

    O prazo de renovação para a CNH ainda não foi aumentado e mesmo assim o número de acidentes aumenta a cada dia.

    Hoje numa pequena viagem de 160 Km, é quase que impossível não haver um acidente.

    Portanto se o número de acidentes tem aumentado SEM o prazo de validade das CNH´s ter aumentado; não é este prazo que tem sido o gerador de tantos acidentes.

    Tenho viajado com mais frequência de março pra cá pela rodovia dos Bandeirantes e o que mais eu vejo são:

    – “desatentos” em baixa velocidade;

    – Vucks voando pela esquerda;

    – Caminhões se jogando na nossa frente para ultrapassar o mais pesado;

    – Vans voando pela esquerda;

    – Carrões importados fazendo ziguezague na pista;

    – Muitos motoristas utilizando celular e zapzap.

    Portanto, se ainda não houve aumento no prazo de renovação da CNH, não será isto que acarretará mais acidentes.

    Basta viajar e comprovar; é público e notório.

    Peneira NÃO tampa sol.

    A verdade é uma só tem muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito portador de CNH que não pode pilotar em carrinho de brinquedo.

    Esta é a realidade da graaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaande maioria dos motoristas do Barsil; sem contar os usos e costumes de cada estado, cidade e município.

    Como sempre o que tem de ser feito ninguém faz, só polemiza com coisas que não levam a nada.

    Aumentar o prazo de renovação da CNH é uma ótima ideia; afinal se com o prazo atual há tudo o que eu observo toda semana; não será este aumento de prazo que irá iorar a questão da imprudência.

    Aproveito o espaço que o Diário nos dá para alertar a CCR e a PRF que intensifiquem a fiscalização e façam campanha nos pedágios e nas TV´s com relação aos motoristas “desatentos” que viajam a velocidades muiiiiiiiiiiito baixas na Rodovia dos Bandeirantes.

    Eu não posso afirmar; mas pra mim isto ocorre pelo uso do celular e do zapzap.

    FICA AI O ALERTA!

    Att,

    Paulo Gil

    1. Cido disse:

      Paulo Boa noite …concordo plenamente isso é apenas uma desculpa que usam pq sabem q com o aumento o prazo de renovação vai demorar mais para arrecadaram as taxas de renovação nas clínicas, o que causa acidente não é prazo de validade e imprudência, ignorância das pessoas e falta infraestrutura das rodovias.
      Ninguém quer perder…e o povo brasileiro sempre sofre.
      Governos vamos cuidar do que realmente é necessário…

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Um dado sem sentido acho, o que falta são leis que prenda a pessoa por um ato ao dirigir grave, e que fique presa sem depender de um advogado que use a brecha da lei e solte, acidente de trânsito precisa ser inafiançável e pronto, e 10 anos no mínimo se matar.

  3. Felipe Carvalho disse:

    Na verdade hoje o acidente é cerebral vascular ou infarto diante de taxas absurdas que o contribuinte condutor sofre nesse país.Traduzindo ou vc morre no trânsito ou continua a morrer no trânsito ou de infarto,AVC, diabetes estresse etc….

Deixe uma resposta