Telemetria equipará ônibus urbanos em Franca

Empresa São José fará implantação do sistema. Foto: Divulgação.

Instalação do sistema está prevista para março de 2020

JESSICA MARQUES

A concessionária de ônibus urbanos de Franca, no interior de São Paulo, Empresa São José, informou que implantará um sistema de telemetria, tecnologia embarcada similar à utilizada nos carros de Fórmula 1 e motocicletas do Moto GP.

A implantação está prevista para ser instalada nos 100 ônibus e nas vans que transportam as pessoas com deficiência da operadora em março de 2020.

“O grupo do qual a São José faz parte iniciou a implantação do sistema de telemetria neste ano. No cronograma de instalação, a cidade de Franca será uma das primeiras a receber a tecnologia”, disse Paulo Barddal, diretor de Comunicação da concessionária.

Quando o sistema entrar em operação, a estimativa é de uma redução de até 1,2 tonelada diária na emissão de poluentes na atmosfera.

“A telemetria, além de contribuir para reduzir a poluição, trará diversos outros benefícios para a comunidade, usuários e motoristas. A tendência, a partir de agora, é que as viagens fiquem mais confortáveis e seguras para todos”, explicou Barddal.

Toda a operação será controlada em tempo real e as pessoas que estiverem dentro do Centro de Controle Operacional (CCO), terão informações como rotação do motor, o consumo, a temperatura do óleo, a velocidade, se a frenagem, as curvas e as acelerações foram realizadas dentro dos parâmetros, de forma a oferecer uma prestação de serviços ainda melhor aos usuários. Os motoristas também terão acesso às informações pois será instalado um painel com luzes nas cores verde, amarelo, laranja e vermelho.

“Eles poderão saber, por exemplo, se a aceleração e a frenagem estão sendo feitas de forma suave. E se a velocidade estiver excessiva, saberão na hora. Com o emprego da tecnologia, a São José estima uma redução no consumo de combustível, menor número de acidentes e ainda redução no número de quebras”, disse também o diretor.

A telemetria também conta com uma função denominada shutdown, ou seja, se o motorista deixar o veículo ligado por um período superior a três minutos, seja na garagem, dentro dos terminais ou ainda nos pontos iniciais ou finais, em marcha-lenta, o motor será desligado automaticamente.

CAMPINAS

A tecnologia já está instalada nos ônibus urbanos de Campinas, também no interior de São Paulo, que integram o mesmo grupo empresarial do qual a São José faz parte.

Até o momento, segundo o grupo, houve redução em 50% no número de quebras nos ônibus, queda de 65% nas reclamações relacionadas à dirigibilidade e 60% a menos de acidentes.

“É possível saber se há superaquecimento no motor. Agora, com a telemetria, se o CCO perceber qualquer anomalia, imediatamente é emitido um aviso de alerta para que o motorista pare o ônibus imediatamente, evitando quebras ou minimizando riscos de acidentes”, explicou Barddal.

Em Campinas, a tecnologia foi aplicada nos veículos em 13 de agosto, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/08/13/com-telemetria-empresas-de-onibus-de-campinas-querem-reduzir-emissao-de-poluentes-em-ate-7-toneladas-por-dia/

O que é telemetria?

A telemetria permite controlar e medir qualquer coisa à distância. Com essa tecnologia, é possível ter acesso às informações importantes relacionadas às máquinas em geral, como automóveis, geradores, barcos, guindastes e ônibus, entre outros.

O sistema permite que os motoristas, as empresas e gestores obtenham os dados de forma automática, parado ou em movimento. Independentemente da distância, é possível coletar e acompanhar as informações em tempo real.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Estão esperando o que para implantar a telemetria nos buzões da fiscalizadora e da EMTOSA ??

    O lamentável no Poder Público é na inércia.

    Tem a tecnologia mas não utiliza devido as mentalidades JURÁSSICAS investidas no poder.

    Jurássicos,mas não andam em carroças, só em carrões importados com todo o conforto, tecnológico e ergonômico.

    Aos Jurássicos, recomendo a leitura de livros sobre o que é INTERESSE PÚBLICO.

    Uma coisa é patente.

    INTERESSE PÚBLICO, NÃO É INTERESSE UMBIGUISTA.

    Portanto renunciem, se demitam se exonerem e deixa a vaga para quem sabe e quer aplicar o conceito de INTERESSE PÚBLICO.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta