Prefeitura de Rondonópolis (MT) assina novo contrato com empresa Cidade de Pedra até dezembro

Publicado em: 1 de julho de 2019

Nova licitação está em andamento. Foto: Divulgação.

Acordo prevê subsídios para passe livre estudantil e gratuidades oferecidas pelo município

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Rondonópolis, no Mato Grosso, assinou um novo contrato emergencial com a empresa Cidade de Pedra, para a operação do transporte coletivo na cidade. A validade é até dezembro deste ano.

O novo acordo prevê subsídios para o passe livre estudantil e gratuidades oferecidas pelo município, em 100% dos valores.

“Antes do acordo, a Prefeitura já havia aumentado os subsídios para o passe-livre estudantil – subindo de 38% sobre o valor do bilhete para 50% – e aumentado a tarifa do transporte público de R$ 3,80 para os R$ 4,10 atuais, já que há mais de um ano não ocorria reajuste nos valores”, informou o município, em nota.

O prefeito Zé Carlos do Pátio afirmou na manhã desta segunda-feira, 1º de julho de 2019, que o acordo foi uma medida paliativa e não definitiva.

“Nós encaminhamos já um novo edital para a Câmara como menos exigências para então fazer a licitação do transporte coletivo e concomitantemente vamos rediscutir o transporte coletivo em Rondonópolis em várias questões”, disse.

LICITAÇÕES DESERTAS

O contrato com a empresa Cidade de Pedra venceu em 2014, após 10 anos de concessão, porém os serviços continuaram a serem prestados pela empresa. Em 2016, uma primeira licitação foi feita com a intenção de conceder o serviço de transporte público, mas resultou deserta.

A atual gestão informou que realizou mais duas licitações, uma em outubro de 2018, também deserta, e a última em dezembro de 2018, que assim como as demais, não teve nenhuma empresa interessada.

“Estranhamente vamos para a quarta licitação e três foram desertas. Você faz a licitação e ninguém vem. Assim cada dia fragilizamos mais as exigências em edital e ninguém quer vir. Eu me preocupo, vou continuar me dedicando a isso e vamos tentar buscar um plano B também”, disse o prefeito.

O chefe do Executivo afirmou que ainda não pretende falar qual seria o plano B, mas garantiu que alguma coisa está acontecendo.

“Posso dizer que pode haver um ‘conluio’ entre empresas que impede que outra venha atuar onde uma já atuava, visando reduzir as exigências do edital e eu não estou satisfeito”.

NOVO EDITAL

O edital para a nova licitação do transporte público da cidade está há duas semanas na Câmara Municipal para ser analisado como prevê a legislação de Rondonópolis e os vereadores têm mais 15 dias para reencaminhar o edital para a Prefeitura, para que a administração dê andamento ao processo licitatório.

Segundo a Prefeitura, na proposta do novo edital, houve redução no número de ônibus exigidos para quem concorrer na licitação, passando de 82 no edital anterior para 63 no atual. Também ocorreu redução na quantidade de ônibus que devem conter condicionadores de ar, passando de 40% da frota para 20%. Ainda deixará de ser uma exigência que a concorrente apresente cheque caução.

“Com as mudanças no edital e com investimentos na área do transporte público como a construção de novos pontos de ônibus, a Prefeitura busca atrair empresas interessadas em atuar na cidade e promover melhorias, aumentando assim o número de pessoas que utilizam o transporte público diariamente.”

Segundo dados da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito, atualmente a empresa Cidade de Pedra transporte 18 mil passageiros por dia em média. A expectativa é de que esse número aumente.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Comentários

Deixe uma resposta