Sindicato dos rodoviários projeta 4 mil demissões com ônibus sem cobrador no Transcol

Publicado em: 28 de junho de 2019

Projeção dos trabalhadores considera chegada de novos ônibus até 2022. Foto: Divulgação.

Primeiros 20 veículos com ar-condicionado e pagamento exclusivo por cartão eletrônico foram entregues nesta semana

JESSICA MARQUES

O Sindirodoviários ((Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Espírito Santo) informou, em nota, que a chegada de ônibus sem cobrador ao Transcol, sistema de transporte público da Grande Vitória, pode resultar em 4 mil demissões.

Os primeiros 20 veículos com ar-condicionado e pagamento exclusivo por cartão eletrônico foram entregues nesta semana, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/06/26/primeiros-onibus-do-transcol-com-ar-condicionado-sao-entregues-nesta-quarta-feira-no-espirito-santo/

Em nota, o sindicato informou que “os cobradores são essenciais para um transporte coletivo de qualidade, pois além de auxiliar o motorista, prestam um importante serviço aos usuários, dando informações, orientações e auxiliando os usuários com dificuldades de locomoção, deixando o motorista livre apenas para dirigir”.

A projeção do número de rodoviários que podem ser demitidos após o uso de ônibus que só aceitam pagamento com cartão considera a introdução destes veículos gradativamente até 2022, segundo o Sindirodoviários.

A categoria também destacou, por meio de nota, que o custo da mão-de-obra do cobrador já está sendo pago pela atual tarifa, portanto, mantê-los nos coletivos com ar-condicionado não traria nenhum prejuízo para os empresários, segundo o sindicato dos trabalhadores.

A categoria informou ainda que organizou uma passeata para segunda-feira, 1º de julho de 2019, contra a medida. Apesar de negar a possibilidade de greve, o sindicato cogita a realização de paralisações.

Ao portal Gazeta Online, o secretário de Transportes e Obras Públicas, Fábio Damasceno, negou que o pagamento da tarifa via bilhete único é uma forma de acabar com a função de cobrador nos coletivos. Disse também que não haverá demissões.

“Não é para eliminar cobradores. A tendência é transferir o cobrador para outras funções. Como temos o bilhete único, eles podem ser bilheteiros de estações para ajudar na implantação do sistema. Agora não terá demissão nenhuma. É uma quantidade muito pequena perto da frota, que é de 1.600 ônibus”, disse.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Lucia da silveira disse:

    Acho isso uma palhaçada quem vai sair perdendo sou Eu que uso o Transcol todos os dias pra ir trabalhar.

  2. Hélio Sanção disse:

    Governantes covardes desse nosso pais.
    Por no olho da rua chefes de família . Isso porque será?
    Se o estado arrecada com esses trabalhadores.

  3. Gerson disse:

    Breve aqui em Salvador acontecerá o mesmo… Já começou pela região metropolitana… mas aqui sim se fala muito em retirada de cobradores.

  4. Fábio pereira disse:

    Aqui em BH tiraram os cobradores com promessa de que nenhum perderia o emprego que seriam remanejados,realmente foram remanejados mas pra fila do desemprego…..nos motoristas acumulamos a função a troco de 150 reais por mês….

  5. maria rosilene alves teixeira disse:

    Se nos tivessemos 4 mil onibus nao estariamos andando igual carro de boi sardinha enlatada deixa de ser idiotas o que e bom pra propulaçao tem que ser bem aceito

  6. Nazarete disse:

    Além do mais esta medida caracteriza, discriminação, pois quem não tiver bilhete único , terá que permanecer nos pontos de ônibus, até aparecer os que não tem ar condicionado!! Isso é um absurdo!!! Espero que alguém se atente pra isso, e entre com uma ação pública por discriminação.

  7. COBRADORES UNAM-SE , PELO AMOR DE DEUS……me chamem se for preciso,,,tenho 10 argumentos para mantê-los

Deixe uma resposta