Pesquisa releva que mais da metade das passageiras de ônibus de João Pessoa sofreram assédio

Publicado em: 25 de abril de 2019

Crime ocorreu nos pontos e no interior dos ônibus, segundo as vítimas. Foto: Divulgação / Gilberto Firmino.

Levantamento da ONG Minha Jampa foi realizado entre os dias 11 e 14 de março com 107 usuários do sistema de transporte público da capital da Paraíba

JESSICA MARQUES

Uma pesquisa releva que mais da metade das passageiras de ônibus de João Pessoa sofreram assédio. O levantamento da ONG Minha Jampa foi realizado entre os dias 11 e 14 de março deste ano, com 107 usuários do sistema de transporte público da capital da Paraíba.

De acordo com a pesquisa, 53,57% das mulheres declararam já terem sido assediadas no ponto ou dentro do ônibus.

O levantamento mostra ainda que 76,67% confirmaram que foram assediadas dentro dos ônibus. Entretanto, nenhuma entrevistada chegou a denunciar o ocorrido nas delegacias, o que, segundo a instituição, comprova que os números oficiais sobre assédio sexual são menores que a realidade.

IMPORTUNAÇÃO SEXUAL É CRIME

Em 24 de setembro de 2018, o então presidente interino da República e ministro Dias Toffoli sancionou uma lei que torna crime importunação sexual e aumentou a pena para estupro coletivo.

Com a lei sancionada, agora importunação sexual é crime. Caracteriza-se como tal o ato libidinoso praticado contra alguém sem autorização. A pena prevista é de um a cinco anos de cadeia.

Relembre: Presidente interino da República sanciona lei que torna crime importunação sexual

SEGURANÇA E POLUIÇÃO

Para 64,5% dos entrevistados da pesquisa, a segurança nos ônibus de João Pessoa é ruim ou muito ruim. No caso das paradas, a avaliação é ainda pior: 83,2% acham que a segurança nesses locais é ruim ou muito ruim.

O aspecto segurança (23,8%) divide a liderança das principais queixas dos usuários, ao lado de tempo de espera (26,6%) e tarifa (24,7%).

A pesquisa também mostrou que a maioria dos passageiros se incomoda com a poluição gerada pelos veículos do transporte coletivo.

De acordo com o levantamento, 87,85% dos usuários concordam totalmente com a substituição do óleo diesel por um combustível mais limpo no transporte público da cidade e e 94,39% apoiariam uma campanha social com objetivo de promover a substituição do óleo diesel por um combustível mais limpo no transporte público da cidade.

A Rede Minha Jampa, realizadora da pesquisa, é uma ONG que trabalha com controle social, fiscalizando o executivo e legislativo municipal.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Também concordo, mas as medidas são diversas e não são instantâneas. Há que ter um programa comum pactuado por diferentes agentes que terão decisões sobre este setor.

Deixe uma resposta