SMT vai autuar empresas de ônibus por causa de paralisação de sindicato dos motoristas em São Paulo

Passageiros relataram dificuldades ainda depois das 6h30. Foto: Adamo Bazani - Diário do Transporte / Clique para Ampliar / Ilustrativa

Liberação das garagens só ocorreu depois das 5h. Em torno de 1 milhão de passageiros foram prejudicados por causa do protesto

ADAMO BAZANI

A SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes vai autuar as empresas de ônibus por descumprimento de partidas e horários devido a paralisação no início das atividades desta sexta-feira, 22 de março de 2019, promovida pelo Sindmotoristas , que representa os trabalhadores do setor.

A campanha salarial da categoria tem início nesta sexta e o sindicato também protesta contra a reforma da Previdência. Não se tratou de uma greve.

De acordo com o secretário municipal de mobilidade e transportes de São Paulo, Edson Caram, em entrevistas para emissoras de TV e rádio da cidade, a prefeitura calcula que em torno de um milhão de passageiros foram prejudicados porque os ônibus só deixaram as garagens após às 5h. Até por volta das 6h30, passageiros relatavam atrasos e longas filas em terminais.

O total representa em torno de 10% da demanda diária de passageiros na cidade.

Ainda de acordo com Caram, 571 linhas, das 1300 da cidade foram atingidas pela paralisação.

Em nota, a SPTrans classificou o protesto como manifestação surpresa:

A SPTrans informa que uma manifestação sindical surpresa atrasou o início da operação de garagens das empresas do subsistema estrutural, nesta sexta-feira. Às 5h46, a frota de coletivos já estava circulando, mas ainda com reflexos no atendimento ao usuário. O serviço está sendo normalizado gradativamente.

As operadoras que descumpriram as primeiras partidas programadas, ocasionando intervalos excessivos, serão autuadas pela SPTrans.

Ao todo, um milhão de pessoas que utilizam os 3.820 ônibus de 561 linhas foram afetadas, prejudicando também a operação nos 29 terminais municipais. As linhas do subsistema local operam normalmente.

A equipe de fiscalização da SPTrans orienta os passageiros nos terminais e permanece monitorando a operação das linhas a fim de auxiliar a população.

Relação de garagens afetadas:

Área 1 (Noroestes)

Santa Brígida (Domingos de Souza)

Santa Brígida (Joaquim Oliveira Freitas)

Gato Preto (Av. Eng Alexandre Mackiense)

Área 2 (Norte)

Sambaíba (Elza Guimarães)

Sambaíba (Quirinópolis)

Sambaíba (João Simão de Castro)

Sambaíba (Maria Amália Lopes de Azevedo)

Área 3 (Nordeste)

VIP (Expandir)

VIP (Itaim)

VIP (AE Carvalho)

VIP (Imperador)

VIP (Iguatemi)

Área 4 (Leste)

Ambiental

Área 5 (Sudeste)

Via Sul (Cid. Tiradentes)

Via Sul (Cursino)

Via Sul (Guaianá)

Área 6 (Sul)

Cidade Dutra

Mobibrasil (Eng. George Cobisier)

Mobibrasil (Jorge Duprat Figueiredo)

Mobibrasil (Estrada do Alvarenga)

Área 7 (Sudoeste)

Ambiental (Itapecerica)

Ambiental (Carlos Lacerda)

Gatusa

KBPX

VIP – Guarapiranga

VIP – M’Boi Mirim

Área 8 (Oeste)

Gato Preto

Transpass (Jaguaré)

Transpass (Jd. D’Abril)

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Pedro disse:

    Esta empresa VIP foi uma das que vão continuar a prestar um péssimo serviço na cidade de SP, pois a licitação manteve as mesma empresas de sempre com seus velhos e sujos ônibus, e a VIP e uma das que menos renovaram suas frotas e muito difícil ver um ônibus nova da VIP o que já seria mas do que suficiente para mudar de nome poque de VIP ela não tem nada.

  2. Pedro disse:

    A SMT quando diz que vai multar as empresa entendesse que nada vai ser feito porque e mais do que sabido que empresas de ônibus não pagam multas

  3. Rodrigo Zika! disse:

    Lendo a matéria anterior e essa, porque protestam contra a reforma da previdência, se nem foi esclarecida pra população no geral, ou sera os sindicatos revoltados, porque o trabalhador não vai mais sustenta-los, cobrando a tava abusivamente, piada.

  4. angela merkel disse:

    Infelizmente massa de manobra nas mãos de sindicalista teve funcionários que nem sabiam o porque é foram pagos de surpresa

  5. Anônimo disse:

    Pq a Express não parou? É cooperativa ou empresa igual a VIP?

    1. Rodrigo Zika! disse:

      Não existem mais cooperativas no papel, todas tiveram que mudar pra empresas, porém a forma de trabalho, continua como cooperativa, desde operação ruim ,ate donos de carros suspeitos, envolvido com o crime, a prefeitura fecha os olhos, infelizmente isso nunca ira mudar.

Deixe uma resposta