STJ afirma que anulação da Placa Mercosul traria “eventual dano à ordem pública”

Foto: Detran.RJ

Além de avanço em matéria de segurança pública, sistema de placas significa economia aos cofres públicos

ALEXANDRE PELEGI

Suspender a Placa Mercosul trará dano à ordem pública.

Esta é a conclusão dos ministros da Corte Especial do STJ (Superior Tribunal de Justiça), que por decisão unânime concluiram que o sistema de placas do Mercosul representa economia de dinheiro ao governo, além de reforçar a segurança contra o crime organizado.

Segundo o STJ, a anulação do sistema de placas traria “eventual dano à ordem pública“, uma vez que sete Estados já adotaram o padrão, com mais de 1 milhão de veículos emplacados.

A decisão do STJ foi publicada no dia 27 de fevereiro de 2019, e derrubou em caráter definitivo a liminar que chegou a suspender a placa Mercosul, em 10 de outubro do ano passado.

Relembre: Decisão liminar suspende placa padrão Mercosul / STJ derruba liminar e placa padrão Mercosul volta a valer

A decisão liminar, dada por uma desembargadora do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), impediu o emplacamento em todo o país. Duas semanas depois, no entanto, o presidente do STJ voltou a autorizar a medida, deferindo um pedido da União.

Treze ministros do STJ votaram agora seguindo o voto do relator do processo, ministro João Otávio Noronha, acatando as justificativas da União.

Ainda resta o julgamento da ação principal.

Em seu voto, o ministro Noronha destacou que “são evidentes os prejuízos que podem decorrer da paralisação do novo sistema de emplacamento“.

O ministro aponta os altos valores já investidos pela União para o desenvolvimento do novo formato, já implementado em alguns estados.

Em seu relatório, o ministro cita o “considerável montante a ser economizado“, e estima que a redução dos custos decorrentes da desoneração financeira do Denatran é da ordem de R$ 25 milhões ao ano.

Além disso, o relator assinala o “evidente avanço em matéria de segurança pública” com a placa Mercosul, em relação à “placa cinza“. O sistema unificado de cadastro de dados dos veículos contribui “para o combate ao tráfico de armas e de drogas, ao escoamento de cargas roubadas e a todas as demais vertentes do chamado crime organizado“.

BOLSONARO REAFIRMOU INTENÇÃO DE ANULAR A PLACA DO MERCOSUL

Em uma live no Facebook em 14 de março de 2019, o presidente Jair Bolsonaro voltou a mostrar seu descontentamento com o sistema de placas do Mercosul.

Citando o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, Bolsonaro afirmou: “Vamos ver se a gente consegue anular a placa do Mercosul. É um constrangimento, uma despesa a mais”.

bolson_twitter

Relembre: Bolsonaro reafirma intenção de anular a placa do Mercosul

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Samuel Joselito disse:

    Novo sistema de placas ajuda combater o trafico de armas ! Não interessa ao Bolsonaro !!!!

    1. Jackson disse:

      desde quando ? deixe de ser ingênuo essa placa aí não tem o municipio de onde o carro é nem o estado é o mesmo que nada…. só pra arrancar dinheiro mesmo

  2. Marcos disse:

    As placas do mercosul iram começar a prender bandidos…pois a policia desistiu e quer so multar carros!!!

  3. Rodrigo Zika! disse:

    Sou a favor se o contribuinte não tiver que arcar com a trocas, o que não querem fazer, fez o certo, sempre sobra pro consumidor, empresas automobilísticas sempre com isenção de impostos pelos governos, e sempre vendendo carros com preços exorbitantes, não compatível com a realidade do país, lembro que a muitos anos atras, uma empresa queria fabricar carros no Brasil, com preços baixíssimos, o governo proibiu, e as montadoras junto, uma vergonha, um carro custar o preço de uma casa, dependendo da região, piada.

Deixe uma resposta