Scania e Viação Cidade Sorriso apresentam seis novos ônibus biarticulados inéditos em Curitiba

O modelo foi testado por aproximadamente um ano. Foto: Adamo Bazani.

Modelo foi testado por aproximadamente um ano; redução de custos de aquisição e operacionais estão entre os destaques

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

A Viação Cidade Sorriso, operadora do sistema municipal de Curitiba, e o prefeito Rafael Greca apresentaram na manhã desta quarta-feira, 13 de março de 2019, em frente à Câmara Municipal, seis novos ônibus biarticulados para o sistema. Os veículos são inéditos, da marca Scania, para a cidade.

O modelo foi testado por aproximadamente um ano. Um dos destaques do veículo é a redução de custos, como disse o próprio prefeito Rafael Greca.

Alguns detalhes, como a divisória de vidro atrás do motorista, foram retirados, reduzindo assim o preço de aquisição.

560e9819-d65a-4c83-b979-3a0c0e7156b7

Veículos foram apresentados na manhã desta quarta-feira. Foto: Adamo Bazani.

De acordo com o presidente da Viação Cidade Sorriso, integrante do Consórcio Pioneiro e presidente do Setransp, sindicato que reúne as companhias de ônibus da cidade e da Região Metropolitana, Maurício Gulin, as soluções em engenharia desenvolvidas pela Scania, encarroçadora Caio, Urbs (Urbanização de Curitiba S.A), gerenciadora do sistema e também com a participação das companhias de transporte, fizeram por exemplo com que o veículo tivesse uma tonelada a menos em comparação ao protótipo da Scania.

Maurício Gulin disse que a aquisição dos ônibus é fruto de uma concorrência em um mercado que até então era dominado exclusivamente pela Volvo.

O interior do veículo é simples. Não há ar-condicionado, os elementos e os materiais são de acabamento simplificado, como os bancos, que tradicionalmente em Curitiba não possuem os assentos conforme outros sistemas, como da cidade de São Paulo.

“Este modelo alia conforto para o passageiro e rentabilidade para o operador. Estamos muito felizes com essa parceria em Curitiba”, afirmou o diretor do segmento de ônibus da Scania, Silvio Munhoz.

O ÔNIBUS

O biarticulado Scania F 360 HA 8×2 tem motor dianteiro de 360 cavalos de potência e 1850 Nm de torque, segundo a montadora, o maior da categoria.

As unidades vendidas para a Viação Cidade Sorriso seguem o padrão da Urbs, gestora do sistema municipal.

A posição das portas na carroceria, que é fabricada pela Caio, foi determinada para se adequar às estações-tubo do sistema da capital paranaense.

O comprimento total é de 27 metros e o PBT – Peso Bruto Total é de 43,5 toneladas, também a maior do mercado de urbanos, segundo a Scania.

O câmbio é automático do modelo B 516R de seis marchas da Allison que, segundo a Scania, é programado para reduzir a carga do motor quando o veículo estiver parado e com as trocas sendo realizadas pelo sistema nos momentos ideias permite redução do consumo de combustível e velocidades maiores médias com tempo menor de percurso.

37a562af-c187-479f-99b9-0d5853f108c1

Ônibus tradicionalmente em Curitiba não possuem os assentos. Foto: Adamo Bazani.

A suspensão é a ar com quatro bolsões nos eixos traseiros, freios a tambor, com um sistema chamado EBS que pode diminuir o tempo e a distância de frenagem, ainda segundo a Scania, além de sistema ABS, controle de tração e freio auxiliar retarder.

A LINHA

Os ônibus biarticulados Scania comprados pela Viação Cidade Sorriso vão circular na linha Santa Cândida-Capão Raso, do eixo Norte-Sul.

A demanda diária da linha é de 90 mil passageiros por dia, com perfil diversificado, mas com a maioria sendo formada por estudantes e trabalhadores.

Cada ônibus biarticulado deve operar 10 horas por dia, atingindo uma média de 5,5 mil kms percorridos.

GESTÃO DE FROTA

A Viação Cidade Sorriso, do Grupo Gulin, também contratou o pacote de serviços de gestão e monitoramento de frota chamado PMS Fleet Care, lançado pela Scania em outubro de 2018.

É a primeira empresa de ônibus urbanos a contratar o pacote com a compra de veículos.
Os serviços vão ser prestados pela concessionária Scania, no Paraná, Cotrasa.

O pacote consiste na instituição de um gestor coordenado pela concessionária que vai acompanhar os tempos necessários de manutenção e paradas, o desempenho dos veículos e dos motoristas por meio do sistema de telemetria da Scania.

Este gestor de frota vai ser designado pela própria concessionária sob responsabilidade da fabricante.

O Fleet Care, de acordo com a montadora, tem cinco pilares:

1) O próprio gestor que vai dar todo o apoio à empresa de ônibus.

2) O planejamento de serviços para que os cronogramas de manutenção sejam adaptados à realidade específica da empresa e de cada linha. As condições operacionais entre diferentes linhas podem variar muito numa mesma empresa de ônibus.

3) Monitoramento da “saúde” da frota, conservação, e sinais de defeitos que podem ser corrigidos antes que os problemas se agravem. Este acompanhamento é possível pela ferramenta Scania Fleet Monitoring que reúne todas as informações de cada veículo.

4) Acompanhamento de cada motorista para detectar o estilo de direção. Assim, o sistema tecnológico aponta como cada motorista está se portando, monitorando freadas, acelerações, inclinações devido à velocidade nas curvas, entre outros aspectos. Este diagnóstico pode permitir treinamentos de motoristas de forma mais adequada à realidade da empresa de ônibus.

5) Maior relacionamento com as concessionárias da Scania, podendo até mesmo haver oficinas da marca dentro da garagem.

A empresa também pode, pelo pacote de serviços, optar pela garantia de disponibilidade. Assim, a Scania promete 100% de disponibilidade de uma equipe em determinado período do dia, como de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, por exemplo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Denilson disse:

    É legal a Scania entrar no mercado de biarticulados de Curitiba, mas não concordo com o modelo de ônibus que Curitiba entrega aos seus passageiros a preço de R$4,50 a passagem, pois São Paulo com o valor de R$4,30 tem ônibus com mais lugares sentados e com assentos mais adequados, Wi-Fi, ar condicionado e câmeras de ré e de monitoramento das portas pelo motorista ao embarque e desembarque. Aqui pelas distâncias percorridas pelos ônibus, tamanho de frota e por não ter nenhum dos itens citados era pra ser mais barato.
    Na gestão passada os vereadores fizeram a CPI do transporte, onde foram constatadas diversas irregularidades nos contratos das empresas e que elas já haviam recebido o suficiente para ter feito a renovação da frota e que a licitação tinha sido direcionada para as mesmas empresas que já operavam há anos em Curitiba vencer o certame, fato que até o TCE-PR pediu para a prefeitura cancelar os contratos e refazer a licitação, algo que até hoje não foi feito e quem paga o preço é o usuário do transporte, que paga cada vez mais caro para andar de ônibus e quando vem a renovação fazem tudo para a tecnologia ser mais rentável ao empresário e não melhora em nada o serviço prestado

    1. Paulo Gil disse:

      Denilson, boa noite.

      Parabéns pelo seu comentário; em especial a parte destacada abaixo.

      “…quando vem a renovação fazem tudo para a tecnologia ser mais rentável ao empresário e não melhora em nada o serviço prestado.”

      O seu recado foi muito bem dado e ajudará a todos.

      É isto que tem de ser feito; qualidade e conforto para o passageiro.

      Abçs,

      Paulo Gil

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Pessoalmente eu acho as carrocerias “cabinadas” as mais bonitas; sejam urbanas ou rodoviárias.

    Pena que a Caio não usa a frente do Solar, em substituição a frente do buzão da foto.

    Att,

    Paulo Gil

  3. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Acabei de assistir o filme; parabéns Adamo.

    Fiquei estarrecido com o uso dos bancos DUROS de fibra nestas unidades.

    Curitiba, em 2019, ninguém merece banco de fibra no buzão; nem com tarifa zero.

    Espero que a Secretaria de Transportes de Curitiba reveja e atualize os seus conceitos e especificações; o mundo mudou, já estamos na era da 4a Revolução Industrial e da Inteligência Artificial.

    Att,

    Paulo Gil

    1. Tiago disse:

      Mais uma vez eu concordo com o Paulo Gil

      2019 um busão com esse naipe por fora e com banco duro por dentro e sem ar condicionado. Fizeram feio mesmo

  4. Gilvan disse:

    Ônibus totalmente controverso. Igual a mercedes benz não tem igual, pode ter o torque que for.

Deixe uma resposta para Paulo Gil Cancelar resposta