Trensurb consegue operar com 13 dos 15 novos trens adquiridos em 2012

Foto: Luiz Soares (Trensurb) / ilustrativa

Composições apresentaram defeito logo após entrarem em operação em 2014

ALEXANDRE PELEGI

Pela primeira vez em três anos a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) conseguiu operar com 13 dos 15 trens da série nova, equipados com ar-condicionado.

O fato ocorreu na sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019, no pico do fim da tarde.

É a primeira vez, desde fevereiro de 2016, que a empresa que opera os trens urbanos na região metropolitana de Porto Alegre atinge essa disponibilidade. Em fim de dezembro, o presidente da estatal, David Borille, confirmou que, em março, quando a demanda pelo transporte voltar a crescer, todos os 15 equipamentos vão operar nos horários de pico.

No fim do ano passado, a fabricante concluiu o conserto do 15° trem novo, adquirido ainda em 2012 pelo consórcio FrotaPoa (formado pela francesa Alstom e pela espanhola Caf), que venceu a licitação.

Segundo matéria do Correio do Povo, as composições apresentaram defeito logo quando entraram em operação em 2014.

Em 2016 elas foram retiradas de circulação para conserto, sobretudo nas caixas de rolamento, e até então os 15 trens nunca haviam operado simultaneamente. Relembre: Relatório da Trensurb mostra que Alstom e CAF descumpriram 44% dos itens exigidos sobre desempenho de trens novos

Em fevereiro, como noticiou o Diário do Transporte, dos 15 trens novos, da Série 200, apenas dez estavam disponíveis para circular. Cinco aguardavam peças de manutenção que ainda não haviam chegaram à Trensurb. Relembre: Trensurb propõe ao Governo Federal climatizar trens antigos em troca de aumento na tarifa

Atualmente, a Trensurb opera uma linha de trens urbanos com extensão de 43,8 quilômetros, no eixo norte da Região Metropolitana de Porto Alegre. São 22 estações e uma frota de 25 trens da Série 100 (os mais antigos) e os 15 novos trens integrados da Série 200, atendendo a seis municípios: Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Novo Hamburgo.

A empresa chegou a propor ao governo federal a instalação de ar-condicionado em 15 trens da frota antiga em troca do aumento da tarifa, que passaria dos atuais R$ 3,30 para R$ 4,20, reajuste de 27%. O aumento, solicitado pela empresa, precisa ser aprovado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

Esses trens estão em funcionamento desde 1985, e são os mais utilizados na operação.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta