Trensurb propõe ao Governo Federal climatizar trens antigos em troca de aumento na tarifa

Foto: Divulgação / Twitter

Possibilidade está em documento do presidente da empresa em Porto Alegre encaminhado ao Ministro do Desenvolvimento Regional

ALEXANDRE PELEGI

Tarifa mais cara, mas com trens climatizados.

Essa possibilidade foi aventada pelo presidente da Trensurb, David Borille, em carta encaminhada ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

A Trensurb, empresa do governo federal que opera os trens urbanos na região metropolitana de Porto Alegre, estuda instalar ar-condicionado em 15 trens da frota antiga em troca do aumento da tarifa, que passaria dos atuais R$ 3,30 para R$ 4,20, reajuste de 27%.

O aumento, solicitado pela empresa, precisa ser aprovado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional.

O sistema, também chamado de Metrô de Porto Alegre, possui 22 estações, totalizando 43,4 km de extensão.

Segundo matéria do portal Agora ZH, antigo Zero Hora, Borille sugere instalar ar-condicionado em 15 dos 25 trens da Série 100 caso o aumento de 27% na tarifa se confirme.

Esses trens estão em funcionamento desde 1985, e são os mais utilizados na operação.

Além destes, há 15 trens novos, da Série 200, que já possuem ar-condicionado, dos quais dez estão disponíveis para circular. Cinco estão fora de circulação, aguardando peças de manutenção que ainda não chegaram à Trensurb.

A frota completa deve estar em operação apenas em março, prevê a empresa.

Na carta, segundo o Gaúcha ZH, Borille explica que a falta de climatização nos trens antigos é “a maior queixa dos usuários“. Ele afirma no texto que é “comum ver usuários não pegarem um trem quando ele não tem ar-condicionado, esperando o trem seguinte com ar, gerando superlotação nos novos trens“.

RECOMPOSIÇÃO TARIFÁRIA

A Trensurb aumentou a tarifa em janeiro de 2018 após dez anos de congelamento. O reajuste de 94,1% quase dobrou o valor, que passou de R$ 1,70 para R$ 3,30.

Para 2019, o Conselho de Administração da estatal gaúcha propôs, em dezembro de 2018, um novo aumento, de 27,3%, que elevaria a tarifa de R$ 3,30 para R$ 4,20. Relembre: Tarifa do Metrô de Porto Alegre pode passar a R$ 4,20 em 2019

Afirmando tratar-se da continuidade da recomposição tarifária, o Conselho da Empresa não deu mais detalhes de como chegou a esse percentual.

A assessoria da estatal informou apenas que o Plano de Negócios é um documento exigido pela Lei 13.303/2016, conhecida como Lei das Estatais, que traz informações, projeções e diretrizes que norteiam a atuação da organização.

Pela legislação, as decisões do Conselho de Administração da Trensurb dependem da avaliação de outras instâncias do governo federal. Ou seja, o aumento da tarifa, caso seja aprovado, passará a valer a partir de fevereiro de 2019.

A empresa gaúcha, que opera o metrô de Porto Alegre, é vinculada ao Governo Federal. Até 2002, a estatal era ligada ao Ministério dos Transportes, passando, em 2003, a atender as orientações do Ministério das Cidades. Em janeiro de 2019, com a extinção do Ministério, a Trensurb ficou vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional.

Diante da solicitação de reajuste sugerida pelo Conselho da Trensurb, o Ministério respondeu em nota que a proposta está em análise, mas já adiantou que o aumento deverá ter contrapartida: “qualquer mudança no valor da tarifa deverá estar condicionada a novos investimentos no serviço de transporte público na área de atuação da Trensurb, revertidos em benefícios concretos ao usuário“.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: