Marcopolo comemora 70 anos de história

Publicado em: 24 de fevereiro de 2019

Ônibus Nicola na Festa da Uva 2019, em Caxias do Sul. Foto: Jessica Marques.

Empresa Nicola & Cia Ltda. deu origem à encarroçadora em agosto de 1949

JESSICA MARQUES

O ano de 2019 representa um marco histórico para a encarroçadora de ônibus Marcopolo. Para comemorar as sete décadas, a empresa reuniu os fatos mais marcantes de toda a trajetória.

O primeiro passo da história da Marcopolo foi dado por meio da criação da empresa Nicola & Cia Ltda., em agosto de 1949. A companhia foi fundada pelos três irmãos Nicola, Dorval Antônio, Doracy Luiz e Nelson João, além de seis sócios.

O nome fantasia da empresa, na ocasião, era Carrocerias Caxiense. Um ano depois, o sócio Paulo Bellini começou a fazer parte do time, na área administrativa. Após algumas décadas, o executivo tornou-se presidente da Marcopolo.

DÉCADA DE 1950

A primeira página da história da Marcopolo, ainda como Nicola & Cia Ltda., foi escrita em um pavilhão localizado na esquina das ruas Treze de Maio e Os 18 do Forte, em Caxias do Sul.

Em 1952, a empresa deu início à produção das primeiras carrocerias de aço. Em 1957, o aumento da produção tornou necessária a transferência da empresa para o Bairro Planalto.

Confira as imagens dos primeiros ônibus:

fotos-histricas-de-produtos---1949_27464309174_ofotos-histricas-de-produtos---1949_28000448201_ofotos-histricas-de-produtos---1950_27463731173_ofotos-histricas-de-produtos---1950_27797167490_ofotos-histricas-de-produtos---1952_27463768143_ofotos-histricas-de-produtos---1953_27464435984_ofotos-histricas-de-produtos---1954_27463791323_ofotos-histricas-de-produtos---1954_28044074696_ofotos-histricas-de-produtos---1955_27463823683_ofotos-histricas-de-produtos---1956_28000640301_ofotos-histricas-de-produtos---1957_27463884023_ofotos-histricas-de-produtos---1957_27797340650_ofotos-histricas-de-produtos---1958_27797377700_ofotos-histricas-de-produtos---1958_27975760012_ofotos-histricas-de-produtos---1958_28000690311_o

DÉCADA DE 1960

Após o período com o nome Nicola, surgiu a nomenclatura Marcopolo, inicialmente em um modelo de ônibus. Segundo a empresa, trata-se de uma homenagem ao navegador italiano Marco Polo, que passou 24 anos integrando culturas e explorando novos caminhos.

O novo nome surgiu com o lançamento do ônibus Marcopolo no VI Salão do Automóvel em São Paulo.

Confira as imagens da época:

1960_28519445151_o1961_28519448361_o1962_27982063113_o1962_28519451871_o1964_27982065003_o1964_28519455181_o1965_28519463941_o1965_28565407746_o1967_27980787444_o1968_27980865404_o

DÉCADA DE 1970

A década de 1970 foi marcada pelo lançamento do Marcopolo II. O carro-leito contava com 18 poltronas-camas até modelos com 45 lugares.

Em 1971, o sucesso do ônibus Marcopolo fez com que a Nicola adotasse o nome do modelo em sua razão social.

Na mesma época, foi assinado o 1º Contrato de Transferência de Tecnologia com a Ensamblaje Superior de C.A. da Venezuela, para fornecimento de carrocerias em CKD para serem montadas na Venezuela.

Por este fato, a Marcopolo tornou-se a primeira empresa da indústria automobilística brasileira a vender tecnologia no segmento de ônibus.

Em 1977, Paulo Bellini foi eleito presidente do Conselho de Administração da Marcopolo.

No ano seguinte, surgiu o Marcopolo III Articulado. Foi o primeiro ônibus rodoviário intermunicipal articulado a ser produzido no país.

Na mesma década, a Marcopolo também começou a produzir trólebus.

1970_27981040644_o1970_27982310783_o1971_27982309043_o1971_28491302092_o1972_27981033054_o1972_27981034864_o1973_28313744570_o1974_28313744010_o1974_28598111065_o1975_28313743430_o1976_28598110255_o1977_28313742380_o1979_28598108495_o

DÉCADA DE 1980

A década de 1980 trouxe como novidades a inauguração da Unidade Ana Rech, em Caxias do Sul, e a Geração IV: Viaggio, Paradiso, Strada, Urbano Torino e Micro Sênior.

1980_28491333902_o1981_28491337322_o1982_27982343433_o1983_28565724066_o1983_28598160155_o1984_28565727036_o1985_27981076864_o1985_27982345983_o1986_28519742971_o1989_27982345163_o1989_28519740681_o

DÉCADA DE 1990

Em 1991, foi realizada a inauguração da Escola de Formação Profissional Marcopolo. No ano seguinte, surgiu a Geração V: Viaggio 850, Viaggio 1000, Paradiso 1150 e Paradiso 1450.

Em 1995, foi feito o lançamento do rodoviário Paradiso 1800 Double Decker: o primeiro ônibus brasileiro de dois andares.

Devido ao seu sucesso do modelo, em 2001 a Volare se tornou uma unidade de negócios especializada no desenvolvimento de miniônibus.

1991_28519789151_o1992_28598194555_o1992_28598194695_oImagem 191996_28565771256_o1996_28598198095_o1998_28313843820_o1998_28598192035_o

ANOS 2000

O início dos anos 2000 foi marcado pelo lançamento da Geração VI da Marcopolo.

Em 2005, ocorreu a constituição do Banco Moneo S.A. Instituição financeira focada no financiamento de produtos Marcopolo.

Em 2011, foi lançado o Viale BRT e, no ano seguinte, o Audace, um modelo destinado ao transporte em linhas de curtas e médias distâncias.

Em 2015, cinco novos modelos passam a comercializados: Paradiso 1350, Intermunicipal Ideale, Torino Express (articulado), Torino Low Entry e Torino motor traseiro.

Neste ano, para celebrar os 70 anos de fundação, a Marcopolo lançou a campanha Todas as gerações pelo mundo, na Festa da Uva 2019, em Caxias do Sul.

Segundo James Bellini, presidente do Conselho de Administração da Marcopolo, a campanha foi dividida em três linhas de atuação: “Institucional – com um anúncio com a imagem de uma estrada que simboliza os diferentes territórios desbravados por um ônibus; Pessoas – mote central do filme institucional, representadas pelos colaboradores, que fazem acontecer e que mostram a relação pessoal com a profissional. As pessoas são únicas e singulares, e o trabalho em equipe é a união de diferentes pessoas em busca de um mesmo propósito, e Produtos – criado por pessoas, produzido por pessoas, conduzido por pessoas, porque todo mundo é bem-vindo a bordo de um ônibus Marcopolo”.

Segundo dados da Fabus (Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus), a Marcopolo terminou o ano de 2018 como líder de mercado considerando o número de carrocerias produzidas.

Relembre: Carrocerias Torino e Paradiso 1800 DD são carros-chefe da Marcopolo, segundo diretor do negócio ônibus

2011_28230311884_o2011_28276529464_o2011_28563483980_o2011_28742782192_o2011_28742782382_o2011_28847864355_o2012_28230311734_o2012_28232893653_o2012_28294901023_o2012_28563483660_o2012_28742783072_o2015_28834721081_o

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Claudio disse:

    Linda história!
    Durante 17 anos participei ativamente no elenco dos que compartilharam dos bons e maus momentos dessa conquista.
    Gratificante rever velhos personagens, alguns ainda na ativa. Parabéns a todos.

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Parabéns Marcopolo!

    Lindas fotos.

    Os Nicolas rodoviários cabinados, o Marcopolo II, o G-7 Paradiso 1350 e o Viale BRT são os mais charmosos.

    Pena que da Ciferal só restou o Torino; pois a Ciferal tinha modelos lindos como os da foto no estádio do Pacaembú.

    Espero que agora com a transferência da linha de produção dos micros para a Neobus, os designers façam o Senior e o Volare; no melhor estilo “NEW-ROAD”.

    O Senior já passou da hora de mudar.

    Att,

    Paulo Gil

    1. ZéTros disse:

      Boa Noite Paulo,

      Os modelos da Neobus perderam seus desenhos originais e viraram dublês dos produtos Marcopolo, apenas com alterações no desenho frontal e traseiro. O New Road teve sua produção encerrada.

      O Torino não restou da Ciferal, pq sempre foi um produto da Marcopolo e o Sênior já foi reestilizado..

      1. Paulo Gil disse:

        ZéTros, bom dia.

        Obrigado pelas informações e atualizações.

        Fiquei triste com a notícia do fim do New Road, na minha opinião ele é estiloso.

        Quanto ao Torino agora me lembrei creio que ele veio quando da aquisição da Nimbus Furcare pela Marcopolo, se eu não me engano.

        Sinceramente eu nem percebi a reestilização do Senior, mas entendo que ele precisava dar uma renovada mais perceptível e ousada.

        Abçs,

        Paulo Gil

  3. Jair disse:

    Obrigado pela linda materia
    Eu usava diariamente os ônibus com carroceria Nicola da Auto Viação Intercontinental, contando com 8 monoblocos e 30 LPs MERCEDES/NICOLA, numa única linha que saia do Jardim São benBe (ZN) para o Museu do Ipiranga, via estação sorocabana e a antiga estação Rodoviária.
    Com a transferência da estação Rodoviária a linha acabou .
    Mas tenho muitas saudades
    Felizes aqueles tempos para todos nós brasileiros

  4. Jair disse:

    Desculpem
    Jardim São Bento é o correto

  5. Francis Da Veiga disse:

    Parabéns a Marcopolo pelos seus 70 anos de História

  6. joaquim Fernandes Filho disse:

    BOM DIA A TODOS.
    …nossa!…parabéns pela matéria sobre carroceria NICOLA…nota DEZ.
    …A CMTC (Municipal, urbana), aqui de SP- CAPITAL..na década de 1970 tinha uma frota magnifica de ” Nicolas ” …”motorzão” ALFA ROMEO(F.N.M.38 lugares…)Foram apelidados de : “Tremendões”; amava viajar neles…( tinha 11 anos…tenho foto…) .A VIAÇÃO DIADEMA LTDA…também tinha uma frota de ” Nicolas” …motor MERCEDES-BENZ…
    ….

    1. Paulo Gil disse:

      joaquim Fernandes Filho, boa noite.

      Se possível, manda a foto dos Tremendões para o Diário do Trasporte; não me lembro deles.

      Adamo, se o Joaquim enviar a foto, por favor inclui ela nesta matéria.

      Abçs,

      Paulo Gil

  7. joaquim Fernandes Filho disse:

    . .muito significativo…DEZ…

  8. Oscar disse:

    Curti muito ler a matéria!
    Minha lembrança alcança os modelos fabricados a partir da década de 1970, quando usava ônibus para ir à escola, na cidade de Osasco/SP.

  9. Renato Carlos Pavanelli disse:

    Parabéns ao DIÁRIO do TRANSPORTE em mostrar parte extremamente importante da história do Brasil e do Transporte de Passageiros em Geral.

    Gostaria Muito, se pudesse Publicar história e fotos do EXPRESSO BRASILEIRO de VIAÇÃO e RÁPIDO BRASIL, desde a Fundação do Brasileiro até o final da Administração do senhor Manoel Diegues (grande empreendedor).
    Obrigado.

    Renato Carlos Pavanelli.

Deixe uma resposta