Após TAC com Ministério Público, CPTM conclui obras de acessibilidade na Estação Mogi das Cruzes

Linha 11-Coral está totalmente acessível, segundo a CPTM. Foto: Divulgação.

Inicialmente, intervenções deveriam ter sido finalizadas em 2014, mas nova negociação estendeu prazo para 2020

JESSICA MARQUES

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou nesta quarta-feira, 30 de janeiro de 2019, que concluiu as obras de acessibilidade na Estação Mogi das Cruzes, no Alto Tietê. As intervenções deveriam ter sido finalizadas em 2014.

Após o fim das obras , a Linha 11-Coral está totalmente acessível, segundo a Companhia. A CPTM informou que o investimento foi de cerca de R$ 628 mil.

A Companhia, porém, descumpriu os prazos estipulados pelo MPE (Ministério Público Estadual) para garantir acessibilidade em quatro estações, entre elas a Estação Mogi das Cruzes.

Em dezembro de 2012, a CPTM e o MPE assinaram um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) no qual a Companhia se comprometeu a oferecer acessibilidade em todas as estações até 2014. Após descumprimento do prazo, em 2017 as partes firmaram novo acordo, com prazos que vão até 2020.

Relembre: CPTM descumpre prazos estipulados por MP para garantir acessibilidade em estações do sistema

ITENS DE ACESSIBILIDADE

Após o fim das obras, a Estação Mogi das Cruzes teve o saguão ampliado. O espaço agora conta com “sanitário acessível unissex, além da instalação de rampas com corrimãos para acesso à estação e às plataformas 1, 2 e 3, piso tátil direcional e de alerta nas plataformas, e ajustes nas bilheterias com a ampliação do balcão e a instalação de intercomunicadores”, conforme informou a Companhia, em nota.

Além disso, a CPTM também informou que foi instalada uma nova comunicação visual e tátil no saguão, nos acessos e plataformas. Na área externa, foi feito o rebaixamento da calçada. Agora, a estação possui uma vaga para embarque e desembarque de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

“Outra intervenção foi a implantação de uma lombo-faixa na rodovia Henrique Eroles, na área lateral da estação. A passagem assistida para travessia dos passageiros entre as plataformas foi reformada e recebeu a aplicação de material antiderrapante e piso de alerta lateral.”

ACESSIBILIDADE NO SISTEMA

Em junho de 2018, o Diário do Transporte noticiou que quase 40% das estações da CPTM não oferecem acessibilidade. Na ocasião, as estações Braz Cubas, Mogi das Cruzes e Estudantes não estavam completamente acessíveis, na Linha 11 – Coral.

Relembre: EXCLUSIVO: Quase 40% das estações da CPTM não oferecem acessibilidade

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta