Curitiba perde 2,9 milhões de passageiros de ônibus em um ano

Os dados mostram que de janeiro a dezembro de 2018, 176,74 milhões de passageiros pagaram tarifa em Curitiba. Foto:Cesar Brustolin/SMCS

Segundo o Setransp, queda foi de 1,61% em 2018, comparado ao ano anterior

JESSICA MARQUES

A capital paranaense perdeu 2,9 milhões de passageiros de ônibus em um ano. Segundo informações do Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), a queda foi de 1,61% em 2018, comparado ao ano anterior.

O número de pessoas a menos nos ônibus municipais representa uma perda de 7.923 passageiros pagantes por dia, em média, também de acordo com informações do sindicato.

Os dados mostram que de janeiro a dezembro de 2018, 176.738.992 pagaram tarifa em Curitiba, enquanto em 2017 haviam 179.630.911 passageiros pagantes. Nesta conta, os beneficiários de gratuidades e descontos não são considerados.

Ao considerar o número de passageiros em 2011, a queda é ainda maior. Na ocasião, foram 246,89 milhões de  pessoas que embarcaram nos ônibus municipais e pagaram passagem. A quantidade é 28,4% maior que em 2018.

Nos anos seguintes, foi possível observar uma queda constante. Em 2012, foram 241,24 milhões de passageiros. Em 2013, 239,16 milhões; em 2014, 227,04 milhões; em 2015, 211,78 milhões; em 2016, 199,51 milhões; em 2017, 179,63 milhões e, por fim, em 2018, 176,74 milhões.

Portanto, a perda foi de quase 20 milhões de passageiros pagantes de 2016 para 2017 e de 2,9 milhões de 2017 para 2018, conforme frisou o Setransp.

Além da queda na demanda, os passageiros que pulam a catraca dos ônibus em Curitiba, no Paraná, geram prejuízo de R$ 6 milhões por ano. De acordo com uma pesquisa realizada pelas Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, o valor anual do prejuízo com quem entra sem pagar nos coletivos equivale ao preço de cinco biarticulados novos.

Relembre: Passageiros que pulam catraca de ônibus em Curitiba geram prejuízo de R$ 6 milhões por ano

Uma pesquisa divulgada em junho de 2018 mostra que, em média, 3.995 pessoas por dia embarcam sem pagar a passagem na capital. O número foi levantado em março de 2018 e representa um aumento de 2% com relação a agosto de 2017, data em que foi feito o último levantamento, que resultou em uma média de 3.907 passageiros, conforme já noticiado pelo Diário do Transporte.

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou, em maio de 2016, uma lei contra os chamados “fura-catraca”, que são passageiros que entram nos ônibus sem pagar.

A multa prevista para esse ato é equivalente a 50 passagens (hoje, R$ 212,50), porém a lei ainda depende de regulamentação sobre a fiscalização, segundo informações das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana.

Para coibir a ação, a empresa Transporte Coletivo Glória instalou na manhã desta quarta-feira, 9 de janeiro de 2019, anteparos na estação-tubo Passeio Público, em Curitiba. Os bloqueios foram colocados nas portas 1 e 5 da plataforma, em ambos os sentidos, para evitar que os passageiros entrem nos ônibus sem pagar.

Relembre: Empresa instala anteparos em estação-tubo de Curitiba para evitar que passageiros entrem em ônibus sem pagar

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Denilson O. osta disse:

    Tarifa cara, ônibus lotado, má qualidade na prestação do serviço aliado a falta de visão de futuro dos gestores em querer investir em outros modais como metrô, trem, VLP, VLT que são transportes de alta capacidade e diminuição nas integrações metropolitanas (que são mais caras ainda que da capital), é um caminho sem volta: ou faz essas modificações ou vai continuar perdendo para transporte individual, aplicativos e por consequência aumentar a poluição e o trânsito ficará mais carregado assim como em outras grandes cidades brasileiras.

Deixe uma resposta