Campina Grande (PB) tem integração temporal nos ônibus a partir de sábado

Passageiro terá uma hora para utilizar o cartão no segundo ônibus, sem que seja cobrada uma nova passagem. Foto: Divulgação.

Projeto foi proposto pelo prefeito Romero Rodrigues como alternativa ao aumento de tarifa

JESSICA MARQUES

Os moradores de Campina Grande, na Paraíba, poderão fazer integração temporal nos ônibus municipais a partir deste sábado, 12 de janeiro de 2019. O projeto foi proposto prefeito Romero Rodrigues como alternativa ao aumento de tarifa.

Relembre: Campina Grande (PB) adia novamente discussão sobre reajuste na tarifa e anuncia integração temporal

Na época, foi anunciado que o novo sistema entraria em vigor a partir de 10 de janeiro de 2019, por meio de bilhetagem eletrônica, o que foi modificado.

A decisão de implantar a integração foi tomada durante uma reunião realizada pelo Conselho Municipal de Transportes, na STTP (Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos).

A reunião, na época, iria discutir um possível aumento no valor da passagem, que atualmente custa R$ 3,30. Marcada para tratar do pedido de aumento da tarifa do transporte público, feito pelas empresas de ônibus, a reunião deveria ter ocorrido em 20 de dezembro, foi adiada e não tratou deste assunto. Até o momento, o reajuste não foi discutido.

Relembre: Reunião para debater aumento da tarifa de ônibus é adiada em Campina Grande

O projeto foi apresentado pelo Sitrans (Sindicato das Empresas de Passageiros de Campina Grande). Segundo a entidade, o passageiro terá uma hora para utilizar o cartão no segundo ônibus, sem que seja cobrada uma nova passagem.

Uma das regras é que os veículos não podem operar na mesma linha. Caso o tempo esteja esgotado ou o ônibus esteja cumprindo exatamente o mesmo itinerário, outra tarifa será cobrada.

“Segundo estudos realizados, uma hora é o suficiente para que os passageiros façam essa integração temporal, e o usuário só poderá pegar o segundo ônibus se o veículo for de outra linha. Se por acaso houver algum caso isolado, vamos avaliar e mudar esse tempo”, explicou o vice-presidente do Sitrans, Adalberto Nascimento, ao G1.

A Integração Temporal vale para os distritos de Campina Grande e para a área do Terminal de Integração já existente.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta