Empresas de ônibus de BH se manifestam contra modalidade “Uber Juntos”

Publicado em: 2 de janeiro de 2019

Foto: Divulgação (prefeitura de BH)

Sindicato das viações mineiras, assim como o SPUrbanuss, defendem que modalidade é uma forma de “transporte clandestino”, posição defendida pela NTU

ALEXANDRE PELEGI

Assim como em São Paulo, as empresas de ônibus de Belo Horizonte estão preocupadas com a concorrência com a Uber, em especial, com a modalidade “Uber Juntos”, pela qual passageiros que não se conhecem compartilham o carro, com pontos de embarque e desembarque definidos no momento da solicitação do serviço.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (SetraBH) protocolou em 2018 uma carta à prefeitura da capital mineira onde afirma que o novo tipo de serviço prestado pelas empresas é exclusivo dos ônibus, configurando, portanto, transporte clandestino.

O jornal O Tempo informa na edição desta quarta-feira, dia 2 de janeiro de 2019, que a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) recebeu a carta e está avaliando a situação.

Os argumentos utilizados pelas empresas de ônibus de BH são os mesmos utilizados pelo SPUrbanuss, sindicato que representa as companhias do subsistema estrutural de São Paulo: a Uber é uma empresa de “transporte individual remunerado”, e a modalidade “Uber Juntos” se trata de transporte coletivo com as mesmas características dos serviços dos ônibus, com embarque e desembarque em pontos determinados no pedido do carro e compartilhamento de um mesmo veículo.

Para as empresas de ônibus, a modalidade não passa de transporte coletivo, igual ao que elas fazem, mas sem as mesmas exigências, como horários, itinerários fixos e transporte de gratuidades.

A carta da SPUrbanuss foi protocolada no dia 13 de novembro de 2018, e a da SETRA-BH no dia 27 de novembro. Relembre: Empresas de ônibus de São Paulo pedem à prefeitura que proíba as atividades do Uber compartilhado na cidade

NTU SE MANIFESTOU CONTRA SERVIÇO COMPARTILHADO:

No final de novembro do ano passado, a NTU – Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos, que reúne em torno de 500 companhias de ônibus no País, divulgou uma carta aberta na qual fala dos impactos dos aplicativos nos sistemas de transportes públicos e nas receitas das empresas.

Em entrevista ao Diário do Transporte, o presidente da entidade, Otávio Cunha, disse que em algumas cidades, a perda de demanda para todas as modalidades de aplicativos foi de em torno de 5%. Para ele, permitir as modalidades Uber Juntos e Pool + seria o mesmo que decretar o fim do setor de transporte coletivo, que já acumula perda de 25% dos passageiros de 2014 a 2017.

Cunha citou o caso de Belo Horizonte: “O Uber Juntos e a outra modalidade lançada pela 99 em Belo Horizonte são serviços que se travestem de transporte público e não são mais transportes individuais de pessoas. Em uma mesma viagem, ele opera em determinado percurso e vai angariando passageiros ao longo do trajeto”. Relembre: Empresas de ônibus dizem que já perderam 5% dos passageiros para aplicativos

DSCN4003 - Cópia

APLICATIVOS AINDA NÃO FORAM REGULAMENTADOS EM BH:

O Projeto de Lei (PL) 490/2018, do Executivo municipal, que regulamenta o transporte de aplicativos na capital, ainda tramita na Câmara de Vereadores de Belo Horizonte.

Enviado em fevereiro de 2018 pelo prefeito Alexandre Kalil para apreciação da Câmara, o PL foi aprovado em primeiro turno no dia 5 de dezembro de 2018. A proposta deve voltar a plenário para votação em segundo turno provavelmente em fevereiro de 2019.

O texto original do PL determina que as empresas de aplicativos tenham sede na capital mineira e só atendam às chamadas feitas por aplicativos.

Outra regra proposta pelo PL da prefeitura determina que as empresas devem recolher 1% do valor das corridas pelo uso da malha viária local para os cofres municipais. Esses recursos seriam revertidos totalmente em melhorias na cidade, conforme o Plano Diretor de Mobilidade Urbana de BH (PlanMob-BH).

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. FABIO RICARDO DOS SANTOS disse:

    Agora e transporte clandestino, tá doendo no bolso das empresas mais quando era no táxi não tinha problema era tudo legal ,agora aguenta

  2. CRoosC disse:

    Essa de Uber faz fazer muita gente ficar sem emprego ainda escreve aí

  3. Fabio Almeida disse:

    Agora a população vai falar que os motoristas dos ônibus são mau educados tbem, fedorentos e etc!Taxista não banca campanha de ninguém mas agora eles mexeram com os maiores financiadores da política quem sabem agora alguém coloca ao menos regra nessa zona! !!!

  4. Daniel Duarte disse:

    Existem muitas cidades pequenas que não possuem transporte coletivo, esse Uber Juntos seria muito bem vindo.

Deixe uma resposta