Arsec aprova reajuste dos ônibus em Cuiabá: tarifa passa a R$ 4,10 a partir de amanhã, 2 de janeiro

A partir de janeiro de 2019 ônibus articulados com ar-condicionado, wifi, e tomadas USB passam a circular na capita mato-grossense. (Foto: prefeitura de Cuiabá)

Aumento foi discutido em audiência pública e não deverá ser barrado pelo prefeito

ALEXANDRE PELEGI

A Arsec – Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá aprovou no dia 31 de dezembro de 2018 o aumento da tarifa do transporte público de Cuiabá, capital de Mato Grosso.

A proposta não deve ser barrada pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

A medida, que reajustou a tarifa em 6,7%, foi discutida em audiência pública e passa a valer a partir do dia 2 de janeiro de 2019, quarta-feira.

O aumento dos atuais R$ 3,85 para R$ 4,10 atende à reivindicação das empresas de ônibus de Cuiabá, que solicitaram reajuste de R$ 0,25 na tarifa para 2019. A proposta foi entregue à Arsec, que após debates aprovou o reajuste. Relembre: Empresas de ônibus de Cuiabá querem reajuste de R$ 0,25 na tarifa

A Arsec levou em consideração relatório produzido pela própria Agência sobre o valor anual da tarifa e o relatório de Pesquisa de Opinião Pública. Além disso, itens que impactaram no custo da operação do transporte coletivo também foram considerados, como a variação do preço do óleo diesel, além do custo da manutenção da frota de ônibus. No caso do diesel, o valor médio do combustível em 2017, que era de R$ 3,32, passou para R$ 4,12 em 2018, 24 % de aumento.

Outros pontos que foram levados em conta foram o reajuste salarial dos motoristas somados a benefícios pré-fixados, segundo a Convenção Coletiva de Trabalho, e a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). A média salarial dos motoristas, somados os benefícios, subiu de R$ 2.757 para R$ 2.880 em 2018.

A tarifa de ônibus de Cuiabá foi reajustada pela última vez há um ano, em janeiro de 2018, quando passou de R$ 3,60 para R$ 3,85. O aumento autorizado pelo prefeito foi inferior ao solicitado pelas empresas, que queriam o valor de R$ 4,10.

Relembre: Tarifa dos ônibus de Cuiabá sobe para R$ 3,85 no dia 2 de janeiro de 2018

Com uma frota de 363 veículos, que operam cerca de 70 linhas, o transporte coletivo de Cuiabá atende a uma demanda anual de mais de 69 milhões de viagens.

PREFEITURA PROMETE LICITAR TRANSPORTE PÚBLICO EM ABRIL DESTE ANO:

A Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) de Cuiabá afirmou que o edital da concorrência para os serviços de transporte coletivo urbano deve ser lançado no mês de abril de 2019.

A atual concessão foi licitada em 2002, mas os contratos começaram a vigorar em junho de 2004, com prazo de duração equivalente a 10 anos.

Em 2009, foi assinado um termo aditivo e, em dezembro de 2012, o contrato foi estendido novamente por cinco anos.

Com isso, o contrato das empresas que operam o serviço de transporte público na capital expira em junho de 2019, e a intenção da prefeitura era já lançar o edital de uma nova concessão ainda em 2018, o que não aconteceu.

TRANSPORTE COLETIVO É DESAPROVADO POR USUÁRIOS:

Uma pesquisa feita a pedido da Arsec (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá) revelou que a maioria dos usuários do transporte coletivo de Cuiabá avalia o serviço como regular, ruim ou péssimo. A coleta de dados foi realizada em julho deste ano. Veja os principais pontos:

– De 1.509 passageiros, 62,7% não avaliaram os ônibus da capital como um bom serviço prestado à população;

– 87% acreditam que o valor atual da tarifa, de R$ 3,85, não faz jus à qualidade dos serviços prestados;

– 57,2% dos passageiros avaliaram como regular, ruim ou péssima a condição de conservação dos ônibus, o que inclui limpeza e conforto; 42,7% consideram a conservação dos ônibus boa ou ótima.

– seis em cada 10 passageiros não confiam nos horários programados do transporte coletivo da capital; mais da metade afirmou acreditar que não chegaria ao destino no horário previsto, na ocasião em que o levantamento foi feito.

– 55,8% dos passageiros os consideraram ruim ou péssimo o estado dos pontos de ônibus instalados em Cuiabá; apenas 11,3% acreditam que as paradas sejam boas ou ótimas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta