Em greve, rodoviários de Manaus paralisam metade da frota de ônibus

Paralisação teve início na manhã desta sexta e funcionários cruzaram os braços novamente no período da tarde. Foto: Renato Miotto

Em nota, sindicato da categoria informou que a paralisação caminha para 100%

JESSICA MARQUES

Os rodoviários de Manaus paralisaram metade da frota de ônibus da capital na tarde desta sexta-feira, 21 de dezembro de 2018. Em nota, o sindicato da categoria informou que a paralisação caminha para 100% dos veículos sem operação.

A empresa Açaí Transportes teve toda a frota paralisada no início desta sexta e a Líder Transportes operou apenas nas primeiras horas do dia, também com parte da frota.

Segundo o STTRM (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus), a greve ocorre porque os trabalhadores não receberam o 13 salário.

De acordo com informações do Portal Amazônia, os motoristas e cobradores decidiram voltar ao trabalho após uma reunião com representantes da empresa Líder Transportes. O pagamento do 13º seria feito até 11h desta sexta, conforme o que foi combinado.

O Sinetram (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas) informou, por meio de nota, que não foi notificado sobre a paralisação.  A entidade patronal garantiu que está mantendo diálogo com o Sindicato dos Rodoviários para que o transporte público volte ao normal.

Motoristas e cobradores do transporte coletivo de Manaus iniciaram uma paralisação também na tarde desta quinta-feira, dia 20 de dezembro de 2018.

Relembre: Empresas de ônibus de Manaus não pagam 13ֻº e em protesto rodoviários recolhem ônibus às garagens

Esta não é a primeira vez em que questões salariais motivam uma paralisação dos rodoviários.

Em 16 de julho, os rodoviários de Manaus impediram que os ônibus da empresa Global Green deixassem as garagens no início da operação.

Relembre: Rodoviários de Manaus fazem paralisação parcial nesta segunda-feira

Na época, o dia 20 de julho foi estabelecido como prazo para o pagamento dos salários dos funcionários, que estava atrasado.

Em junho, os trabalhadores realizaram outra paralisação, para reivindicar reajuste salarial.

Após sete dias de greve dos rodoviários de Manaus, que resultou em 61 ônibus depredados e deixou passageiros sem transporte, a paralisação foi encerrada. Houve acordo entre a categoria e as empresas.

Pelo acordo, os funcionários receberiam 5,5% de reajuste salarial, no biênio 2017-2019. O valor é composto por 3,5% de aumento referente aos primeiro ano e inflação relativa deste ano e do próximo. Os valores serão pagos a partir de agosto, conforme o que foi acordado.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta