Rodoviários de Manaus fazem paralisação parcial nesta segunda-feira

Publicado em: 16 de julho de 2018

(Foto: Arquivo Jornal A Crítica/AM)

Ato afetou circulação de coletivos de empresa na Zona Leste da capital amazonense, Categoria protesta por atraso de salários, e promete greve geral a partir do dia 20 de julho

ALEXANDRE PELEGI

Os rodoviários de Manaus impediram que os ônibus da empresa Global Green deixassem as garagens no início da operação nesta segunda-feira, dia 16 de julho de 2018.

A paralisação dos serviços, que durou mais de uma hora, afetou a vida de quem depende de transporte coletivo na Zona Leste de Manaus.

Os coletivos da Global Green ficaram presos até 5h50. Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) informou que a paralisação, que durou 1h:20, atingiu cerca de 7 mil pessoas, que ficaram sem ônibus. A empresa opera em 43 linhas, com 199 ônibus, na Zona Leste.

Na última quinta-feira, dia 12 de julho, os rodoviários do transporte público de Manaus já haviam paralisado as linhas que partem do Terminal de Integração 1, no Centro de Manaus. A manifestação durou cerca de uma hora.

As paralisações têm sido realizadas por conta dos salários atrasados. O Sinetram informou, no dia, que as empresas de ônibus estão com problemas no fluxo de caixa.

RODOVIÁRIOS PROMETEM GREVE NO DIA 20 DE JULHO

Neste fim de semana os rodoviários de Manaus já haviam ameaçado entrar em greve na próxima sexta-feira, 20 de julho de 2018. A data foi estabelecida como prazo para o pagamento dos salários dos funcionários.

A categoria, que inclui motoristas e cobradores do transporte público coletivo, informou que recebeu apenas 20% do pagamento. Além disso, os trabalhadores informaram que não vão aceitar parcelamento do restante do valor.

Em junho, os trabalhadores realizaram uma paralisação, para reivindicar reajuste salarial.

Após sete dias de greve dos rodoviários de Manaus, que resultou em 61 ônibus depredados e deixou passageiros sem transporte, a paralisação foi encerrada. Houve acordo entre a categoria e as empresas.

Pelo acordo, os funcionários vão receber 5,5% de reajuste salarial, no biênio 2017-2019, segundo informações da Agência Brasil. O valor é composto por 3,5% de aumento referente aos primeiro ano e inflação relativa deste ano e do próximo. Os valores serão pagos a partir de agosto, conforme o que foi acordado.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta