Em entrega de linha de linha acessível, Bruno Covas diz que novos contratos dos ônibus serão assinados até o final de janeiro

Foto: Adamo Bazani

Segundo prefeito, algumas críticas ao processo de licitação têm “interesses” por trás

ADAMO BAZANI

Colaborou Alexandre Pelegi

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse com exclusividade ao Diário do Transporte, na manhã desta sexta-feira, 07 de dezembro de 2018, que os novos contratos com as empresas de ônibus devem ser assinados no fim de janeiro, logo depois da entrega das propostas, isso se não houver recursos de possíveis concorrentes contra a licitação.

Nesta quinta-feira, 06, a SMT – Secretaria de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo relançou os três editais da concorrência que deveria ter sido concluída em 2013, ainda na gestão de Fernando Haddad.

Os valores dos contratos foram revisados e chegam a R$ 71, 14 bilhões.

Relembre: EM PRIMEIRA MÃO: Editais de licitação dos ônibus de São Paulo são lançados pela prefeitura e contratos sobem para R$ 71,14 bilhões

Ao longo destes cinco anos, a licitação sofreu bloqueios do TCM – Tribunal de Contas do Município e críticas de empresários de ônibus, vereadores e ONGs.

Para Bruno Covas, algumas destas críticas são movidas por interessados nas operações dos ônibus.

Foi feita uma discussão pública. Claro que quando a gente lida com uma discussão como esta, há interesses por trás. Muitas vezes, estas críticas são feitas por quem também tem interesse [no sistema]. A gente tem tranquilidade porque todos os critérios foram discutidos em audiências públicas, são transparentes e auditados pelo Tribunal de Contas do Município. É difícil achar um critério que todo mundo ache que é perfeito. É claro que isso tem interesse por trás” – disse.

Bruno Covas ainda ressaltou que haverá mudanças nas linhas, com cortes e fusão de trajetos, mas garantiu que tudo será feito de forma gradativa e, se as mudanças não agradarem à população, poderão ser revistas.

Nada vai ser feito da noite para o dia” – disse Bruno Covas ao Diário do Transporte.

LINHA ACESSÍVEL:

As declarações de Bruno Covas foram feitas durante a apresentação de dois miniônibus totalmente acessíveis, com capacidade para quatro cadeiras de rodas cada um.

Os veículos começam a operar no próximo sábado, 8, na linha 476L-10 (Metrô Vila Mariana/Lar Escola São Francisco). O trajeto da linha foi modificado e vai atender a cerca de 20 locais de atendimento de saúde, como as unidades da rede Lucy Montoro, a AACD, APAE, Lar Escola São Francisco e a Dorina Nowill Para Cegos.

Atendida pela AACD, Edinéia Pereira dos Santos elogia o fato de o miniônibus estar configurado para transportar mais de uma cadeira de rodas.

É importante porque mais pessoas com deficiência podem ir juntas. Antes tinha de ir na frente e os outros nos ônibus que vinham atrás” – contou ao se referir aos ônibus comuns que possuem espaço para apenas uma cadeira de rodas.

Também atendido pela AACD, Marcílio da Silva Ferreira, disse que outra característica que agradou no ônibus foi que o veículo é menor.

Com relação a estabilidade, é fantástico. Como é menor não sacoleja tanto. O fato de ser menor, agiliza a locomoção também” – disse.

O presidente da AACD, Marcelo Kheirallah, disse que os veículos vão ajudar as pessoas atendidas pela instituição a chegar mais facilmente ao local.

Este modelo de ônibus é um avanço no atendimento às pessoas com deficiência e mostram que há uma preocupação da prefeitura com o tema” – disse.

O secretário da pessoa com deficiência, Cid Torquato, disse que a rede de transportes deve ter mais miniônibus com esta configuração.

Ônibus como estes com certeza ampliam a participação das pessoas com deficiência na cidade. A SPTrans estuda mais linhas com este tipo de demanda” – contou o secretário.

Ouço o áudio dessa reportagem:

DETALHES DA LINHA E DO VEÍCULO

Os miniônibus são do modelo Volare Access, de piso baixo total e foram comprados pela empresa MobiBrasil. Os ônibus terão validadores e agentes de bordo além do motorista. Todas as motoristas serão mulheres. O Diário do Transporte participou em março da apresentação desse modelo de miniônibus, quando passou a operar uma nova linha acessível, a 605 A/10, ligando o Terminal Jabaquara e o Centro Paralímpico. Relembre: Linha com miniônibus acessíveis em São Paulo começa no sábado, 17

Segundo a SPTrans, a cada um dos motoristas, cobradores e fiscais será entregue uma cartilha elaborada pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência em conjunto com a SPTrans, com informações sobre o atendimento às pessoas com deficiência no transporte público.

A linha 476L-10 passará a operar nos dias úteis e aos finais de semana, das 6h às 20h, com 28 partidas de segunda à sexta-feira e 15 partidas aos sábados e domingos. A estimativa é transportar cerca de 560 passageiros por dia. O itinerário foi estendido, com os veículos passando a circular em parte das ruas Napoleão de Barros, Estado de Israel e Botucatu.

Os ônibus do tipo Padron serão todos substituídos pelos miniônibus Volare Access, plenamente adaptados para o atendimento a pessoas com mobilidade reduzida.

Os veículos não têm catracas (são equipados com validador), possuem espaço para até quatro cadeiras de rodas, piso baixo e porta dianteira com acesso por meio de rampa, além de suspensão pneumática com sistema de movimentação vertical, que permite o rebaixamento do veículo para facilitar o embarque e desembarque.

Com capacidade para 13 passageiros sentados e 19 em pé, o miniônibus possui espaço para quatro cadeiras de rodas, totalizando 36 passageiros. A frota da cidade tem, dentre seus 14.351 ônibus, 95% deles com acessibilidade.

Veja outras fotos:

mobi_volare_01

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_02

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_03

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_05

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_06

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_07

mobi_volare_08

Foto: Adamo Bazani

mobi_volare_09

Foto: Adamo Bazani

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Alexandre Pelegi, especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: