Linha com miniônibus acessíveis em São Paulo começa no sábado, 17

Linha especial terá três miniônibus acessíveis. Dois em operação e um na reserva.

Serão dois veículos em operação com intervalos de 15 minutos

ADAMO BAZANI

A SPTrans apresentou na manhã desta terça-feira, 13, o modelo de miniônibus que vai operar uma nova linha acessível na cidade.

A 605 A/10 vai ligar o Terminal Jabaquara e o Centro Paralímpico, próximo ao km 11,5 da rodovia dos Imigrantes. O inicio das operações é no dia 17 de março, próximo sábado.

Serão dois miniônibus em operação e mais um reserva. O intervalo será de em média 15 minutos e o trajeto de 3,9 km será percorrido em cerca de 15 minutos. A demanda prevista é de 2,5 mil passageiros por dia.

Os miniônibus são do modelo Volare Access, de piso baixo total. Não haverá catracas nestes veículos. Os ônibus terão validadores e agentes de bordo além do motorista. Todas as motoristas serão mulheres.

Os veículos foram comprados pela empresa MobiBrasil. A capacidade é para 19 pessoas em pé, 13 sentadas e 4 cadeiras de rodas.

Modelo tem espaço para quatro cadeiras de rodas, 13 pessoas sentadas e 19 em pé.

Segundo o Secretário de Mobilidade e Transportes, Sergio Avelleda, a escolha do modelo se deu porque a região do Centro Paralímpico tem um acesso difícil para ônibus comuns.

Nos dias de semana, a operação será das 6h às 22h; aos sábados das 6h às 20h e aos domingos, das 6h às 18h15.

LABORATÓRIO

O presidente da SPTrans, José Carlos Martinelli, disse que a linha será um laboratório e que pode haver na cidade mais serviços com veículos semelhantes.

Martinelli, entretanto, disse que independentemente do modelo do ônibus, com a licitação do sistema da cidade, a frota deve ser 100% acessível.

Secretário da Pessoa com Deficiência testa acessibilidade de miniônibus

ALÉM DO ÔNIBUS

O Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, presente na apresentação do ônibus, destacou a importância da linha como sendo um marco, mas admitiu que há muito a ser feito.

Além de ônibus acessíveis, é necessário deixar a cidade acessível. Existem veículos com equipamentos, mas as pessoas com Deficiência têm dificuldade de chegar a eles.

Sergio Avelleda criticou a legislação Nacional sobre calçadas.

“A Legislação Brasileira de Calçadas, que dá ao proprietário autoridade para fazer sua calçada, contribui para esse déficit que ainda temos. O proprietário olha para a calçada não como via, mas como meio de acesso ao seu imóvel. A calçada é via e a maior parte das viagens nesta cidade é feita a pé” – disse Avelleda, que ainda acrescentou que as concessões dos terminais à iniciativa privada vão exigir que os espaços sejam de fato acessíveis.

A Secretaria de Mobilidade e Transportes também realiza, segundo Avelleda, reuniōes com a empresa Otima, concessionária dos pontos e paradas de ônibus para melhorar conforto, acessibilidade e informação nestes equipamentos.

“Ainda há muitas paradas sem cobertura, sem proteção aos usuários” – disse.

APLICATIVO

Por meio de aplicativos de celular, o passageiro de ônibus pode também contar com acessibilidade desde a hora de esperar a condução.

O CittaMobi Acessibilidade, por exemplo, possui sinais sonoros e é conectado ao GPS dos ônibus.

O aplicativo recebe um sinal de GPS emitido pelo ônibus e informa ao deficiente visual quando a linha desejada está chegando.

Além disso, o aplicativo faz o celular vibrar quando o ônibus desejado é identificado próximo ao ponto. O recurso é feito para que o passageiro não precise aguardar a chegada do coletivo com o celular na mão.

Outro recurso do CittaMobi Acessibilidade é que o aplicativo indica qual ônibus pode ser utilizado para chegar em determinado destino. Com isso, não é preciso que o passageiro utilize outro aplicativo para traçar rotas.

Entre os recursos de acessibilidade, é possível aumentar a fonte das letras ou optar por receber informações em áudio. “A criação do aplicativo visa a autonomia e segurança dos deficientes, que antes dependiam dos outros para saber qual ônibus pegar e a hora de descer” – descreve a CittaMobi.

O CittaMobi Acessibilidade, assim como a versão regular, é compatível com os sistemas Android e IOS e pode ser baixado gratuitamente através da App Store e Google Play.

Adamo Bazani, jornalista especializado em Transportes.

2 comentários em Linha com miniônibus acessíveis em São Paulo começa no sábado, 17

  1. ANTONIO CELSO ZANETTI // 14 de março de 2018 às 00:27 // Responder

    A malha viaria da cidade de São paulo exeto alguns corredores não a ônibus que aguente muito tempo rodando então infelismente o sistema ja nasce deficitario porque amalha viaria provoca muita quebra no veiculo muito recolhe assim provoca o não cumprimento das partidas obrigatoris ai gera multas e mais multas somando tudo isso São poucos os empresarios que aguente os gastos o eu estou errado..

  2. Por ser a linha curta com aproximadamente 2 km pelo que pesquisei no google mapas , bem que podia ter a rota extendida e passar o ônibus no zoologico, zoo safari e shop plaza sul.

1 Trackback / Pingback

  1. Em entrega de linha de linha acessível, Bruno Covas diz que novos contratos dos ônibus serão assinados até o final de janeiro – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: