Trabalhadores do transporte rodoviário da Grande Vitória entram em greve

Foto: Agência Brasil

Liminar da Justiça concedida neste domingo determina que 70% da frota de ônibus deverá circular em horário de pico. Às 9h trabalhadores deverão se reunir no GVBus, sindicato das empresas, para negociar. Assembleia da categoria, para avaliar movimento, está marcada para às 16h

ALEXANDRE PELEGI

Começou nesta segunda-feira, dia 3 de dezembro de 2018, a greve dos trabalhadores do transporte rodoviário da Grande Vitória, Espírito Santo. O transporte público atende a 650 mil pessoas na região diariamente.

A Polícia Militar se posicionou logo no início da manhã junto aos terminais e em frente às garagens para garantir a circulação dos ônibus. Não há confronto e o clima é tranquilo.

A Justiça do Trabalho determinou ontem, domingo, que 70% da frota de ônibus deverá circular em horário de pico em caso de greve dos rodoviários. Relembre: Justiça determina circulação de 70% da frota de ônibus em horário de pico durante greve na Grande Vitória

O presidente do sindicato da categoria, José Salles, garantiu que os trabalhadores estão cumprindo o determinado pela Justiça, de 70% da frota circulando no horário de pico da manhã. A informação é do jornal Gazeta de Vitória.

O desembargador José Luiz Serafini, do Tribunal Regional do Trabalho, deferiu parcialmente o pedido de liminar do GV-Bus e do Setpes (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Espírito Santo) determinando um percentual mínimo de operação da frota de ônibus durante a greve.

Segundo a decisão, o Sindirodoviários (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Espírito Santo) deve manter 70% da frota em funcionamento das 6h às 9h e das 17h às 20h. Nos demais horários, a liminar impõe que 50% da frota esteja nas ruas.

Também neste domingo o governador Paulo Hartung divulgou um vídeo apelando para que os rodoviários cumpram a decisão judicial, e mantenham em circulação pelo menos 70% da frota de ônibus durante os horários de pico.

O QUE MOTIVA A GREVE:

A proposta dos empresários de reajuste salarial de 3% foi considerada insuficiente pela categoria, que decidiu manter a paralisação.

Os rodoviários querem 4% de reajuste mais a inflação tanto para os salários quanto para o tíquete-alimentação e plano de saúde. A categoria também recusou o pedido de adiar a paralisação em uma semana, para negociações.

Atualmente, o salário dos motoristas é de R$ 2.228 e do cobrador é de R$ 1.150. O tíquete-alimentação, por sua vez, é de R$ 696.

Mesmo com a decisão de greve mantida, uma nova rodada de negociação está marcada para a tarde desta segunda.

Ainda em novembro, a greve foi deflagrada para segunda-feira, com previsão de 30% da frota circulando.

Um edital foi publicado pelo sindicato com os detalhes da greve.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/11/29/rodoviarios-da-grande-vitoria-confirmam-greve-de-onibus-para-segunda-feira-com-circulacao-de-30-da-frota/

Segundo o documento, a paralisação foi determinada em assembleia geral realizada nesta terça-feira, 27 de novembro de 2018, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: Sindicato aprova greve de ônibus para segunda-feira na Grande Vitória (ES)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta