Viação Princesa Tecelã acusa Prefeitura de causar desequilíbrio financeiro na empresa

Os funcionários da empresa deflagraram uma paralisação para reivindicar o recebimento de salário. Foto: Divulgação.

Administração informa que não pode ser responsabilizada pelo descumprimento de obrigações trabalhistas

JESSICA MARQUES

A Viação Princesa Tecelã, responsável pelo transporte público de Americana, no interior de São Paulo, acusou a Prefeitura de causar desequilíbrio financeiro na empresa. A administração municipal, por sua vez, informou que pode ser responsabilizada pelo descumprimento de obrigações trabalhistas.

Os funcionários da empresa deflagraram uma paralisação para reivindicar o recebimento de salário. A viação, por sua vez, enviou uma nota à imprensa local confirmando que pode não haver receitas para o pagamento dos trabalhadores.

A viação acusa a Prefeitura de Americana de querer “destruir uma empresa que se confunde com a história do município”. A empresa informou ainda que está proibida de vender passagens e carregar cartões para as empresas desde 1º de novembro e que “somente esta venda é responsável por 65% do faturamento da Princesa Tecelã”.

“A empresa fez todo o possível para regularizar a frota – e conseguiu – e também os tributos, mas a Prefeitura mostrou-se insensível e não reconhece que a situação chegou onde está porque a sistemática da tarifa impõe um desequilíbrio econômico cujo resultado é o enfrentamento diário de dificuldades no fluxo de caixa”, informou a viação.

A Viação Princesa Tecelã também mencionou ter sido surpreendida com a necessidade de arcar com as verbas rescisórias de 300 trabalhadores em dezembro deste ano, “o que era programado para ocorrer somente em 2022 com o término do contrato”.

“Estas decisões da municipalidade mostram a precipitação em destruir uma empresa que se confunde com a história do município e também uma insensibilidade com os compromissos principalmente quando todos estes atos comprometem imediata, clara e especificamente as finanças da empresa. A Viação Princesa Tecelã tenta em reiteradas oportunidades expor a situação para a Administração Municipal a fim de encontrar uma solução em conjunto, porém sem sucesso”.

Por sua vez, a Prefeitura informou que há mais de um mês foi decretada a caducidade do contrato, “com antecipação de datas e exposição de motivos, dando à VPT prazo suficiente para que se organizasse o processo de encerramento”.

“Cabe ao município buscar e fiscalizar para que o melhor serviço de transporte público seja prestado; e cabe à contratada cumprir com suas obrigações relativas ao próprio contrato. À concessionária cabe ainda dar condições aos trabalhadores para que exerçam suas obrigações com dignidade e respeito”, informou ainda a administração municipal, em nota.

Os motoristas e demais funcionários da empresa Viação Princesa Tecelã decidiram no início da noite desta quarta-feira, 07, que nesta quinta-feira, 08, os serviços de transportes voltam a ser normalizados.

Os ônibus já voltaram a circular no município, por volta das 8h30, mas os passageiros informam que a operação ocorre com atrasos.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/11/07/greve-de-onibus-em-americana-termina-nesta-quinta-feira-08-diz-sindicato/

Após romper o contrato em 15 de setembro de 2018, com a Viação Princesa Tecelã (VPT), a prefeitura de Americana, interior de São Paulo, anunciou a nova empresa que vai operar o transporte público municipal a partir de 1° de dezembro, a Sancetur. (Relembre)

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta