Assembleia em Curitiba contra retirada de cobradores pode afetar horários nesta quinta, diz Sindimoc

Sindicato diz que dirigir e cobrar pode trazer problemas de saúde aos trabalhadores e afetar segurança no trânsito. Foto: Site-Sindimoc – Clique para ampliar

Trabalhadores podem decretar greve-geral contra projeto de bilhetagem eletrônica que deve acabar com a função

ADAMO BAZANI

O Sindimoc – Sindicato de Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana confirmou para esta quinta-feira, 08 de novembro de 2018, às 15h, a assembleia que pode decretar greve de ônibus na capital paranaense.

Em comunicado nesta quarta-feira, a entidade disse que durante o ato, o serviço de transportes pode ser prejudicado.

“Nesta quinta-feira (8), o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) realizará uma Assembleia na Praça Rui Barbosa, às 15h, para aprovação de indicativo de greve geral da categoria. O transporte coletivo deve ser afetado no horário da mobilização, já que os operadores estão conscientes da importância dessa reivindicação”

Segundo a entidade, não há uma orientação para que os profissionais parem amanhã, mas muitos deles, mesmo em horário de trabalho devem participar do ato.

O Sindimoc diz ainda na nota que durante a assembleia podem surgir outras manifestações pela cidade.

“Durante a Assembleia, pode ser que surjam novos protestos. A Assembleia é decorrente da proposta de projeto de lei enviada pelo Executivo à Câmara de Vereadores de Curitiba que pretende extinguir a profissão dos cobradores. O projeto abre espaço para implantação de bilhetagem em todo o sistema, o que hoje é proibido.  Por esse motivo, os cobradores estarão presentes nessa Assembleia, repudiando o projeto de lei enviado pela Prefeitura de Curitiba. Assim como os motoristas, que valorizam essa profissão, tendo também a consciência de que é possível que mais tarde exerçam dupla função – o que é inviável para a segurança do transporte coletivo.”

O Sindimoc quer que a administração do prefeito Rafael Greca volte atrás em um projeto que enviou para a Câmara Municipal e que pode extinguir a função dos cobradores.

O projeto abre espaço para implantação de bilhetagem em todo o sistema, o que hoje é proibido, segundo o sindicato.

A entidade contesta a alegação da prefeitura, autora da proposta, e da URBS – Urbanização de Curitiba S.A., gerenciadora do sistema, que “trabalhadores serão reaproveitados”.

“No contexto de desemprego, com milhões de brasileiros desempregados. Com o Paraná tendo mais de 200 mil pessoas procurando emprego e outros milhares na informalidade, é inadmissível um projeto de lei que causa a demissão de 6 mil pais e mães de famílias. Isso é o equivalente a praticamente três montadoras, onde essas pessoas vão trabalhar? Não podemos admitir isso, vamos lutar até o fim para impedir que essa medida avance na Câmara Municipal”, reforçou na nota, o presidente do sindicato, Anderson Teixeira.

Como noticiou o Diário do Transporte, empresas de ônibus de Curitiba, no Paraná, prometeram ir à Justiça caso o resultado da assembleia dos cobradores e motoristas prejudique a operação do transporte público na capital.

Em nota publicada nesta terça-feira, 6 de novembro de 2018, o Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana) informou que buscará reparação na Justiça caso a assembleia da categoria afete o serviço regular de transporte coletivo.

“Além disso, o Setransp considera desproporcional e descabida a possível aprovação de indicativo de greve em razão de um projeto de lei que apenas começou a tramitar – tendo pela frente um longo período de debates e discussões na Câmara – e que trata de tema também considerado na Convenção Coletiva 2018/2019, assinada em conjunto com o Sindimoc”, informou o Setransp, em nota.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/11/06/empresas-de-onibus-de-curitiba-prometem-ir-a-justica-se-assembleia-de-cobradores-e-motoristas-prejudicar-operacao/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Assembleia em Curitiba contra retirada de cobradores pode afetar horários nesta quinta, diz Sindimoc

  1. Eu acho isso uma tremenda falta de respeito, com os colaboradores de serviços urbanos, se realmente acontecer vai ser um caos, assim como aqui nas cidades de santos, saõ Vicente e Guarujá, , que tiraram os cobradores e hoje quem sofre somos nós usuários e os demitidos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: