CPTM homologa licitação, adjudicação e extrato de contrato das obras da extensão ferroviária da linha 9-Esmeralda

Linha 9 esmeralda Foto: Via Trólebus

No dia 10 de outubro a Companhia já confirmara o resultado final da concorrência, vencida pelo Consórcio Concrejato-Alberoni e Arruda

ALEXANDRE PELEGI

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM publicou no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 31 de outubro de 2018, a homologação da licitação, adjudicação e extrato de contrato referente às obras de complementação da extensão ferroviária da Linha 9 Esmeralda, entre as estações Grajaú e Varginha (Lote 1).

O Consórcio vencedor da concorrência, Concrejato-Alberoni e Arruda, assumirá contrato no valor de R$ 76.391.506,25, com prazo de vigência de 30 meses: 18 meses mais 12 meses para a operação assistida.

homologa_linha9

No dia 10 de outubro deste ano a Companhia republicou no Diário Oficial a Concorrência nº 8433170011, relativa à execução de obras da extensão da linha 9-Esmeralda, após concluir a etapa de julgamento dos recursos administrativos interpostos pela empresa Consbem Construções e Comércio LTDA. A empresa questionara o  resultado do julgamento dos documentos para habilitação e o resultado final da licitação. Relembre: CPTM confirma resultado final de licitação para obras da extensão ferroviária da linha 9-Esmeralda

Após negar o provimento aos recursos, a CPTM manteve inalterado o resultado que já havia sido publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no Diário Oficial da União no dia 20 de setembro de 2018, que classificou em primeiro lugar o Consórcio Concrejato-Alberoni e Arruda, composto pelas empresas Concrejato Serviços Técnicos de Engenharia S/A e Alberoni e Arruda Serviços de Engenharia Ltda.

HISTÓRICO

Após sucessão de atrasos, o Governo do Estado prometeu em abril deste ano que a obra de extensão ferroviária da linha 9-Esmeralda, trecho entre as estações Grajaú e Varginha, estaria concluída no segundo semestre de 2019.

As obras começaram a ser feitas pelo Estado em 2013 e deveriam ter ficado prontas em 2015, porém foram paralisadas por falta de dinheiro. Em 2016, o Governo divulgou que a conclusão das intervenções seria no segundo semestre de 2018.

No dia 17 de abril de 2018 o Governador Márcio França anunciou a retomada das obras de extensão da linha até Varginha, prevendo que o trajeto estendido entraria em operação no segundo semestre de 2019.

Na época do anúncio do Governo, o edital de obras complementares do lote 1 já havia sido publicado, no dia 3 de abril, com a previsão de que os serviços comecem já no segundo semestre de 2018.

Também está prevista a construção das duas novas estações (Mendes-Vila Natal e Varginha). Segundo a CPTM, as obras vão atender moradores do extremo sul de São Paulo: Grajaú, Estrada dos Mendes, Varginha, Vila Natal, Jardim Icaraí, Jardim São Bernardo e Conjunto Residencial Palmares.

As intervenções preveem o prolongamento do ramal em 4,5 km e a criação de duas estações, Vila Natal e Varginha. Também está prevista a construção de quatro viadutos. O maior deles terá 94,5 metros de extensão e fará a transposição sobre a Avenida Paulo Guilguer Reimberg, em Varginha.

A Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) transporta atualmente cerca de 620 mil usuários por dia útil. Com a ampliação de 4,5 km entre Grajaú e Varginha, a projeção da CPTM é de que sejam acrescentados à linha 110 mil usuários atendidos pelo futuro trecho.

A Linha 9-Esmeralda tem conexão com o Metrô nas estações Santo Amaro (Linha 5-Lilás) e Pinheiros (Linha 4-Amarela) e com a Linha 8-Diamante da própria CPTM, nas estações Osasco e Presidente Altino. Também há integração com ônibus nas estações Grajaú, Jurubatuba, Santo Amaro, Morumbi, Berrini, Pinheiros e Osasco.

FINANCIAMENTO

O valor inicial previsto para a obra de extensão era de R$ 350 milhões. Agora, segundo o Governo do Estado, o valor das construções é de R$ 945 milhões, quase o triplo. As obras vão continuar devido à liberação de um montante feita por parte do Governo Federal.

“O Ministério das Cidades liberou recursos de R$ 25 milhões e autorizou o início da construção de quatro viadutos rodoviários, que farão a transposição da via férrea no trecho de 4,5 quilômetros em implantação” – informou o Governo do Estado.

Os contratos dos quatro viadutos foram assinados com um deságio de cerca de R$ 5 milhões sobre o preço orçado e prazo de conclusão de 18 meses, conforme informado pelo Governo Estadual.

Até o fim de 2016, a obra de extensão foi executada com verba do Governo do Estado. Em outubro de 2017, a União liberou os primeiros valores para dois contratos, totalizando R$ 91,8 milhões. Segundo o Governo, os serviços englobam a implantação de sinalização das vias e do Sistema de Integração ao CCO (Centro de Controle Operacional) do trecho de 4,5 km em construção.

Relembre: Governo do Estado consegue recursos para extensão da Linha 9 da CPTM

Segundo informações da CPTM no primeiro semestre, o contrato para elaboração de projeto executivo, fabricação, fornecimento e Implantação do sistema de energia será homologado e também deverá receber recursos do governo federal.

O Governo do Estado afirma que, dos R$ 945 milhões, R$ 500 milhões foram prometidos pelo Governo Federal desde 2014 por meio do PAC da Mobilidade.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: