Santa Teresa (RJ) recebe 14 novos bondes até 2019

Atualmente, seis trens circulam no sistema

JESSICA MARQUES

O Governo do Estado do Rio de Janeiro receberá 14 bondes novos até 2019 para o bairro de Santa Teresa, na capital. O contrato é de R$ 40 milhões com a empresa fornecedora T’Trans.

As informações foram publicadas pela Revista Ferroviária. Segundo informações do diretor de engenharia da T’Trans, Paulo Munck, os novos trens são equipados com um sistema de freio pneumático mais moderno e um sistema de freio que utiliza os motores para desacelerar o sistema.

Outra novidade é que há um terceiro sistema de freios que é magnético e adere aos trilhos, além do freio de estacionamento.

Por fim, outra particularidade dos novos bondes é que os motores viram geradores de energia para a rede aérea, em uma espécie de retroalimentação, também de acordo com Munck.

A previsão é de que até o fim do ano cheguem mais dois bondes a Santa Teresa, cada um ao custo de R$ 3 milhões, segundo informações do Governo do Estado.

Uma nova composição entrou em fase de testes no Bonde de Santa Teresa em 16 de outubro. Com o novo carro, atualmente existem seis bondes em circulação.

Relembre: Nova composição entra em fase de testes no Bonde de Santa Teresa, no Rio de Janeiro

NOVOS TRILHOS

Para os próximos dias está prevista a inauguração de um trecho de 600 metros de trilhos para o bonde. Desta forma, será viabilizada a ligação entre a Travessa Vista Alegre e o Largo do França.

Até dezembro, mais um quilômetro está previsto para ser entregue, chegando até a parada Dois Irmãos.

Há quase seis anos, num dia 27 de agosto de 2011, o bondinho de Santa Teresa envolveu-se num grave acidente: uma falha no sistema de freios o fez chocar-se contra um poste e tombar. Como consequência seis pessoas morreram e 56 ficaram feridas, incluindo turistas franceses, americanos e portugueses.

Os reparos no bonde começaram em 2013, dois anos depois do acidente. O trecho percorrido atualmente pelo bonde é de quatro quilômetros, que correspondem ao caminho entre o Largo da Carioca, no Centro, e a Praça Odylo Costa Neto, no Largo dos Guimarães.

Se todas as obras forem entregues, o caminho ficará com seis quilômetros. A extensão é a mesma que os trilhos possuíam antes de ocorrer o acidente.

FUNCIONAMENTO

Os bondes funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30; aos sábados, das 10h às 17h30, e aos domingos e feriados, das 11h às 16h30, entre o Largo da Carioca e o Largo do França.

O trajeto do bonde até a Praça Odylo Costa Neto ocorre em horários especiais: pela manhã (9h e 10h) e à tarde (15h, 16h e 17h). A operação até a Rua Francisco Muratori ocorre em dois horários: às 8h e às 15h.

A tarifa para embarcar no bonde é de R$ 20 (duas viagens). Moradores do bairro que estejam previamente cadastrados, estudantes da rede pública uniformizados e com o cartão escolar, pessoas acima de 65 anos e portadores do Vale Social têm gratuidade.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

1 comentário em Santa Teresa (RJ) recebe 14 novos bondes até 2019

  1. Queria que tivesse em SP desses.

Deixe uma resposta