Assembleia de credores da Comil é suspensa por 60 dias para negociação com instituições financeiras

Ônibus da Comil. Foto – Divulgação/Clique para ampliar

Segundo encarroçadora de ônibus os entendimentos devem ser concretizados e empresa registra aumento de produção de 38%

ADAMO BAZANI

Colaborou Jessica Marques

A assembleia geral dos credores no processo de recuperação da encarroçadora de ônibus Comil, que deveria ser realizada nesta terça-feira, 18 de setembro de 2018, foi suspensa por 60 dias após parecer favorável pela suspensão por 97,14% dos participantes, segundo informações da empresa.

A fabricante de Erechim disse que a o processo está nas etapas finais. Nestes 60 dias, a estimativa da fabricante é concretizar as negociações com as instituições financeiras credoras.

Após este procedimento, deve ser realizada a votação final do Plano de Recuperação Judicial.

Ainda segundo a empresa, os pagamentos antecipados dos débitos trabalhistas que foram aprovados no dia 31 de agosto pelo juiz Julio Rossi, da 2ª Vara Cível de Erechim, vão continuar até a aprovação do Plano de Recuperação Judicial. São pagamentos de R$ 800 mil por mês que iniciaram em setembro.

De acordo com a Comil, em nota, os credores aprovaram a suspensão da assembleia para a negociação com os bancos por que a empresa tem apresentado bons índices econômicos.

A companhia diz que é a segunda maior fabricante de carrocerias de ônibus rodoviários do país e que sua produção no acumulado do ano até agora cresceu 38% em relação ao mesmo período de 2017.

Por causa do aumento de vendas e produção, foram contratados 93 funcionários para a planta de Erechim.

A fabricante de carrocerias de ônibus está em processo de recuperação judicial desde 2016, quando as dívidas eram de R$ 430 milhões.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Jessica Marques

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta