Rio de Janeiro é primeiro estado brasileiro a adotar placas padrão Mercosul nos veículos

Motoristas já podem fazer a troca, que não é obrigatória para todos os carros

JESSICA MARQUES

O Rio de Janeiro passa a ser o primeiro estado brasileiro a adotar placas padrão Mercosul nos veículos. A partir desta terça-feira, 11 de setembro de 2018, a troca já está disponível para os motoristas, mas não é obrigatória para todos os carros.

Segundo informações do Detran-RJ, a placa do Mercosul tem como objetivo garantir mais segurança para a população. Isso porque o novo padrão vem com um QR Code que identifica os dados de confecção, desde a identificação do fornecedor até o número, data e ano e modelo de fabricação do carro, permitindo identificar clonagem, por exemplo.

O valor do emplacamento com o novo padrão continua o mesmo para o modelo antigo, R$ 219,35. É possível tanto trocar a placa voluntariamente quanto receber a novidade no veículo quando for feita uma venda ou compra, por exemplo.

O Detran disponibiliza emplacamento de carros zero-quilômetro, transferências de propriedade, de jurisdição e de município e alteração de categoria.

O lançamento do novo padrão de placa foi realizado nesta terça no posto do Detran na Avenida Francisco Bicalho.

O presidente do Denatran – Departamento Nacional de Trânsito, Maurício Pereira, garantiu que as placas no padrão Mercosul só deverão ser obrigatórias para veículos novos ou para transferências.

Proprietários de motos, carros, comerciais leves, caminhonetes, caminhões, reboques, ônibus e trólebus não precisam se preocupar porque não vão precisar adotar o novo modelo de placa para circularem, segundo ainda as declarações do responsável pelo departamento.

A promessa foi feita por Maurício Pereira em sessão da Comissão de Viação e Transportes, na última quarta-feira, 25.

Relembre: Presidente do Denatran garante que placas padrão Mercosul serão apenas veículos novos e transferências

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    SP deveria também começar, onde tem muita incidência de placas clonadas, tendo em mente que esse novo modelo terá um código único e rastreio, isso ira diminuir clonagens de placas atualmente.

Deixe uma resposta