Uber quer mostrar a brasileiro que usar aplicativo é mais vantajoso que ter carro próprio

Empresa oferece prêmio de 1 ano de Uber grátis para quem fizer teste que calcula quanto custa manter um carro no país

ALEXANDRE PELEGI

Vale a pena ter carro em nossas cidades?

Para o brasileiro esta pergunta soa meio sentido, em boa parte devido à paixão que muitos nutrem pelos automóveis desde que a indústria automobilística aportou por aqui, há mais de meio século.

O status conferido pelo automóvel particular antagoniza muito com a conceituação que se dá ao usuário de ônibus: ter um carro próprio é quase um atestado de que alçamos um degrau na escala social (sim, ônibus é visto como veículo utilizado por “pobres”…), mais até do que o desconforto e as agruras que o transporte coletivo oferece, em grande parte pela ausência histórica de investimentos públicos no setor.

O advento da economia disruptiva veio jogar mais combustível nessa fogueira, ao oferecer uma solução curiosa: o cidadão pode usar carro sem precisar comprar um. Um meio caminho entre não precisar gastar com manutenção e prestações a perder de vista, impostos e seguro, e, ao mesmo tempo, poder pagar um valor menor que o de táxi e ainda com certo conforto e mordomia.

Apesar da história não ser bem essa, foi assim que ela nos foi contada logo que surgiu o Uber, seguido quase que de imediato por rivais que oferecem, na prática, o mesmo serviço. Muda o selo, mas mantém-se o, digamos, glamour da atividade.

O Uber, às voltas com uma guerra na regulamentação de seus serviços em importantes cidades do mundo, acaba de lançar a campanha O Peso do Seu Carro. Trata-se de uma ferramenta no site da companhia que permite aos usuários saber, em média, quanto gastamos para manter um carro particular.

No lançamento da campanha, o texto diz de cara aonde pretende chegar:

“Enfrentar o trânsito todos os dias é difícil. Entre engarrafamentos e estacionamentos, você perde tempo e dinheiro. Desenvolvemos o teste Peso do Seu Carro para lhe ajudar a avaliar quanto o carro pesa no seu bolso e na sua rotina e ao final dela, você ainda pode concorrer a 1 ano de Uber grátis“.

A estratégia de marketing da empresa parece ter um foco claro, afinal ela vem sendo acusada de roubar passageiros do transporte público ao invés de tirar carros das ruas, como sempre alardeou… Pesquisas realizadas justamente nas principais americanas, berço do Uber e fonte de grande parte de suas receitas, têm colocado a plataforma na berlinda. Afinal, ao invés de solução para congestionamentos ao retirar carros das ruas (reduzindo acidentes e emissões de poluentes), os aplicativos têm feito exatamente o contrário. E de quebra colocando-se como fonte de preocupação crescente como fator que pode inviabilizar o sistema de transporte coletivo. Esta, aliás, foi uma das motivações que levaram a cidade de Nova York a promover uma legislação que impõe um limite máximo para os carros que atuam com serviços de carona paga na cidade.

 

A campanha lançada pela Uber eesta semana no Brasil tenta vender a ideia de que os aplicativos de transporte de passageiros por automóveis funcionam como complemento ao transporte público, e não concorrente a ele.

Se isso é certo ou não, ainda é cedo para saber. Mas enquanto isso, o teste que a companhia oferece traz consigo um prêmio atraente: usar o serviço gratuitamente por um ano, o que equivale a um crédito de R$ 14.600. Este valor foi calculado com base em duas viagens solicitadas pelo Aplicativo por dia, no valor de R$20,00 cada, por 365 dias.

A promoção vale para quem fizer o teste entre 15 de agosto e 15 de setembro. O vencedor felizardo vencedor será conhecido no dia 22 de setembro.

Para fazer as contas e tentar a sorte, clique no link.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta