Câmara aprova projeto que prevê ônibus só para mulheres em Goiânia

Prefeitura ainda precisa aprovar o projeto, para entrar em vigor. Foto: Divulgação.

Medida tem a intenção de combater abuso sexual no transporte público

JESSICA MARQUES

A Câmara de vereadores de Goiânia aprovou um projeto que prevê ônibus urbanos exclusivos para mulheres na cidade. A medida tem como intenção combater o abuso sexual no transporte público.

O projeto de autoria do vereador Fábio Zander estava há quase dois anos tramitando na Câmara. A intenção é criar uma frota exclusiva para as mulheres.

A aprovação foi a segunda e última, agora, a matéria depende de sanção ou veto do prefeito Iris Rezende. Apenas após a decisão da Prefeitura o projeto poderá entrar em vigor, caso seja aceito.

Conforme está estabelecido no projeto, os detalhes devem ser determinados pela Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos da Região Metropolitana de Goiânia, contudo, o percentual mínimo será de 30% da frota.

Além disso, o serviço seria oferecido, segundo a proposta, nos horários de pico, das 5h às 8h, das 11h às 14h e das 17h às 20h.

Entre as exigências previstas no projeto, caso a lei seja aprovada, é que os “Ônibus Rosas” devem ser dirigidos por mulheres. Além disso, seria proibido o uso do transporte por homens, com exceção de crianças de até 14 anos, acompanhadas por um responsável.

POLÊMICA

A prática de separar os passageiros por gênero para evitar a violência sexual vem sendo alvo de polêmica pelo menos desde a sugestão de implantar o “vagão rosa” no metrô e nos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), no estado de São Paulo.

Belo Horizonte, em Minas Gerais, foi mais longe na discussão. Em 2016, colocou a medida em prática e separou um vagão para as mulheres, no metrô. O Distrito Federal implantou o vagão para mulheres em 2013 e o Rio de Janeiro, em 2006.

Separar homens de mulheres não é uma prática vista como eficaz por grupos feministas, por exemplo, que combatem o assédio sexual. Entre os argumentos utilizados estão o fato de a mulher ter que ser “separada” do ambiente normal para não sofrer violência, em vez de tratar a raiz do problema.

Entretanto, outros grupos apoiam a medida por combater o assédio e diminuir o número de casos de violência contra a mulher no transporte público.

O Metrô do Recife, por sua vez, decidiu suspender o projeto do Vagão Rosa. A experiência fracassou, diante da ausência de fiscalização, agravada pelas más condições financeiras da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU), gerenciadora do serviço de metrô em cinco capitais do país.

Relembre: CBTU decreta suspensão do ‘Vagão Rosa’ no Metrô do Recife

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

3 comentários em Câmara aprova projeto que prevê ônibus só para mulheres em Goiânia

  1. Primeiro serão ônibus para mulheres, depois para homosexuais, logo surgirão para negros…. Será mesmo que esse é o caminho correto ou estamos instituindo o racismo no Brasil?

    Em nome da falsa moral temos visto tanta bobagem.

    Cumpra-se a lei, se alguém for pego assediando mulheres no transporte público, que arque com o peso da sua conduta ante a legislação que temos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: