Curitiba recebe mais 14 ônibus novos e Greca diz que não confia em bilhetagem atual

Lote conta com 10 articulados e 04 convencionais. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS (Clique para ampliar)

Entrega faz parte do acordo entre viações e empresas de renovação de 150 unidades por ano até 2020

ADAMO BAZANI

O sistema municipal de transportes de Curitiba, no Paraná, recebeu nesta terça-feira, 07 de agosto de 2018, 14 novos ônibus zero quilômetro.

Segundo a prefeitura, o lote faz parte da promessa estabelecida num acordo firmado no ano passado entre empresas e a administração. O acordo consistiu na retirada das ações judiciais que amparavam as viações a não renovarem a frota desde 2013 sob a alegação de que registravam déficits por causa do possível erro de dimensionamento da demanda do sistema pela gerenciadora Urbs – Urbanização de Curitiba S.A. , que influenciava na remuneração dos empresários de ônibus.

Ainda de acordo com o poder público, desde dezembro do ano passado, foram entregues 49 ônibus novos, dos quais 25 biarticulados para a primeira fase da linha Ligeirão Santa Cândida-Praça do Japão.

A entrega dos modelos biarticulados teve cobertura do Diário do Transporte:

https://diariodotransporte.com.br/2018/03/28/volvo-entrega-25-onibus-novos-biarticulados-e-greca-fala-em-expansao-de-oferta-de-transportes/

Até o final do ano devem ser 150 ônibus novos e, até 2020, serão 450 pela promessa da prefeitura.

“Desde 2013 não havia renovação de ônibus no transporte coletivo de Curitiba e ano passado começamos a mudar isso, tirando ônibus velhos de circulação para colocar uma [frota] mais moderna e com itens que atendam melhor a população”, disse em nota, o prefeito Rafael Greca.

Em entrevista coletiva, Greca ironizou as críticas sobre o aumento da tarifa técnica às custas de subsídios de R$ 71,3 milhões ao sistema.

“O grande nome de Curitiba sempre se deveu à qualidade de seu transporte público e eu insisti em apostar nesta ideia, quando coloquei a tarifa, no começo da minha gestão em R$ 4,25. O importante é que estamos renovando a frota sem aumento de tarifas. Ônibus novos e a tarifa não aumenta, para desespero dos meus invejosos”, comentou o prefeito.

Como noticiou o Diário do Transporte, em 31 de julho de 2018, a tarifa-técnica (o valor recebido pelas empresas a cada passageiro) subiu de R$ 4,24 para R$ 4,71. A tarifa social continua sendo de R$ 4,25. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/08/01/tarifa-tecnica-do-sistema-de-curitiba-passa-a-ser-de-r-471-com-subsidios/

CONFIGURAÇÃO DOS ÔNIBUS:

Dos 14 ônibus apresentados nesta terça-feira, dez são articulados para atender linhas do Interbairros e alimentadoras e outros quatro são para linhas convencionais.

A prefeitura diz que, pela configuração do sistema local, cada ônibus articulado pode transportar até 145 passageiros e cada ônibus convencional, pode atender até 90 passageiros.

Os novos ônibus começam a circular nesta quarta-feira, 08 de agosto, nas linhas: Trabalhador (dois articulados), Vila Velha (quatro convencionais), Interbairros IV (cinco articulados) e Fazendinha (três articulados).

“No entanto, eles podem mudar de linha de acordo com a necessidade”, disse na mesma nota, o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

EQUIPAMENTOS:

A prefeitura informou que todos os ônibus apresentados possuem suspensão a ar, mesmo os mais simples, e câmeras de monitoramento.

São seis câmeras em cada veículo articulado e cinco dentro dos convencionais.

Iluminação interna com lâmpadas de led, duas vagas para cadeira de rodas em cada ônibus (uma a mais do que determina a legislação), sinal sonoro e luminoso para abertura e fechamento das portas e botão de solicitação de parada para cadeirantes com alerta diferenciado ao motorista são outros itens destacados pela prefeitura.

NOVA BILHETAGEM:

O prefeito, na coletiva, também prometeu uma renovação na bilhetagem eletrônica para haver maior confiabilidade dos dados do sistema e readequar a tarifa-ténica.

Segundo Greca, o número que indica perda de um milhão de passageiros precisa ser melhor esclarecido. Uma das promessa para a nova bilhetagem, anunciadas pelo prefeito, é a biometria facial para combater fraudes.

“Não confio na bilhetagem automática que existe agora. Quero uma bilhetagem de qualidade. Não acredito nos números da gestão do Gustavo Fruet, não houve uma hecatombe em Curitiba para morrer um milhão de passageiros. Faremos uma nova bilhetagem, sem falsificação, sem fura-catracas eletrônicos, com reconhecimento facial, para que beneficie a todos”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 comentários em Curitiba recebe mais 14 ônibus novos e Greca diz que não confia em bilhetagem atual

  1. MARCOS NASCIMENTO // 7 de agosto de 2018 às 22:11 // Responder

    Parece que uma coisa que GRECA e sua equipe não sabem ou fingem não saber é que HOJE o aplicativo UBER e outros como o 99, dominam os deslocamentos em CURITIBA a tal ponto que fazem mais corridas do que os quase 3.000 táxis da cidade. Absurdamente existe algo em torno de 9 mil UBER & assemelhados na cidade e a frota continua crescendo sem parar e sem nenhuma regulamentação do governo federal que deveria criar regras severas para legislar sobre esse REBU (CONFUSÃO) que foi criada com os transportes em todas as categorias; taxis, vans regularizadas, micros e onibus. SE TIVÉSSEMOS governo federal forte e de verdade, esses e muitos assuntos de interesse nacional seriam rapidamente resolvidos e viveríamos um oásis em meio ao caos que é a América Latina inteira. Numa cidade com 3.000 táxis o ideal seria ter frota máxima de 4.500 UBER e não mais do que isso ou melhor ainda, UBER na mesma quantidade de táxis, amém ou não amém pessoal ????

  2. Marcos Nascimento, boa tarde.
    No meu bairro eu quase não vejo taxi, que eram bem comuns anos atrás.
    Ano passado minha avó faleceu e precisava ir para o interior, chamei um taxi para a rodoviária e esperei muito e nada do carro. Enfim a telefonista me ligou e disse que ainda demoraria um pouco e perguntou se eu ainda desejava a corrida, optei por cancelar. Liguei para um amigo e pedi para ele chamar um Uber pra mim, pois eu não tinha o aplicativo instalado, o carro chegou em menos de 5 minutos, porém como já havia perdido muito tempo, não consegui pegar o ônibus planejado na rodoviária.
    Como já era comum taxi demorar em outras situações, talvez pela quantidade insuficiente, hoje só tenho usado aplicativos.

  3. Não sou usuário assíduo de aplicativos, no geral uso o transporte coletivo.
    Também não acredito que os aplicativos tenham tomado muitos passageiros do transporte coletivo, pois o valor ainda é alto, talvez isso aconteça quando chegar o serviço Uber Pool Express.

  4. Convencional caber 90 pessoas sendo entao 35 sentados e 55 em pe….ou os numeros estao errados, ou o pronunciamento foi mentiroso ou quem disse isso nao entende nada de onibus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: