Ônibus do corredor Leste-Oeste do Recife passarão por manutenção

Foto: Divulgação

Com falhas na caixa de marcha, veículos começarão a ser recolhidos a partir da próxima segunda-feira, dia 6 de agosto

ALEXANDRE PELEGI

O Grande Recife Consórcio, que gere o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana da capital pernambucana, anunciou que a partir desta segunda-feira, dia 6 de agosto de 2018, passará a recolher gradativamente a frota de ônibus que circula no Corredor BRT Leste/Oeste.

Os veículos passarão por manutenção após parte da frota apresentar falhas na caixa de marcha. As peças serão encaminhadas à fábrica, em São Paulo, para reparos. Apesar do problema não afetar toda a frota, os demais veículos passarão por manutenção preventiva.

O Grande Recife Consórcio de Transporte informa ainda que os usuários do corredor BRT Leste/Oeste não serão prejudicados.

Algumas alterações serão necessárias com a retirada dos veículos tipo BRT. A primeira alteração será na linha 2490 – TI Camaragibe/TI Macaxeira, que passará a operar de forma mista, com veículos BRTs e convencional a partir desta segunda-feira.

Dos 14 veículos que circulam na linha, sete serão retirados de operação. Para suprir a operação, dez veículos convencionais passarão a operar no lugar, totalizando 17 veículos.

ALTERAÇÕES NA OPERAÇÃO DA LINHA 2490

Com a substituição dos veículos BRT por veículos tradicionais, a operação da linha sofrerá algumas mudanças: passageiros na avenida Dr. Belmino Correia, em Camaragibe, tendo como destino o Centro do Recife, para embarcar nos ônibus convencionais ao longo da avenida deverão realizar integração temporal em três estações de BRT: Areinha, Barreiras e Padre Cícero. Nessas estações podem utilizar as linhas 2450 – TI Camaragibe (Cde. da Boa Vista) e 2480 – TI Camaragibe/Derby.

Para os usuários que irão utilizar os veículos do tipo BRT não haverá mudança.

Já no caminho inverso, do Centro do Recife para a avenida Dr. Belmino Correia, em Camaragibe, o passageiro deve desembarcar em uma das três estações, podendo aí embarcar nos ônibus BRTs ou fazer a integração temporal nas paradas próximas.

A mudança deve durar seis meses.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: