TRT determina que rodoviários de Manaus mantenham 70% da frota caso haja greve nesta sexta

Publicado em: 19 de julho de 2018

Reunião para tentar acordo será realizada às 9h no Ministério Público do Trabalho

JESSICA MARQUES

O TRT-11 (Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região) de Manaus determinou que o Sindicato dos Rodoviários mantenha pelo 70% da frota do transporte coletivo operando nesta sexta-feira, 20 de julho de 2018, caso ocorra uma greve.

Nesta sexta, será realizada uma reunião no Ministério Público do Trabalho às 9h, para tentar um acordo salarial. A categoria cobra pagamentos atrasados, que até 17 de julho não haviam sido feitos.

Se não houver acordo, os ônibus devem parar de circular a partir de 15h, conforme informado pelo sindicato da categoria ao portal A Crítica.

A decisão do TRT-11 defere parte de uma liminar requerida pelo Sinetram (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas), com força de mandado judicial.

Caso haja descumprimento da medida, o sindicato deve pagar multa de R$ 50 mil por hora de paralisação.

Em 16 de julho, os rodoviários de Manaus impediram que os ônibus da empresa Global Green deixassem as garagens no início da operação.

Relembre: Rodoviários de Manaus fazem paralisação parcial nesta segunda-feira

O dia 20 de julho foi estabelecido como prazo para o pagamento dos salários dos funcionários.

A categoria, que inclui motoristas e cobradores do transporte público coletivo, informou que recebeu apenas 20% do pagamento e que não vai aceitar parcelamento do valor.

Em junho, os trabalhadores realizaram uma paralisação, para reivindicar reajuste salarial.

Após sete dias de greve dos rodoviários de Manaus, que resultou em 61 ônibus depredados e deixou passageiros sem transporte, a paralisação foi encerrada. Houve acordo entre a categoria e as empresas.

Pelo acordo, os funcionários vão receber 5,5% de reajuste salarial, no biênio 2017-2019, segundo informações da Agência Brasil. O valor é composto por 3,5% de aumento referente aos primeiro ano e inflação relativa deste ano e do próximo. Os valores serão pagos a partir de agosto, conforme o que foi acordado.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta